domingo, 30 de dezembro de 2007

Sem coordenadas das Farc, resgate de reféns é adiado

A operação de resgate dos reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), iniciada há dois dias, foi adiada e deve ser retomada neste domingo, quando a guerrilha informar as coordenadas do local onde os reféns serão libertados. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha informou que, ainda que as coordenadas tivessem sido obtidas neste sábado, não haveria possibilidade de dar continuidade à operação. "Não trabalhamos à noite por questões de segurança", explicou Irma Alvarez do CICR. O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse que a comissão de resgate ainda estava esperando o acerto de alguns detalhes para iniciar a operação. "Tomara que amanhã (domingo), ou depois de amanhã, nas próximas horas, antes da meia-noite do dia 31, tenhamos em liberdade aos reféns", disse Chávez em entrevista ao canal de televisão estatal. O presidente venezuelano acusou aos Estados Unidos de estar interessado no fracasso da operação. "Devemos ter claro que o governo dos EUA deseja que esta operação fracasse", disse. "Supondo que esta operação se estendesse por três ou quatro dias, ela poderia cair e teríamos que pensar em outra." Antes do meio-dia Uma fonte do governo venezuelano que participa da coordenação da operação de resgate disse à BBC Brasil que o resgate dos reféns poderá ocorrer ainda neste domingo. "Está tudo pronto para amanhã (domingo). Mas se as coordenadas chegarem depois do meio-dia não haverá tempo para realizar o resgate e teremos que esperar mais um dia", disse. A mesma fonte disse que um dos fatores responsáveis pelo atraso da operação foi um erro na escolha do tamanho dos helicópteros que seriam utilizados para o resgate. Os helicópteros MI-17, de fabricação russa, têm capacidade para transportar 27 pessoas, característica desfavorável para uma operação na selva. As aeronaves serão substituídas por dois helicópteros menores, da empresa estatal venezuelana Ebelca-CVG, com capacidade de transporte de apenas cinco pessoas. Uma das regras impostas pelas Farc é que os pilotos das aeronaves somente saberão o destino da viagem quando já estiverem voando. Comissão internacional A comissão internacional que participa da operação de resgate dos três reféns chegou na tarde deste sábado à Colômbia para acompanhar a segunda etapa da missão de resgate. Os emissários viajaram para a cidade colombiana de Villavicencio, que servirá de ponto de partida da operação de resgate. Além do assessor especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia, participam da comissão o ex-presidente argentino Néstor Kirchner, representantes dos governos de Bolívia, Cuba, Equador, França e Suíça e o cineasta americano Oliver Stone, que planeja filmar a libertação dos reféns. A operação de resgate atende à decisão das Farc, que decidiram libertar - como um "ato de desagravo" ao presidente venezuelano, Hugo Chávez - os três reféns: Clara Rojas, ex-assessora de campanha da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, seu filho Emmanuel, nascido em cativeiro, e a ex-parlamentar Consuelo González de Perdomo. Os três seqüestrados fazem parte de um grupo de 45 pessoas seqüestradas que as Farc pretendiam trocar por cerca de 500 guerrilheiros presos. As negociações do acordo foram paralisadas desde que o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, determinou que Chávez deixasse a mediação.
Agência Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário