sábado, 31 de outubro de 2015

Leve delrio para sua festa, vai uma alegria só

GUARANÁ DEL RIO, em vários tamanhos e nos sabores de limão, uva, laranja e cola. Tem guaraná ligt e diet. Depósito de vendas na Rua Coronel Mont'Alverne, 768, Centro- Sobral- CE Fone: 3611-1795.

Gilberto: 'objetivo da Zelotes é prender Lula'

 

:

31 de Outubro de 2015 às 06:17

247 – Em entrevista concedida à jornalista Natuza Nery (leia aqui), o ex-ministro Gilberto Carvalho classificou a mais recente fase da Operação Zelotes, que investigou Luis Claudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula como "palhaçada" e disse que o real objetivo é a prisão de Lula.

"O alvo é só um, é o PT, é o presidente Lula. Eles querem desmoralizar o presidente Lula para depois realizarem a prisão dele e o tirarem fora de 2018, é disso que se trata. A tática está definida, está clara. É a tentativa de ir aos poucos minando o partido, a credibilidade do presidente Lula, para depois levá-lo a um processo de condenação e prisão", disse ele.

Também alvo da ação, Gilberto criticou o desrespeito aos direitos individuais. "O que não pode, em defesa da democracia, é o atropelamento dos direitos individuais, e é isso que está em jogo. E tenho uma longa vida pública e já me habituei a enfrentar, mas ver os seus filhos expostos desse modo é um golpe duro", afirmou. "Critico o cidadão da Receita Federal que recomenda a quebra de sigilo bancário e fiscal dos meus familiares sem que contra mim haja nenhum indício real, efetivo, de que eu tenha sido beneficiário de qualquer propina ou ação dessas pessoas que estão presas hoje. É uma leviandade e uma exposição desnecessária. Não condeno a investigação, condeno a irresponsabilidade dessas pessoas."

O ex-ministro também nega as acusações de ter participado de "conluio" e diz ter orgulho de não ter enriquecido nos doze anos que passou no Palácio do Planalto. "Nunca participei de conluio nenhum. Nunca esse senhor [Mauro Mautone] apareceu para mim para fazer qualquer proposta nem tratar de nenhuma oferta. Até porque, no meu papel de chefe de gabinete, eu não acompanhava as audiências em sua imensa maioria. Esse senhor nunca me ofereceu qualquer beneficio pecuniário. Aliás, nos 12 anos de Planalto, nunca passei por esse constrangimento. Tenho orgulho de não ter enriquecido neste período."

Gilberto afirmou, ainda, que a Zelotes, ao deixar de lado os alvos iniciais, que são os grandes sonegadores, se transforma em circo político. "Espero que o mesmo tratamento dado a mim se dê àqueles que são os verdadeiros alvos da Operação Zelotes, grandes empresas brasileiras, redes de comunicação no Brasil. Só espero que a Zelotes não sirva apenas para construir esse circo político", afirma.

Lava Jato e doações de campanha

Segundo o ex-ministro, há também uma blindagem em relação a outros partidos nas investigações judiciais em curso no País. "Por que a Lava Jato, em toda delação premiada, não levantou sequer uma questão do financiamento das campanhas de outros políticos? Onde estão as informações do financiamento da campanha do senhor Aécio Neves, que recebeu mais dinheiro dessas empresa da Lava Jato do que Dilma Rousseff? Por que isso não vem a público?", questionou.

"Se o país não tiver consciência disso, nós seremos conduzidos a um processo que vai enganar todo mundo. Em nome do combate à corrupção, os grandes corruptores continuarão soltos e impunes, mas grande parte vai continuar praticando o mesmo assalto aos cofres públicos, como fizeram no Brasil no caso da privataria, da emenda da reeleição", diz ele. "O que me espanta e me dói é ver gente como o ministro do Supremo Gilmar Mendes e próceres do PSDB que denunciam a corrupção mas defendem com unhas e dentes o principal instrumento indutor da corrupção que é o financiamento empresarial de campanha. É uma hipocrisia. Se passar a Lava Jato, com tudo o que ela está provocando, e o PT pagar o seu preço, e todos esses mecanismos continuarem, a nação terá perdido muito."

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/203258/Gilberto-'objetivo-da-Zelotes-é-prender-Lula'.htm

Sem pudor, Veja veste Lula como presidiário

 

:

31 de Outubro de 2015 às 08:52

247 – A revista Veja deste fim de semana publicou mais uma capa absolutamente infame em relação ao ex-presidente Lula, que acaba de completar 70 anos.

Nela, Lula é retratado como presidiário por ser cercado, segundo Veja, por "chaves de cadeia", como os executivos Alexandrino Alencar (Odebrecht), Léo Pinheiro (OAS) e Ricardo Pessoa (UTC), que são grande doadores de recursos para todos os partidos políticos – em especial para o PSDB.

Ao "prender Lula", a família Civita, que edita Veja, realiza um sonho inconsciente de parte das elites, mas também sinaliza que a agenda do impeachment vem sendo superada.

Como aparentemente não será possível viabilizar um golpe contra a democracia, o que importa, para os fanáticos de direita, é tirar Lula do jogo presidencial de 2018 a qualquer custo.

Nesta semana, no entanto, Lula mandou um aviso, ao discursar no encontro do Diretório Nacional do PT.

"Ninguém precisa ficar com medo, porque se tem uma coisa que eu aprendi na vida é enfrentar a adversidade. Se o objetivo é truncar qualquer perspectiva de futuro, vão ser três anos de muita pancadaria. E podem ficar certos: eu vou sobreviver", disse ele.

Nunca é demais lembrar que Lula, o presidiário de Veja, foi o presidente mais popular e mais aprovado da história do Brasil.

http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/203253/Sem-pudor-Veja-veste-Lula-como-presidiário.htm

Todos contra Lula em 2018?

 

:

"Ninguém precisa ficar com medo, porque se tem uma coisa que eu aprendi na vida é enfrentar a adversidade. Se o objetivo é truncar qualquer perspectiva de futuro, vão ser três anos de muita pancadaria. E podem ficar certos: eu vou sobreviver. Eu só não sei se eles sobreviverão com a mesma credibilidade que eles acham que têm”.

A frase, dita pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na reunião do Diretório Nacional do PT, em Brasília, na última quarta-feira, é mais do que explícita. Lula praticamente se lançou ao Palácio do Planalto, em 2018, e, partir de agora, classificará qualquer ação judicial contra pessoas próximas ou parentes como perseguição política.

A declaração veio dois dias depois de uma pesquisa Ibope que trouxe uma boa e uma má notícia para o ex-presidente. A boa, que ele lideraria a corrida presidencial, com 25% das intenções de votos. A má, que sua rejeição seria de 55% – atenuada pelo fato de que a rejeição de todos os seus principais oponentes também cresceu.

O cerco ao PT antecipa um cenário de extrema fragmentação política no País. Há quem preveja até uma implosão do PSDB, que hoje tem três pré-candidatos: os senadores Aécio Neves (PSDB-MG) e José Serra (PSDB-SP), assim como o governador Geraldo Alckmin. Como Aécio é quem hoje comanda a máquina do partido, Serra vem sendo assediado pelo PMDB e Alckmin pelo PSB.

Fora eles, ainda há Marina Silva, que se prepara para ser novamente a “terceira via”, e nomes radicais, que podem vir pela direita, como o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) e o deputado Jair Bolsonaro (PR-RJ). Isso sem falar em outsiders, como Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, que pode vir a se beneficiar de um sentimento “qué se vayan todos”, detectado na mais recente pesquisa Ibope.

http://www.brasil247.com/pt/blog/leonardoattuch/203251/Todos-contra-Lula-em-2018.htm

Lula desmoraliza Época e avisa: 'vou sobreviver'

 

:

31 de Outubro de 2015 às 14:46

247 – Em nota publicada neste sábado, o Instituto Lula desmoralizou mais uma capa da revista Época contra o ex-presidente assim como a patética campanha midiática que o grupo Globo tenta liderar. Confira abaixo:

O lado escuro do ”outro lado” no jornalismo sensacionalista de Época

http://www.institutolula.org/o-lado-escuro-do-outro-lado-no-jornalismo-sensacionalista-de-epoca

A revista Época especializou-se em distorcer e manipular documentos, muitos deles vazados de forma ilegal, para difamar e caluniar o ex-presidente Lula. Esta semana, a revista, e o autor da matéria, Thiago Bronzatto, fazem isso novamente.

A revista não tem interesse em entender ou reportar os fatos de forma fiel, quer apenas construir ilações. Não tem o que se chama de jornalistas investigativos: são apenas redatores sensacionalistas, operando documentos vazados ilegalmente. Não apresenta fatos, quer apenas especular e fazer barulho em cima de tais documentos, tentando criar factoides políticos, vender mais revista e fazer audiência em redes sociais.

Não respeita o contraditório e engana os leitores, vendendo como “novidade” matérias requentadas. Por exemplo, colocando a tarja “Exclusivo” na capa desta semana, para um tema tratado em agosto por sua concorrente mais famosa e ainda mais mentirosa.

Para simular que ouve o “outro lado”, quase toda sexta-feira envia à assessoria do Instituto Lula burocráticos e-mails com perguntas cifradas, que escondem tema principal da matéria e o teor das ilações. A essa altura da produção da revista, as teses e especulações já estão prontas e, muitas vezes, até divulgadas no twitter do editor-chefe.

Nestes e-mails, seus jornalistas disfarçam ou sonegam informações necessárias para as respostas adequadas, como aconteceu mais uma vez nesta sexta-feira. Procurada pelo repórter Thiago Bronzatto, com perguntas que remetiam a um relatório do Coaf vazado de forma ilegal para a revista Veja, em agosto, a assessoria de imprensa do Instituto Lula perguntou diretamente: “É sobre o relatório do Coaf que a Veja já deu em agosto?”. O repórter de Época se recusou a esclarecer essa questão simples. Pior: ele mentiu, associando as perguntas a diferentes operações da Polícia Federal e Ministério Público, quando na matéria ele diz, e não dá para saber se é verdade também, que obteve o documento através da CPI do BNDES.

A questão não é menor: existe hoje uma investigação sobre o vazamento das informações desse relatório do COAF. O ex-presidente Lula e a empresa LILS solicitaram ao Ministério da Justiça, ao Ministério da Fazenda e à Procuradoria-Geral da República que apurem, na competência de cada instituição, as responsabilidades pela violação criminosa do sigilo bancário da empresa de palestras criada por Lula após deixar a presidência da República, a LILS.

No e-mail, o repórter já criminaliza os fatos, ao dizer que Lula teria feito “operações atípicas” no “mercado segurador”. Na realidade Lula apenas adquiriu um plano de previdência privada com o dinheiro ganho em palestras. É isso que informa o relatório do COAF, vazado criminosamente para Veja e requentado pela Época.

Numa apuração honesta, não era necessário perguntar nada ao Instituto Lula; bastaria conferir a nota que emitimos em 18 de agosto.

Não há nada de ilegal na movimentação financeira do ex-presidente. Os recursos são oriundos de atividades profissionais, legais e legítimas de quem não ocupa nenhum cargo público: os valores mencionados no vazamento ilegal se referem a 70 palestras contratadas por 41 empresas diferentes, listadas no link acima. Todas palestras realizadas, contabilizadas e com os devidos impostos pagos. Tem palestra até para a Infoglobo, do mesmo grupo de comunicação que edita a revista Época.

Se Época acha que o valor pago é alto, poderia perguntar à direção do Infoglobo, que pagou o valor da palestra e que explicou, no jornal O Globo, que o fez por “participar de iniciativas que contribuem para o desenvolvimento e a promoção do Rio de Janeiro. Em 2013, com esse objetivo, a empresa apoiou a Fecomércio-RJ na realização de um seminário sobre o mapa do comércio no Estado do Rio. Além de divulgar o evento em seus jornais, a Infoglobo arcou com os custos dos palestrantes, inclusive do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.”

Fazer palestras para uma empresa não implica em nenhuma outra relação e é uma prestação de serviço pontual que mantém a total independência do ex-presidente em relação ao contratante. Tanto que o ex-presidente ter feito uma palestra para a Infoglobo não o impede, ou sua família ,de mover processos contra o jornal, por exemplo, pela mentira contra o filho do ex-presidente publicada por Lauro Jardim em sua estreia em O Globo, na capa dominical do diário. Mentira pela qual até hoje, nem o colunista nem o jornal se retrataram publicamente.

Jornalistas de Época caluniam, mais uma vez, ao chamar Lula de lobista e já estão sendo processados por isso na justiça, junto com o editor-chefe Diego Escosteguy.

Sobre a patética campanha de parte da imprensa tradicional e familiar brasileira contra Lula e sua família, que só esse mês rendeu 5 capas ofensivas de revistas semanais contra ele, o ex-presidente, com tranquilidade, declarou na última quinta-feira em Brasília:

“Eu só queria que vocês não ficassem preocupados com esses problemas porque digo sempre: ninguém, podem ter certeza, ninguém precisa ficar com pena. Se tem uma coisa que aprendi na vida é enfrentar adversidades. Podem ter certeza. Se o objetivo é truncar qualquer perspectiva de futuro, então vão ser três anos de muita pancadaria. Três anos. E podem ficar certos: eu vou sobreviver. Não sei se eles sobreviverão com a mesma credibilidade que eles acham que tem. Mas eu vou sobreviver.”

ÍNTEGRA DA TROCA DE E-MAIL COM THIAGO BRONZATTO, FUNCIONÁRIO DA REVISTA ÉPOCA

Thiago Bronzatto Redação Época Brasília – Editora Globo [email protected]
30 de outubro de 2015, 11:25

Caros,

Tudo bem?

Estamos fazendo uma matéria para a próxima edição da revista ÉPOCA na qual mencionaremos o ex-presidente Lula. Vocês poderiam, por favor, me ajudar a esclarecer as dúvidas abaixo?

1-) No âmbito da operação Zelotes, foram identificados repasses de recursos da empresa L.I.L.S. para os filhos do ex-presidente e as suas respectivas empresas. Qual a razão dessas transferências?

2-) Qual a posição do ex-presidente Lula em relação à intimação da PF para ouvir o seu filho Luis Cláudio?

3-) No âmbito das investigações da Lava Jato e do MPF, há informações de que Lula tenha realizado movimentações financeiras no mercado segurador consideradas atípicas. O ex-presidente tem conhecimento disso? Qual a sua posição?

Estamos fechando hoje às 16h. Qualquer dúvida, estou nos contatos abaixo.

Aproveito este e-mail para reiterar o pedido de entrevista presencial com o ex-presidente Lula, enviado no dia 29 de junho deste ano, conforme sugerido pelo próprio Instituto Lula em nota publicada em seu site. Até agora, não tive nenhuma resposta sobre a minha demanda.

Abraço e obrigado,

Resposta da Ass. De Imprensa do Instituto Lula [email protected]
30 de outubro de 2015, 13:25

Caro Thiago,

É sobre o relatório do Coaf que a Veja já deu em agosto?

Att,

Thiago Bronzatto às 13:29

Caro,

Trata-se de matéria diferente, como você deve ter percebido em nossas perguntas.

Abraço,

Thiago

Ass. De Imprensa Instituto Lula às 13:54

Caro,

Que é outra matéria é óbvio. O tempo espaço impede que uma matéria da Época em outubro seja a mesma da Veja em agosto. Seria até plágio.

O documento base, o qual você não identifica, nem explica, como é habitual nos seus "outros lados", parece o mesmo, pelas perguntas 1 e 3. Como não tenho certeza ser o mesmo, perguntei. E você não respondeu.

Sobre esse documento, há uma investigação em curso sobre o vazamento das informações nele, que estavam sob sigilo de justiça.

A Veja fez até um infográfico com ele na época, com perdão do trocadilho.

Tiago, a gente já respondeu ao seu pedido de entrevista faz tempo, você apenas falha em compreender isso e faz esse copiar-colar toda a sexta-feira. Não haverá entrevista para a Época, porque a revista é considerada um lixo, como foi publicamente dito. E pela existência de ações judiciais e a necessidade de correções factuais em matérias anteriores que a revista Época, e você especificamente, jamais fizeram.

Atenciosamente,

Thiago Bronzatto, às 14:02

Caro, eu gostaria apenas que você respondesse objetivamente as minhas questões. Posso considerar o seu e-mail como resposta oficial da assessoria de imprensa do Lula?

Abraço,

Thiago

Assessoria de Imprensa do Instituto Lula, às 14:19

Caro Thiago,

E eu gostaria apenas que você fizesse matérias de forma objetiva, imparcial, sem sensacionalismo e com correção factual. E também com a devida checagem de informações, sem pegadinhas e realmente interessado em ouvir o outro lado. Mas como dizem os Rolling Stones, você não pode ter sempre o que você quer.

Todos os meus e-mails para você, assim como todas as suas mensagens para mim, podem se tornar públicos a qualquer momento que você quiser ou que nós quisermos, como já fizemos em outras ocasiões.

Atenciosamente,

Mais informações

José Chrispiniano/ Gabriella Gualberto

Assessoria de Imprensa

Instituto Lula

http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/203286/Lula-desmoraliza-Época-e-avisa-'vou-sobreviver'.htm

O fogo alternado contra Lula e Dilma

 

:

Quando avisou que estava pronto para a pancadaria e que irá sobreviver a ela, no discurso de quinta-feira na reunião do Diretório Nacional do PT, o ex-presidente Lula já esperava pelos ataques deste final de semana: o da revista Veja que o colocou na capa vestido de presidiário e o de Época, sobre relatório do COAF sobre suas movimentações financeiras, vazado ilegalmente para Veja em agosto passado. Em conversas com parlamentares do PT Lula chamou a atenção para o fogo alternado dos adversários: sempre que a manobra golpista do impeachment perde força, o fogo sobe contra ele. E assim segue a pancadaria, ora alvejando Dilma, ora golpeando Lula, com o objetivo resumido por Gilberto Carvalho: levá-lo à prisão e tirá-lo da disputa de 2018.

Relativamente à denúncia de Época, o Instituto Lula divulgou nota criticando os métodos jornalísticos da revista, que buscou “ouvir” o instituto mas negou-se a confirmar que estava se baseando no relatório do COAF. Sobre a movimentação financeira da empresa de palestras de Lula, a LILS, a nota repete o que foi dito em agosto, quando a revista Veja divulgou o mesmo relatório. Não há nada de ilegal na movimentação financeira do ex-presidente. Os recursos são oriundos de atividades profissionais, legais e legítimas de quem não ocupa nenhum cargo público: os valores mencionados no vazamento ilegal se referem a 70 palestras contratadas por 41 empresas diferentes, listadas no link acima. Todas palestras realizadas, contabilizadas e com os devidos impostos pagos. Tem palestra até para a Infoglobo, do mesmo grupo de comunicação que edita a revista Época.”

Mas em agosto a conjuntura era outra, quem estava no alvo era Dilma: os movimentos pró-impeachment realizaram naquele mês os últimos protestos significativos, sobretudo em São Paulo. A base seguia rota no Congresso e a economia em desarranjo. O governo apresentou o orçamento de 2016 deficitário, o que levou ao rebaixamento da nota de crédito do Brasil. Desde então a bandeira do impeachment passou a ser sustentada basicamente pela oposição, no Congresso. Na rua, o movimento se restringe aos “taradinhos do impeachment”, tomando aqui emprestada a expressão cunhada por Jânio de Freitas. Eles agora deram para se amarrar às colunas do São Verde, graças à liberalidade de Eduardo Cunha. Em outros tempos, nem prefeitos sem gravada podiam transitar pelo nobre salão parlamentar.

Em agosto o relatório do COAF, apresentado por Veja, teve pouco impacto no meio da fuzilaria contra Dilma. Agora o relatório ressurge no momento mais agudo da caçada a Lula: seu filho é investigado pela Operação Zelotes enquanto ele mesmo enfrenta a investigação do Ministério Público sobre a relação com Odebrecht no exterior, afora a delação de Fernando Baiano na Lava Jato, gerando a suspeita de que o empresário Bumlai possa ter usado o nome do amigo presidente para obter “empréstimo” junto ao operador do PMDB. Estão excitados os caçadores, tanto quanto seus cães bem treinados e incrustados no próprio aparelho de Estado.

Enquanto isso, a balão do impeachment murcha a olhos vistos. A pesquisa Datafolha realizada entre deputados, ainda que tenha limitações na sua aferição, pois foi pouco expressiva a parcela dos que aceitaram responder, mostra que o governo tem votos para enfrentar a votação da autorização do processo na Câmara. Com a reforma ministerial Dilma conseguiu montar um “núcleo duro” que alcança o um terço da Casa, ou 171 votos necessários para barrar o impeachment. Tal núcleo é composto por PT, PC do B, PDT, alguns votos da Rede e do PSOL, e parcelas do PMDB, PSD, PP e outros. O governo anda até animado a enfrentar logo este tigre para se livrar logo dele.

Ademais, Eduardo Cunha continua jogando com habilidade e ninguém sabe hoje, com certeza, que decisão ele tomará em relação ao pedido, agora que a decisão é única e exclusivamente dele, com a revogação do rito alvejado pelas liminares do STF. Se concluir que o governo tem votos para barrar o impedimento, ele pode até mesmo desistir de aceitar o pedido da oposição, por que não?

E quanto mais Dilma sair do foco, mais pesado o fogo descerá sobre Lula, seus parentes e auxiliares. Sem o impeachment, a prioridade absoluta passa a ser “não deixar Lula voltar”.

http://www.brasil247.com/pt/blog/terezacruvinel/203293/O-fogo-alternado-contra-Lula-e-Dilma.htm

Justiça encontra conta do PSDB de 64 milhões na Suíça; FHC e Covas estão envolvidos

 

tucano dinheiro

Posted By: Claudio Palacio18/10/2015

Uma conta bancária na Suíça, conhecida como “Marília”, foi usada para movimentar as propinas que azeitaram os negócios da Siemens e da Alstom com governos do PSDB, em São Paulo. Por ela, transitaram cerca de R$ 64 milhões em propinas e os recursos foram gerenciados por homens da cozinha dos governos de Mario Covas, em São Paulo, e até do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

http://www.desenvolvimentistas.com.br/

Juiza que investiga filho de Lula é irmã do prefeito tucano de Blumenau

 

juiza capa

A leitura do despacho da juíza federal Celia Regina Ody Bernardes Carrer, que determinou a operação de busca e apreensão na empresa do filho de Lula Luiz Cláudio espanta pela contudência. Ela determinou que até pessoas que estivessem no local sofressem revista corporal.

Além disso, a juíza determinou que os familiares do alvo da operação não tivessem acesso à acusação visando preservar o “sigilo das investigações”, apesar de que tudo foi parar na mídia minutos após seu despacho.

Diante do ineditismo de uma operação como essa sem que o nome do filho de Lula sequer constasse da operação Zelotes – que seria o objeto da investigação que desembocou na operação no escritório de Luiz Cláudio -, muitos começaram a questionar a atitude dessa juíza.

Foi o que bastou para a Folha de São Paulo divulgar que Celia Regina seria “de esquerda”, de forma a afastar suspeitas de que sua decisão tenha tido motivação política. Confira, abaixo, coluna de Rogério Gentile na edição de 29 de outubro desse jornal.

juiza 1
Circula pela internet, porém, informação que o colunista da Folha esqueceu de repassar aos seus leitores. Celia Regina é irmã de Napoleão Bernardes, prefeito de Blumenau desde 1o de janeiro de 2013.

O site que divulgou a informação reproduziu notícia veiculada pela Rádio Clube de Blumenau, onde Napoleão fez carreira antes de se tornar prefeito da cidade. Segundo a matéria, Napoleão foi a Brasília em 2011 para prestigiar a posse da irmã Celia Regina como juíza federal.

Como o site que divulgou essa informação postou apenas um print da matéria, o Blog fez uma busca e descobriu que essa matéria foi apagada, mas pode ser acessada em cache – recurso que permite localizar postagens na internet que depois são apagadas.

http://www.blogdacidadania.com.br/2015/10/juiza-que-investiga-filho-de-lula-e-irma-do-prefeito-tucano-de-blumenau/

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

PT vê 'sabotagem política' que quer difamar Lula

 

Ricardo Stuckert/ Instituto Lula:

29 de Outubro de 2015 às 20:04

247 - O Partido dos Trabalhadores divulgou, nesta quinta-feira (29), a nova resolução aprovada em reunião do Diretório Nacional. O encontro aconteceu em Brasília e contou com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na resolução sobre a atual conjuntura política, o Diretório Nacional conclama a militância a defender o legado e o papel histórico do ex-presidente Lula.

“Vazamentos seletivos, prisões abusivas, investigações plenas de atropelo e denúncias baseadas em delações arrancadas a forceps e sem provas comprobatórias, desrespeito ao devido processo legal, ao amplo direto de defesa dos acusados e prerrogativas no exercício profissional de seus defensores, entre outros eventos, revelam a apropriação de destacamentos repressivos e judiciais por grupos subordinadas ao antipetismo, que atuam com o intuito de extinguir o Partido dos Trabalhadores e difamar o maior líder popular da história brasileira”, diz o texto.

“Ataques ao ex-presidente Lula fazem parte da escalada contra conquistas de nosso povo e devem ser rechaçados com o máximo vigor. O combate a estas incursões de ódio, intolerância e mentira, nas ruas e nas instituições, é componente essencial da resistência ao golpismo e ao retrocesso”, complementa. Além disso, o Diretório Nacional considera que o principal objetivo tático do partido é derrotar a escalada golpista, isolar a oposição de direita e recuperar as condições plenas de governabilidade.

A legenda ainda voltou a cobrar a reintrodução da CPMF, entre outras iniciativas que possam reformar, de forma progressiva, o sistema de tributação brasileira e preservar os programas sociais. “Do mesmo modo, apoia a pauta de projetos apresentada pela nossa bancada, que aponta soluções para o crescimento da arrecadação”, diz o texto.

Abaixo a Resolução na íntegra:

O país permanece, um ano após a reeleição da presidenta Dilma Rousseff, sob intensa ofensiva conservadora. As forças mais reacionárias, dentro e fora das instituições, ainda que sem coesão ou alternativa que as unifique, se empenham para sabotar e tentar derrotar o governo, se possível levando à sua derrubada através de expedientes golpistas.

Este contra-ataque do conservadorismo, embora esteja enraizado nas condições internas da disputa entre classes e projetos, espelha também a
mudança de cenário na América Latina. As correntes progressistas, que desde a virada do século acumularam importantes vitórias eleitorais nos principais países do continente, encontram-se atualmente sob fogo cerrado das elites locais e sua tradicional aliança com os centros imperialistas.

O pano de fundo do aprofundamento dos conflitos políticos e sociais está no prolongamento da crise mundial do capitalismo. As distintas burguesias locais buscam, por todas as formas, reduzir custos de produção, manter e/ou aumentar suas margens de lucro. Trata-se, nesta lógica, de impor salários menores aos trabalhadores, cortar gastos sociais dos Estados, aliviar cargas tributárias das corporações e acionistas, ampliar espaços do capital através de novas privatizações, eliminar ou mitigar direitos públicos, disputar mercados, entre outras medidas.

Esta mesma dinâmica leva ao recrudescimento da pressão das grandes potências sobre países que se deslocam de sua órbita hegemônica ou
transitam por experiências que constituam obstáculos às políticas de recuperação capitalista marcadas tanto pelo aumento da exploração direta e indireta do trabalho quanto pela limitação da soberania nacional.

Mesmo sem que os governos dirigidos pelo PT tenham reunido condições para reformas de caráter estrutural, que alterassem o sistema de produção e apropriação da riqueza, numerosas frações das classes dominantes brasileiras se deslocaram para uma empreitada que busca recuperar o controle do Poder Executivo para as mãos de seus principais agentes políticos, liderados pelo PSDB e os monopólios da mídia.

A escalada da direita representa o desejo de retomar as rédeas do Estado para implementar, sem mediação ou concessão, um programa que
realinhe o país aos fundamentos neoliberais, anulando conquistas sociais que marcaram o processo brasileiro desde 2003. O governo liderado pela companheira Dilma é o anteparo que precisa ser removido para a consumação da política sustentada pelos setores mais retrógados.

Para além de impor seus interesses programáticos, as forças conservadoras desejam destruir a esquerda e os movimentos sociais, interditando o campo popular como alternativa de poder. Não é à toa que sua ofensiva incorpora manobras de criminalização, operando setores do aparato policial e judiciário com o objetivo de desestabilizar o governo, deslegitimar o PT e desgastar lideranças históricas como o ex-presidente Lula.
Denunciamos a campanha de perseguição política contra a esquerda, o PT e lideranças populares. Essa campanha visa eliminar da cena política
brasileira e latino americana as vozes que defendem a igualdade, a liberdade e a superação do neoliberalismo. É por isso que agora Lula é
vítima de perseguição da direita.

A legítima mas apertada vitória progressista nas eleições presidenciais de 2014, associada à ampliação da influência dos partidos de centro e direita no parlamento, animou o conservadorismo a confiar que poderia apostar suas fichas em uma rota de sabotagem e golpismo.
A queda de popularidade do governo acabou por dificultar a manutenção da base parlamentar depois da posse, criando clima mais favorável para a atração de segmentos centristas pela oposição de direita.

A situação congressual agravou-se também pela preponderância, dentro da bancada do PMDB na Câmara dos Deputados, de sua ala mais
reacionária, capitaneada pelo deputado Eduardo Cunha. Depois de conquistada a presidência da casa, o parlamentar rapidamente pactuou
com o bloco PSDB-DEM-PPS e assumiu a liderança de uma agenda para contrarreformas, além de flertar com o impeachment presidencial.

O Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores, nestas circunstâncias, considera que o principal objetivo tático é derrotar a escalada golpista,
isolar a oposição de direita e recuperar as condições plenas de governabilidade. Este movimento tem mais chances de êxito se acompanhado por mudanças na política econômica que o PT vem sugerindo desde a realização do 5o.Congresso, em Salvador. Tais mudanças podem reagrupar as forças populares e democráticas ao redor de um programa de desenvolvimento sustentado pela expansão do mercado interno, pela ampliação dos investimentos estatais, pela defesa do emprego e a majoração contínua da renda dos trabalhadores.

A recuperação fiscal do Estado deve ser encaminhada, como tem reafirmado o PT, com medidas que aumentem a tributação sobre a renda,
a riqueza e a propriedade dos extratos mais abastados, ao mesmo tempo em que o governo reduza seus gastos financeiros, através do rebaixamento paulatino da taxa de juros.

Cortes nos gastos sociais ou nos investimentos públicos, posição defendida pelos porta-vozes do capital financeiro, são incapazes de enfrentar o
problema central dos cofres estatais e expressam interesses de setores rentistas em preservar margens de lucratividade, às custas de enormes
transferências de recursos fiscais para os fundos privados de capital.

A oposição de direita, com importantes adesões ao centro conservador, busca pressionar o governo, por todos os lados, para enterrar o sistema de bem-estar social previsto na Constituição de 1988, cuja construção efetiva tem sido a principal conquista dos governos dirigidos pelo PT.
Faz parte da ofensiva conservadora, portanto, o acirramento da luta de classes, sob a forma de conflito distributivo, com o objetivo de reduzir
drasticamente as despesas sociais e preservar os ganhos financeiros, sob a lógica de que essas garantias de rentabilidade seriam alavanca primordial para atração de investimentos, eventualmente complementada com privatizações e desregulamentações, em contraposição aos estímulos prioritários para o mercado interno e o fortalecimento do papel dirigente do Estado.

O Partido dos Trabalhadores refuta abertamente estas concepções e mobilizará todas as energias, ao lado de seus aliados dentro e fora das
instituições, para impedir qualquer retrocesso aos tempos neoliberais e à agenda maldita que antecedeu o governo do presidente Lula.
O Diretório Nacional, neste sentido, considera extremamente positiva a proposta de reintrodução da CPMF, entre outras iniciativas governamentais que buscam reformar progressivamente o sistema de tributação e preservar os programas sociais estabelecidos desde 2003. Do mesmo modo, apoia a pauta de projetos apresentada pela nossa Bancada, que aponta soluções para o crescimento da arrecadação.

A direção partidária também saúda, por retomar a melhor tradição do debate econômico e colaborar para enfrentar a dominância do
pensamento conservador, o documento “Por um Brasil Justo e Democrático”, elaborado por iniciativa da Fundação Perseu Abramo e das
entidades: Brasil Debate, Fórum 21, Centro Internacional Celso Furtado, Plataforma Política Social, Le Monde Diplomatique e Rede
Desenvolvimentista. As várias contribuições ali apresentadas podem servir de referencial para a formulação de uma nova agenda de
desenvolvimento econômico sustentável, que deve presidir o conjunto das políticas macroeconômicas do país.

Neste sentido, consideramos fundamental a retomada do funcionamento pleno do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República, que já se mostrou importante espaço de diálogo social e formulação de políticas para o crescimento econômico do país.

Nesse ambiente, é fundamental a criação de espaços de diálogos setoriais, para que trabalhadores, empresários e governo busquem o fortalecimento das cadeias produtivas, visando o crescimento do emprego, incentivando a inovação, agregando valor à produção com o aumento da qualidade e produtividade.

A afirmação deste rumo programático e a derrota do golpismo não podem se escorar apenas na atual política de alianças e nos atuais métodos de governabilidade. É fundamental construir uma governabilidade mais ampla, enraizada na sociedade. Contribui para isso, também, a intensificação das conferencias temáticas governamentais (Juventude, Mulheres, LGBT, Igualdade Racial, dentre outras), legitima aspiração de participação popular dos movimentos sociais e populares.

Por isso, o PT deve dar todo o apoio à consolidação de uma aliança orgânica dos movimentos sociais, partidos progressistas e defensores da
democracia, atualmente encarnada na Frente Brasil Popular (FBP), que possa ser a força propulsora para a renovação do bloco histórico no qual se insere o petismo e demais correntes de esquerda.

Todos os militantes do PT devem se engajar plenamente, em suas cidades e estados, locais de trabalho, estudo ou moradia, para construírem a FBP como espaço organizativo e de mobilização contra o golpismo, por mudanças na política econômica e por um programa de reformas
estruturais que permita novo ciclo de avanços para o povo brasileiro.

O Diretório Nacional igualmente conclama toda a militância petista e todos os democratas a defenderem o legado e o papel histórico do ex-presidente Lula, transformado em alvo prioritário de armações que se multiplicam em núcleos da Policia Federal, do Ministério Público e do Poder Judiciário vinculados a operações supostamente anticorrupção.

Vazamentos seletivos, prisões abusivas, investigações plenas de atropelo e denúncias baseadas em delações arrancadas a forceps e sem provas
comprobatórias, desrespeito ao devido processo legal , ao amplo direto de defesa dos acusados e prerrogativas no exercício profissional de seus
defensores, entre outros eventos, revelam a apropriação de destacamentos repressivos e judiciais por grupos subordinadas ao antipetismo, que atuam com o intuito de extinguir o Partido dos Trabalhadores e difamar o maior líder popular da história brasileira.

O Partido dos Trabalhadores, por respeito às instituições republicanas, em defesa da Constituição, e com o intuito de combater efetivamente a
corrupção, repele todos os procedimentos que ferem o devido processo legal, ofendem garantias democráticas e representam práticas de
exceção. O PT considera essas situações como abomináveis e destinadas à sabotagem política, sempre em aberto conluio com grupos monopolistas de comunicação.

Ataques ao ex-presidente Lula fazem parte da escalada contra conquistas de nosso povo e devem ser rechaçados com o máximo vigor. O combate a estas incursões de ódio, intolerância e mentira, nas ruas e nas instituições, é componente essencial da resistência ao golpismo e ao retrocesso.

https://www.brasil247.com/pt/247/poder/203074/PT-vê-'sabotagem-política'-que-quer-difamar-Lula.htm

Datafolha aponta Câmara contra Cunha e o golpe

 

:

30 de Outubro de 2015 às 05:37

Brasília 247 – Uma pesquisa Datafolha, feita com 324 deputados, que foi divulgada nesta sexta-feira, revela que quase metade dos parlamentares (45%) são favoráveis e, ainda, que a oposição não tem os votos para levar adiante seu intento golpista. Em vez de dois terços necessários para o impeachment, haveria apenas 39% de deputados dispostos a votar pelo impeachment.

Sobre Eduardo Cunha (PMDB-RJ), 45% dos 513 deputados defendem a sua saída, enquanto 25% pregam sua permanência e 30% não se posicionaram.

Em relação a eventual processo de impeachment, 39% disseram que votarão a favor da abertura do processo se a questão for levada ao plenário da Câmara, enquanto 32% afirmaram que votarão contra e 29% dos consultados não se posicionaram nessa questão.

Como a oposição necessitaria de dois terços dos votos, a Folha reconheceu que "o resultado da pesquisa sugere que ela [Dilma] está mais perto do objetivo de se manter no cargo do que a oposição do objetivo de promover o afastamento."

No entanto, Mário Paulino, diretor do instituto afirmou que os números podem mudar. "Há um número significativo de parlamentares escondendo o jogo", diz ele. "Os resultados finais indicam tendências gerais, mas não são representativos do total do Congresso", completa.

Ontem, o presidente da Câmara revogou o rito do impeachment acertado com a oposição, que havia sido suspenso pelo Supremo Tribunal Federal, e chamou novamente a qiestão para si.

https://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/203093/Datafolha-aponta-Câmara-contra-Cunha-e-o-golpe.htm

Lula: continuaremos no governo do país após 2018

 

:

29 de Outubro de 2015 às 21:30

247 - Entrevistado pelo PCdoB na Câmara nesta quinta-feira (29), o ex-presidente Lula reconhece o momento de "muita dificuldade" na política brasileira, mas ele acredita que as recentes mudanças na articulação política do governo Dilma darão um alento ao Planalto no Congresso.

"Não é um momento fácil. Possivelmente, é o momento o mais difícil da história do PCdoB e do PT, porque não estamos enfrentando um partido de oposição comum. Estamos enfrentando um massacre de uma imprensa conservadora", disse.

"Existe um massacre em cima do PT. Evidentemente, que nós também temos cometido erros. Existe discordância com relação à política econômica, e temos de fazer as correções na medida do possível e no momento correto. Temos muita divergência dentro do Congresso Nacional. É preciso que os partidos assumam a responsabilidade de funcionar enquanto partidos políticos", ressaltou.

Ainda assim, ele afirma que a presidente Dilma Rousseff "vai voltar a crescer" e deixa um recado: "Para aqueles que não gostam de nós, vão ter de conviver a partir de 2018 durante mais quatro anos com os partidos democráticos e populares na governança deste país".

Lula almoçou com a bancada do PCdoB na Câmara nesta quinta.

Abaixo os principais trechos da entrevista exclusiva de Lula concedida ao PCdoB na Câmara:

PCdoB na Câmara – Como foi a reunião-almoço com a Bancada Comunista no Congresso?
Luiz Inácio Lula da Silva – Agradeci muito por tudo que o PCdoB significa na minha vida ao longo da minha trajetória política. Discutimos a necessidade de o PCdoB e do PT se reunirem mais e debaterem estratégias comuns de atuação. O PT agradece muito pelo comportamento da Bancada do PCdoB no Congresso, com a líder Jandira Feghali, que tem sido motivo de orgulho para quem é da esquerda neste país. Mostra que tem gente com caráter, que não é oportunista e não rema apenas do lado que a maré está favorável. Isso o PCdoB tem feito historicamente. Nos últimos 40 anos, não posso reclamar da relação com o PCdoB. Tem sido extraordinária desde a primeira campanha em 1989 com João Amazonas, depois com Renato Rabelo e agora com Luciana Santos. O PCdoB está inovando, tendo uma mulher na presidência. Não é pouca coisa um partido comunista ter uma mulher na presidência. Isso tudo ajuda na nossa relação.

PCdoB na Câmara – A ideia é estabelecer uma agenda rotineira de encontros entre PT e PCdoB?
Lula – É importante que uma vez por mês ou a cada dois meses, quando tiver reunião da executiva, conversemos um pouco. O PCdoB ir numa reunião do PT para fazer avaliação de conjuntura e vice-versa. O objetivo é que nos aproximemos cada vez mais. Quando tiver eleições municipais em 2016, podemos ter divergências em um lugar ou outro. Mas as divergências são bem menores do que as coisas unificadoras entre PT e PCdoB. Saio daqui deste almoço mais fortalecido de cabeça e alma.

PCdoB na Câmara – Como o senhor avalia a atual conjuntura política?
Lula – Não é um momento fácil. Possivelmente, é o momento o mais difícil da história do PCdoB e do PT, porque não estamos enfrentando um partido de oposição comum. Estamos enfrentando um massacre de uma imprensa conservadora. Parece-me que a imprensa não concorda com a evolução e as conquistas do povo mais pobre deste país. Não concordam com o pobre nas universidades e com programas que elevaram a qualidade de vida das pessoas, como o Minha Casa Minha Vida. Tem gente que se incomoda com os pobres quando eles têm ascensão. Existe um massacre em cima do PT. Evidentemente, que nós também temos cometido erros. Existe discordância com relação à política econômica, e temos de fazer as correções na medida do possível e no momento correto. Temos muita divergência dentro do Congresso Nacional. É preciso que os partidos assumam a responsabilidade de funcionar enquanto partidos políticos.

PCdoB na Câmara – Qual é a saída?
Lula – Teoricamente, a presidenta Dilma Rousseff tem maioria dentro do Congresso tanto na Câmara quanto no Senado. O governo agora arrumou a sua articulação política. A vinda do companheiro Jaques Wagner para a Casa Civil deu um alento muito grande dentro do Congresso. O Aloisio Mercadante voltou para a Educação e fará um extraordinário trabalho na Educação. Nós vamos superar. A Dilma vai voltar a crescer. Para aqueles que não gostam de nós, vão ter de conviver a partir de 2018 durante mais quatro anos com os partidos democráticos e populares na governança deste país.

https://www.brasil247.com/pt/247/poder/203085/Lula-continuaremos-no-governo-do-país-após-2018.htm

Fanáticos do impeachment têm nova tática: confronto

 

:

Cansados de esperar por Eduardo Cunha e já suspeitando que sua intenção de abrir processo de impeachment contra a presidente – que é a única e pobre e já rota bandeira da oposição atualmente – não passa de um blefe, os fanáticos do impeachment radicalizaram e agora estão pressionando Cunha com as armas que até há pouco tempo eram exclusivas dos petistas e partindo para o confronto na tentativa, absurda, irresponsável e perigosa de arrancar o impeachment na marra.

Ou então criar um clima de “convulsão social” que demandará uma intervenção militar, como já fomos informados por um importante general.

Eles estão usando militantes (?) desses movimentos que ninguém sabe de onde surgiram nem o que querem além de derrubar a presidente e que, são, portanto, golpistas e provocadores.

Organizaram um “acampamento” deles no gramado em frente ao Congresso, permitido por Cunha, que ameaça ficar lá até ele decidir pelo processo.

Alguns deles, mais xiitas ainda, resolveram acorrentar-se a uma coluna do Congresso, imitando alguns petistas, como um folclórico ex-prefeito de Diadema que já usou o mesmo ridículo expediente.

Os provocadores tiveram sucesso com um despreparado líder (?) do PT chamado Sibá Machado. Anteontem, em plena sessão, ele chamou de “vagabundos” a meia dúzia de provocadores que estendia uma faixa “Fora Dilma” na galeria e prometeu “fazê-los correr”.

No dia seguinte, ontem, militantes do MST tentaram impedir o acesso dos provocadores às galerias à força, provocando um pequeno tumulto que os fanáticos do impeachment trataram de descrever como um conflito na Faixa de Gaza.

O clima de confronto, é claro, invadiu o plenário. Sibá foi chamado de incendiário. Jandira Feghali disse, assustada, que nunca tinha visto a Câmara tão convulsionada e que só faltava sair tiro.

Um deputado da bancada da bala chamou Jean Willys de “escória” e destruidor da família e foi acusado, por ele, de assistir filmes pornô durante a sessão e carregar vários processos nas costas. O incidente levantou os deputados. Por pouco não chegaram a estapear-se.

Quando os ânimos foram serenados em parte, Clarissa Garotinho (é isso aí, adotou como sobrenome o apelido do pai) acusou Cunha de boicotá-la, afrontou-o com frases como “eu te conheço” e a seguir, num lance de guerrilheira, levantou um cartaz feito à mão com dizeres “Fora Cunha” bem atrás de Cunha, de modo a ser enquadrado pela TV Câmara.

No meio da briga entre incendiários e bombeiros, Heráclito Fortes, sem perceber a ironia, vociferava contra “os irresponsáveis” que tinham exigido e depois revogado a obrigatoriedade de extintores de incêndio em automóveis, dando prejuízo aos que o adquiriram.

Esqueceu-se de sugerir que sejam arrematados pela Câmara, que é onde fazem mais falta.

https://www.brasil247.com/pt/blog/alex_solnik/202978/Fanáticos-do-impeachment-têm-nova-tática-confronto.htm

Sílvio Costa chama Cunha de bandido, corrupto, criminoso e psicopata

 

:

29 de Outubro de 2015 às 18:25

Pernambuco 247 - O vice-líder do governo na Câmara, deputado federal Sílvio Costa (PSC-PE), chamou o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de "bandido", "psicopata", "corrupto" e criminoso. Afirmações do parlamentar aconteceram após ele ter sido informado por jornalistas que Cunha disse que ela era "uma piada".

"Eu sou uma piada e ele é um bandido que já está com passagem comprada para Curitiba", disparou Sílvio Costa. A referência sobre a capital paranaense se deve ao fato de que é em Curitiba onde correm os processos da Operação Lava Jato, que investiga casos de corrupção e desvios na Petrobras.

O presidente da Câmara é acusado de ter recebido propina de US$ 5 milhões do esquema investigado na estatal, além de manter contas secretas no exterior em seu nome e no de familiares.

"Não tenho conta na Suíça, não sou corrupto", afirmou Costa. "Não tenho medo de Eduardo Cunha", disse. "Ele tem que sair. Esta Casa não pode continuar com este criminoso. Ou este cara é doente, ou é psicopata ou está brincando com o País", afirmou o parlamentar ressaltando que não estava falando em nome do governo.

https://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/203063/Sílvio-Costa-chama-Cunha-de-bandido-corrupto-criminoso-e-psicopata.htm

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

JOVEM TRAFICANTE É ASSASSINADO EM PREÁ, MUNICÍPIO DE CRUZ

 

clip_image002

Cruz. Na noite de quarta-feira, 28, vários homens encapuzados chegaram à residência de Carlinhos, 32, na periferia da Comunidade do Preá, por volta de 19hs, identificaram-se como sendo compradores de drogas, conseguiram entrar, renderam a mulher e colocaram no banheiro, amarraram Carlinhos, levaram para um quarto, torturaram e esfaquearam.

clip_image004

Carlinhos é natural da vizinha Comunidade de Formosa, Município de Cruz, mas, há mais de 20 anos que a família havia se mudado para Fortaleza.

Carlinhos e seu irmão Josiel enveredaram para o submundo do tráfico e passaram a residir em Preá. O irmão foi assassinado em Fortaleza aos 21 anos e Carlinhos foi prezo em Cruz.

Após ganhar liberdade, Carlinhos continuou comandando do tráfico em Preá onde construiu uma grande casa residencial e morava com uma mulher da vizinha comunidade de Cavalo Bravo.

Há informações de que um veículo de cor preta estava circulando na comunidade próximo do local da residência há algum tempo. Não se sabe ao certo quantas pessoas faziam parte do grupo de execução, pois, dois encapuzados adentraram à residência, mas eles se comunicavam com outras pessoas que havia ficado do lado de fora da residência.

Durante um bom tempo dois homens, um usando sandálias e o outro usando tênis, circularam pelos terrenos vizinhos à residência.

Segundo relatos de vizinhos, Carlinhos havia comentado que algo estava para acontecer: uma queda de moto ou alguém o procurando, pois, estava sentindo uma sensação estranha (SIC).

O corpo foi resgatado pelo IML no início da madrugada e levado para Sobral.

Um crime bárbaro com muita crueldade que agitou a comunidade de Preá e não se fala em outro assunto nas rodadas de conversa.

Dr. Lima

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Reunião Plenária de Ufologia

 

CENTRO SOBRALENSE DE PESQUISA UFOLOGICA

Próxima Reunião do CSPU acontecerá em 30/10/2015

Pauta: Uma análise em profundidade dos Casos: A Batalha de Los Angeles e O Chupa Chupa da Ilha de Colares.

Abertura: 19hs Abertura com Jacinto Pereira.

Informes e depoimentos: Como o caso acontecido em Santa Quitéria no dia 28/09/2015. A palavra facultada a todos.

Palestra: Casos Clássicos da Ufologia Mundial: A batalha de Los Angeles e Operação Prato.

Palestrante: Jacinto Pereira de Souza

O local: O local: Sala l da CDL de Sobral, que fica situado na Rua Dr. João do Monte 826, no Centro, Sobral – CE. Acontecerá a partir das 19 horas e a entrada é franca.

Você está convidado. Maiores informações pelo 88 999210172 ou pelo jacintops@yahoo.com.br .

Lá você poderá encontrar pessoas que gostam de Ufologia. Dentre eles: Denílson Pereira, Danúsio Melo, Daniel Alves, Claudio Dias, Jander Magalhães, David Mendes Manoel Segismundo, Elenilton Roratto, Lindelaine; Célio Cavalcante, Hermínio Siqueira, Charles Miller, Edilson Siridó, Mendonça Rodrigues, Romão Silva, Edvar Moura, Franklin, Marcelo, Gilberto; Lindelano Faustino e tantos outros.

Um abraço a todos

clip_image002[4]

Jacinto Pereira

terça-feira, 27 de outubro de 2015

O malabarismo da mídia para esconder a liderança de Lula no Ibope

 

por : Paulo Nogueira

Caçado e na ponta

Caçado e na ponta

Estava aqui me divertindo com o malabarismo da mídia para esconder o excelente número de Lula no Ibope desta segunda.

A informação realmente importante é que 23% disseram que votariam com certeza em Lula em 2018. Aécio, o segundo colocado, ficou oito pontos atrás.

Quer dizer.

Com toda essa caçada a Lula promovida pela mídia, eis que ele está com larga margem na frente.

Um dos raros bons jornalistas políticos do Estadão, José Roberto Toledo, disse tudo: “Está explicado por que o fantasma do terceiro mandato assombra a oposição.”

A pesquisa é uma brutal cacetada na imprensa e em seus colunistas. O grau de persuasão de jornais, revistas e articulistas é pateticamente baixo.

Lula era para estar abaixo de zero, se a voz da mídia fosse levada a sério pela sociedade.

Particularmente, não me impressiono, dada a ruindade de classe mundial da imprensa brasileira e seus colunistas.

Você imagina o que vai acontecer quando Lula estiver, de fato, em ação.

Pense como seria um debate entre ele e Aécio.

Se a direita brasileira fosse inteligente, veria que o caminho é outro para conquistar corações e votos.

O brasileiro não é idiota, mas é tratado como tal por jornais e revistas.

Agora mesmo na pesquisa.

Para fugir dos 23% de Lula, o Globo deu no título sua rejeição de 55%.

Mas um momento.

A rejeição de Marina, a boazinha, subiu de 30% para 50% em um ano. A de Serra, com ele mudo, está em 54%. A de Alckmin, em 52%.

E Aécio já chegou a 47% de rejeição, cinco ponto mais do que ele tinha na época da eleição em que foi derrotado.

Leia-se assim: tudo que Aécio conseguiu, nesta louca cavalgada pelo golpe, é ser mais rejeitado entre os brasileiros.

Mas a notícia do dia, e da pesquisa, é Lula.

A mídia vai continuar a tentar matá-lo.

Lula é, no entanto, desde já, o favorito disparado para 2018.

(Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui).

Paulo Nogueira

Sobre o Autor
O jornalista Paulo Nogueira é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.

A Bancada da Bala vai ser a maior no Congresso

Comissão da Câmara aprova uso de armas por parlamentares

 

Do Estadão:

Uma comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira, 27, por 129 votos a favor e 8 contra o texto-base do projeto que revoga o Estatuto de Desarmamento. O relatório cria em seu lugar o Estatuto de Controle de Armas de Fogo e assegura a todos os cidadãos, a partir de 21 anos, o direito de possuir e portar armas, para defesa própria e do patrimônio, bastando cumprir requisitos legais. Deputados e senadores poderão andar armados e pessoas que respondem a inquérito policial ou processo criminal também poderão ter porte.

A autorização para compra de armas baixa de 25 para 21 anos. Atualmente, o Estatuto do Desarmamento estabelece que é preciso justificar a necessidade de ter uma arma, o que é analisado pelas autoridades e pode ser negado. Os destaques serão votados na terça-feira, antes da análise em plenário.

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/comissao-da-camara-aprova-uso-de-armas-por-parlamentares/

Pimenta: ao editar Zelotes, Globo foi “criminosa”

 

:

Deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), que é relator da subcomissão na Câmara que apura o escândalo de corrupção no Carf, denunciou nesta terça-feira 27 a manipulação da imprensa na cobertura da Operação Zelotes; em nova fase deflagrada ontem, a Polícia Federal fez buscas na empresa de um dos filhos do ex-presidente Lula, Luis Claudio Lula da Silva; segundo Pimenta, a Rede Globo "mentiu descaradamente" ao informar que a Zelotes é uma operação para investigar compra e venda de Medidas Provisórias para o setor automobilístico; “A edição dos telejornais da Rede Globo foi criminosa”, protestou; “Estão forçando a barra para dizer que houve pagamento a uma empresa do filho do Lula”, acrescentou; foco da Zelotes, esclarece Pimenta, é a atuação de supostos sonegadores, incluindo o grupo RBS, afiliado da Globo no Rio Grande do Sul

27 de Outubro de 2015 às 16:46

Rio Grande do Sul 247 - O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) denunciou nesta terça-feira 27 a manipulação da imprensa ao noticiar a Operação Zelotes, do Ministério Público e da Polícia Federal. Em nova fase da investigação nesta segunda, os policiais fizeram busca em duas empresas de um dos filhos de Lula, o empresário Luis Claudio Lula da Silva.

Segundo Pimenta, a Rede Globo "mentiu descaradamente" em seus telejornais ao dizer que a Zelotes é uma operação para investigar compra e venda de Medidas Provisórias para o setor automobilístico.

"A edição dos telejornais da Rede Globo foi criminosa", protestou Pimenta. "Estão forçando a barra para dizer que houve pagamento a uma empresa do filho do Lula, mas se esquecem de um detalhe importante: a MP 471 foi editada em 2009, e empresa do filho do Lula só foi criada em 2011. E não dá para vincular a MP a contrato que só iria ocorrer em 2014 e um pagamento realizado em 2015, seis anos depois. Não faz sentido relacionar o contrato do filho do Lula com a MP", afirmou o deputado.

O deputado detalhou que a investigação apura um esquema criminoso de sonegação fiscal que provocou prejuízo aos cofres públicos da ordem de R$ 21 bilhões, um esquema para reduzir valor de multas envolve conselheiros do Carf e grandes empresas, a maior parte delas anunciantes da mídia brasileira. Entre as empresas, o parlamentar lembrou que há uma do setor de comunicação, a RBS, afiliada da própria Rede Globo e que é acusada de praticar corrupção.

Pimenta lembrou que a Zelotes, desde que foi deflagrada, sempre foi escondida pelos jornais brasileiros, já que é um escândalo que envolve, justamente, o poder econômico que a mídia atua para proteger. Agora, "criaram essa história sem pé nem cabeça para atingir o ex-presidente Lula na véspera do seu aniversário", acusou. Ontem, o deputado chamou a ação contra o filho de Lula de "factoide" (leia mais).

Pimenta destacou ainda que "estranhamente" e de forma "privilegiada" a imprensa teve acesso aos documentos da 4ª fase da Operação Zelotes, enquanto ao advogado de defesa de Luis Claudio Lula da Silva, que ficou plantado em frente à Polícia Federal desde as 8h30 desta segunda-feira, o acesso aos autos foi negado (leia mais).

http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/202704/Pimenta-ao-editar-Zelotes-Globo-foi-%E2%80%9Ccriminosa%E2%80%9D.htm

Investigações são medo de Lula voltar em 2018

 

:

Líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE) fez uma defesa contundente do ex-presidente Lula nesta terça-feira, 27, sobre as investigações da Operação Zelotes, que investiga empresas de um dos filhos do petista; "É o medo de Lula voltar em 2018. Tudo o que acontece com o presidente Lula vira manchete. Não tem nenhuma acusação contra ele. Tem tanta gente acusada que fica perambulando pelo país", disse o deputado; para Guimarães, "o legado dele é de muita honradez"; "Ninguém fez tanto pelo Brasil e pelos pobres quanto o presidente Lula"

27 de Outubro de 2015 às 15:03

247 - No dia em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva completa 70 anos, o líder do governo Dilma Rousseff na Câmara, José Guimarães (PT-CE), fez uma defesa contundente do petista, sobre as investigações da Operação Zelotes, que investiga empresas de um dos filhos do ex-presidente.

"É o medo de Lula voltar em 2018", disse. "Tudo o que acontece com o presidente Lula vira manchete. Não tem nenhuma acusação contra ele. Tem tanta gente acusada que fica perambulando pelo país", disse Guimarães nesta terça-feira, 27. 

Para Guimarães, "o legado dele é de muita honradez" e que "ninguém fez tanto pelo Brasil e pelos pobres quanto o presidente Lula".

José Guimarães disse que o Planalto espera votar até a manhã de quinta-feira, 29, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a Desvinculação de Receitas da União (DRU).

Temas polêmicos como a extensão da desvinculação a Estados e municípios devem ser colocados em discussão apenas na comissão especial que tratará do assunto tão logo o texto saia da CCJ. "A Câmara está votando e saiu da pauta negativista da oposição", disse Guimarães.

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/202674/'Investiga%C3%A7%C3%B5es-s%C3%A3o-medo-de-Lula-voltar-em-2018'.htm

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Sem impeachment à vista, golpismo aperta o cerco sobre Lula

 

alvo2

É preciso ter nervos de aço, dentes à mostra e muita cabeça.

Tornou-se evidente que, depois que se foi afastando a possibilidade de impeachment de Dilma – primeiro, com a rearticulação com o PMDB; depois, com a desmoralização de Eduardo Cunha – a mira do golpismo brasileiro voltou-se quase que exclusivamente para um único alvo: Lula.

A “batida” policial no escritório de um de seus filhos é só um pedaço de uma ofensiva iniciada há algum tempo e que não vai parar, porque há um nítido ânimo – talvez seja melhor chamá-lo de obsessão – no Ministério Público e na Polícia Federal para “pegar o Lula”, seja lá por que for, como for e por meio de quem for.

E sempre, ou quase sempre, numa família ou num círculo de amigos, auxiliares ou simples conhecidos quem tenha feito, com o perdão da expressão, “alguma cagada”. Seja em relação a Lula, a mim, ao Zé ou ao Antônio.

A parentalha da direita, claro, faz o que quer e bem entende, porque os nossos guapos “homens de preto” não lhes dão a menor bola.

A ilusão das “instituições republicanas” numa sociedade rachada de forma abismal como a nossa transforma-se numa politização desabrida, segundo o corte de classe dos seus integrantes. Devidamente concursados e fartamente remunerados – inclusive com penduricalhos de escassíssima moralidade – , vão nos livrar destes “inferiores e ladrões” da política.

Os da esquerda, claro, porque os da direita estalavam os dedos e mandavam tudo para as gavetas.

E depois, há uma vantagem: não é preciso provar nada. Basta ter feito um contrato qualquer com qualquer um que tenha se metido em maracutaias para que seja exposto como provável ladrão.

As provas, ah, estas ficam para daqui a um ano, quando as “sentenças” já tiverem transitado na opinião pública.

http://tijolaco.com.br/blog/sem-impeachment-a-vista-golpismo-aperta-o-cerco-sobre-lula/

Lula, o psicografado, no país da meganhagem

 

Por Fernando Brito · psicho

Virou moda, agora, publicarem-se as coisas mais estranhas sobre Lula sem o pudor, sequer de registrar se ele confirma, nega ou, até, recusa-se a comentar.

Basta que “aliados” – que é como a Folha chama, várias vezes, os supostos interlocutores de Lula – falem algo que “se non è vero, è bene trovato”e. claro, ajudem a colocar o ex-presidente em alguma situação de desgaste ou conflito. Muy amigos…

Há alguns dias, foi o “acordo” com Eduardo Cunha, do qual Lula foi avisado pela imprensa.

Hoje, a irritação com Dilma, a quem responsabilizaria pela ação policial contra o escritório de seu filho, Fábio Luiz.

Que Lula fique indignado com a invasão do escritório do filho é obvio, não conheço um que não ficasse com este tipo de ação sobre seu filho sabendo que é contra o pai que se age.

Dai ém diante. a lenda: Lula sabe perfeitamente que Dilma não tem controle sobre o Ministério Público, o que faria ser uma absoluta ilusão que ele ou ela pudessem determinar o que fariam os promotores que, inclusive, neste caso do escritório de Fábio, foram os que o incluíram – combinados ou não com a PF – na Operação Zelotes, com a qual nada disso tem relação.

Obvio que já saiu a milésima nota do Instituto desmentindo mais uma “reportagem psicografada”, que a Folha coloca, claro, lá no final da matéria, porque não dá a menor importância ao que diz quem ela diz que disse o contrário.

Se não tem confirmação, daria, no máximo, uma notinha nas “colunas” de política que sucederam as antigas “colunas sociais”. Aquilo que no meu tempo a gente chamava de “cesta página” – cesta mesmo, não sexta, porque designava aquele cilindro de lata para papéis inservíveis.

Mas é interessante especular sobre a matéria.

Primeiro é a fixação em chamar de “aliados”. Não são amigos, não são companheiros de partido, não são assessores. São “aliados”, em oposição aos ” assessores presidenciais”.

Como todo bom boato, nasce de algo real e óbvio: a inapetência e a abulia com que José Eduardo Cardozo se comporta com tudo que se passa na área que deveria estar sob sua autoridade, que é apresentada como motivo de irritação de Lula.

Daí, porém, partem para uma teoria estrambótica de que seria uma orientação para “entregar Lula” como forma de “livrar Dilma”.

Será que existem tantas cabeças microcéfalas – existem, não viram o Rodrigo Constantino apontando um videogame americano como doutrinação comunista? – que acreditam que Dilma resistiria dois meses no Governo com o êxito de um plano para lançar Lula à desgraça?

Mas o pior, o pior de tudo é ver a política e o país sendo dirigidos pela meganhagem do MP e da PF, que vão enfiando suspeitas aqui e ali, onde der, com claríssimos objetivos políticos.

Estamos quase chegando ao ponto em que democracia será abolir o voto para governador e presidente e fazer eleições para delegado e promotor.

http://tijolaco.com.br/blog/lula-o-psicografado-no-pais-da-meganhagem/

Factoide com filho busca usar Operação Zelotes contra Lula

 

Lula na Feira do MST - Joka Madruga

Paulo Pimenta denuncia mais um “factoide” para atingir ex-presidente Lula com Operação Zelotes

Brasília 26/10/2015

Vania Rodrigues, no PT na Câmara

Não existe qualquer vínculo entre as questões investigadas pela Operação Zelotes, que apura denúncias de corrupção Conselho de Administrativo de Recursos Fiscais – Carf, e a empresa Touchdown de Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula.

A afirmação é do deputado Paulo Pimenta (PT-RS), relator da subcomissão especial da Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara e que acompanha a Zelotes desde o seu início. “É um factoide claramente com a intenção de criar mais um fato político para atingir o ex-presidente Lula às vésperas do seu aniversário de 70 anos”, enfatizou.

O deputado do PT gaúcho lembrou que as investigações da Operação Zelotes começaram em março deste ano e envolvem mais de R$ 20 bilhões. “Essa mega- investigação até hoje vinha ocorrendo em segredo de justiça e em duas oportunidades a Polícia Federal e o Ministério Público Federal fizeram 26 pedidos de prisão contra grandes sonegadores, escritores de advocacia e de consultoria e todas elas foram negadas. E, agora, estranhamente, às vésperas do aniversário do ex-presidente Lula, sem qualquer fundamento e em uma ação de caráter espetaculoso, fazem busca nas empresas de seu filho”, criticou Paulo Pimenta.

O deputado acrescentou que esses factoides aparecem em momentos importantes para o Partido dos Trabalhadores como forma de disseminar o ódio contra o PT. Foi assim no episódio de detenção do João Vaccari, às vésperas da comemoração dos 30 anos do partido em Belo Horizonte, e do Zé Dirceu, às vésperas do Congresso do PT, na Bahia. “Isso não é uma coincidência, a utilização destas datas tem claramente um objetivo: atingir o PT, disseminar o ódio contra o partido”, reforçou.

Paulo Pimenta fez questão de afirmar que “nós temos muita confiança no presidente Lula, sabemos que ele não tem nenhum tipo de envolvimento, qualquer irregularidade, refutamos e vamos denunciar mais essa tentativa de criminalizar”. Ele acrescentou ainda que teve a oportunidade de questionar o Ministério Público Federal e a Polícia Federal sobre a Zelotes. “E eles me asseguraram, categoricamente, que não existe qualquer investigação na Zelotes que envolva o presidente Lula e a sua família”.

Nota de esclarecimento – O deputado Paulo Pimenta citou ainda nota divulgada pelo advogado das empresas do filho de Lula que assegura que “Touchdown e a LFT jamais tiveram qualquer relação, direta ou indireta, com o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais”.

“A empresa alvo da PF nesta segunda, organiza o campeonato brasileiro de futebol americano, torneio que reúne 16 times, incluindo Corinthians, Flamengo, Vasco, Botafogo, Santos e Portuguesa. Uma atividade totalmente lícita e completamente fora do escopo da referida Operação”, diz a nota.

O deputado Paulo Pimenta explicou ainda que a LFT Marketing Esportivo, foi associada indevidamente à edição da Medida Provisória 471. A simples observação da data da constituição da empresa, segundo o parlamentar, é o que basta para afastá-la de qualquer envolvimento com as suspeitas levantadas. A MP 471 foi editada em 2009 e a LFT constituída em 2011 – 2 anos depois. “A prestação de serviços da LFT para a Marcondes & Maltone ocorreu entre 2014 e 2015 – mais de 5 anos depois da referida medida provisória e está restrita à atuação no âmbito do marketing esportivo”, ressaltou.

Paulo Pimenta lembrou ainda que a MP 471 prorrogou incentivos que foram criados a partir de uma articulação em 1999, pelo então senador Antônio Carlos Magalhães, para incentivar a instalação de fábricas automobilísticas nas Regiões Norte e Nordeste. “Em 2009, a proposta foi aprovada por unanimidade, defendida no Congresso Nacional por Tasso Jereissati (PSDB-CE), José Agripino (DEM-RN) e tendo como relator José Carlos Aleluia (DEM-BA)”, enfatizou.

http://www.viomundo.com.br/denuncias/pimenta-factoide-com-filho-e-para-usar-operacao-zelotes-contra-lula.html

Prascidelli critica silêncio do PSDB sobre confissão de FHC de que sabia de corrupção na Petrobras

 

valmirPrascidelli

O deputado Valmir Prascidelli (PT-SP) criticou hoje (23) o silêncio do PSDB e dos partidos oposicionistas aliados a ele em relação à confissão feita pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de que sabia de esquemas de corrupção na Petrobras desde 1996 e nada fez para apurá-los. “Podemos dizer que, ou ele prevaricou, ou pactuava com aquela corrupção e protegia alguém”, afirmou Prascidelli, em artigo. A confissão de FHC foi feita em seu livro Diários da Presidência, que acaba de ser lançado.

Prascidelli criticou a oposição por não ter assinado o relatório final da CPI da Petrobras, concluída nesta semana, e observou que os esquemas de corrupção que vêm sendo investigados agora, durante o governo Dilma, podia ter sido desfeitos há quase vinte anos, se FHC não se omitisse. Portanto, observou o que existe hoje não é o “maior esquema de corrupção da história do País”, como afirma a oposição, mas é sim um dos maiores escândalos de corrupção do Brasil “que está sendo apurado e investigado”.

O petista enumerou vários escândalos de corrupção ocorridos durante o governo FHC (1995-2002) que foram colocados debaixo do tapete, tais como o Sivam, a pasta rosa, o Banestado (evasão de divisas da ordem de US$ 32 bilhões), a compra de votos, em 1997, para a reeleição de FHC, a privataria nas teles, o mensalão tucano em Minas Gerais. E mais recentemente, disse Prascidelli, o cartel do Metrô de São Paulo e a atuação de tucanos na CPI do Cachoeira, no Congresso Nacional, para que os integrantes do governo do PSDB em Goiás não fossem indiciados.

Leia a íntegra do artigo:

A CPI E OS PALADINOS DO ENTREGUISMO

Valmir Prascidelli (*)

A CPI da Petrobras chega ao final depois de ter ouvido 132 pessoas entre investigados e testemunhas. Nos oito meses de trabalho, foram realizadas 56 reuniões ordinárias, três visitas técnicas a sedes da empresa, duas missões a Curitiba (PR) e uma diligência a Londres, na Inglaterra.

O debate ocorrido na CPI não foi entre os que queriam apurar irregularidades na estatal e os que preferiam escondê-los. Acima de tudo, foi um debate político, entre os que têm clareza sobre a importância da Petrobras para a soberania nacional e aqueles que, no governo FHC, tentaram privatizá-la e que agora têm projetos no Congresso Nacional para entregá-la ao capital internacional.

O relatório do deputado Luiz Sérgio (PT-RJ) deixa bastante claro qual é a importância que a empresa teve para o Brasil, ao longo da sua história e, acima de tudo, qual a importância que ela terá, no futuro, para o desenvolvimento do país, especialmente a partir da descoberta do Pré-Sal.

É claro que a Câmara dos Deputados é uma Casa política; que as discussões são acaloradas e que os ataques ao governo federal e ao Partido dos Trabalhadores são fruto dessas disputas partidárias.

Escândalos tucanos - Os deputados da oposição, em especial do PSDB, que gostam de posar de paladinos da Justiça, classificam o escândalo da Petrobras como “o maior da história do Brasil”. Creio sinceramente que este pode ser de fato o maior escândalo de corrupção da história do Brasil que está sendo apurado e investigado. Provavelmente esse escândalo não aconteceria se, em 1996, o então presidente Fernando Henrique Cardoso tivesse tomado providências ao ser informado de que havia corrupção na estatal.

Esse fato não é nenhuma denúncia de algum petista, mas é reconhecido pelo próprio Fernando Henrique, em seu livro Diários da Presidência, que acaba de ser lançado. Ora, nós podemos dizer que, ou ele prevaricou, ou pactuava com aquela corrupção e protegia alguém. Os deputados do PSDB que acusam o PT de ter institucionalizado a corrupção na Petrobras se esquecem desse detalhe revelado pelo ex-presidente.

No livro, FHC explica que não apurou as denúncias de corrupção para não atrapalhar a aprovação da lei que instituiu o Conselho Nacional do Petróleo e do decreto 2.745, que simplifica o processo de licitações da estatal e hoje é criticado pelo PSDB. Se isso não foi prevaricação, não sei o que é...

Tucanoduto - Nenhum dos escândalos do PSDB foi apurado. Nem os velhos, como o Sivam, a pasta rosa, o Banestado, a compra de votos para a reeleição, a privataria nas teles, o mensalão tucano em Minas Gerais; nem os novos, como o cartel do Metrô de São Paulo. Sem falar na CPI do Cachoeira, quando o PSDB trabalhou para que os integrantes do governo de Goiás não fossem indiciados. Então, o desvio de verbas da Petrobras pode ser o maior escândalo de corrupção que foi apurado no Brasil.

Os “paladinos da Justiça” adoram usar a palavra transparência, mas na prática agem como os censores na época da ditadura. Em São Paulo, o governo Geraldo Alckmin, do PSDB, teve o desplante de decretar sigilo por 25 anos sobre os documentos relativos às irregularidades no Metrô, ao fechamento de escolas e à precária situação da segurança pública, além dos documentos da Sabesp, que é a responsável direta pela crise da falta de água no estado.

Desde o início, a CPI da Petrobras sempre esteve um passo atrás da chamada Operação Lava Jato. Sempre foi pautada pela imprensa, muitas vezes por meio de vazamentos seletivos e por escutas clandestinas e irregulares, assumidas aqui por delegados da Polícia Federal.

Nessa CPI, alguns partidos tiveram atuação muito mais política do que técnica ou jurídica. E, por vezes, ela foi impedida pela Justiça de ter acesso a documentos e de fazer algumas oitivas. Além disso, muitos deputados confundem os autos da Lava Jato com os autos da CPI.

Tortura psicológica - Na Comissão, não houve nenhuma materialidade para indiciar as pessoas que aqui foram citadas pelos delatores. Muitas vezes, os “paladinos da Justiça” do PSDB, do DEM e do Solidariedade trataram réus confessos e criminosos como heróis. Várias vezes tentaram intimidar depoentes, ameaçando-os e fazendo tortura psicológica.

Os “paladinos da Justiça” também tentam esconder que as contribuições das empresas – investigadas nesse caso – para os partidos políticos guardam uma grande similaridade. O PT e PSDB receberam valores muito aproximados, nos mesmos períodos e das mesmas empresas. Para nós é um escândalo e para eles são contribuições normais de campanha. Além da Petrobras, várias destas empresas também fazem obras para os governos estaduais do PSDB em Minas e São Paulo. Se as empresas utilizam o mesmo caixa, como separar o que é lícito do ilícito nas contribuições partidárias?

O relatório aprovado na CPI aborda exatamente aquilo que corresponde aos trabalhos da Comissão, aos documentos disponíveis e às oitivas . Além disso, apresenta um conjunto de recomendações à Petrobras, à Procuradoria Geral da República, ao Ministério da Justiça, ao Ministério de Minas e Energia.

Em relação à Câmara, o relatório apresenta propostas legislativas para governança, gestão de risco e controle interno das empresas estatais. Aponta caminhos para o necessário debate parlamentar sobre o papel da delação premiada, para que ela não seja usada parcialmente como muitas vezes vem acontecendo.

Por fim, o relatório indica caminhos para que as próximas CPIs não sejam subalternas a outras instituições e que tenha autonomia e altivez para fazer o trabalho de investigação.

Não me surpreende, portanto, o PSDB, o DEM, o Solidariedade e os demais partidos de oposição não terem aprovado o relatório.

De minha parte, parabenizo o deputado Luiz Sérgio pela coragem e serenidade, pois ele compreendeu que o papel desta CPI foi ajudar a desvendar o esquema de corrupção na Petrobras e ajudar a prepara-la para contribuir ainda mais com o Brasil.

(*) Deputado federal pelo PT de São Paulo

(Artigo publicado originalmente no site Brasil 247)

Equipe PT na Câmara

domingo, 25 de outubro de 2015

Bumlai nega pagamentos a qualquer parente de Lula

 

:

25 de Outubro de 2015 às 05:21

247 – O pecuarista José Carlos Bumlai, citado na delação premiada do lobista Fernando Baiano como beneficiário de um pagamento de R$ 2 milhões que teria como destino "uma das noras do ex-presidente Lula", negou com veemência as acusações.

O depoimento de Bumlai foi dado aos jornalistas Fausto Macedo, Julia Affonso e Ricardo Brandt (leia aqui a íntegra), em que ele admitiu ter recebido R$ 1,5 milhão, que teriam sido usados para pagar despesas de suas empresas.

"Ele fala que me deu R$ 3 milhões, depois virou R$ 2 milhões, ele até se confunde na delação. Em 2011, no mês de setembro, eu tive uma dificuldade, eu não lembro porque, dificuldade financeira. Como eu estava com aquele meu negócio que renderia um bom… eu tinha aberto um canal de conversa com o Fernando, eu pedi a ele, ‘Fernando me arruma um milhão e meio, nem três, nem dois, me arruma um milhão e quinhetos mil, eu te devolvo. Ele me arrumou, esta é a minha verdade", disse Bumlai.

O pecuarista, que apresentou os recebidos da transação, disse que, naquele momento, negociava a venda de uma usina termelétrica para o grupo EBX, do empresário Eike Batista, do qual Baiano era consultor. Diz ainda que pagou despesas de suas empresas com os recursos.

"Paguei a minha folha que no mês estava bastante atrasada.Fiquei de devolver o dinheiro para ele, tive um problema de saúde muito sério. Não tem nada a ver com a OSX, nada a ver", afirma.

Em sua delação, Baiano afirma que o pagamento foi realizado para que a empresa OSX, de Eike, fosse contratada pela problemática Sete Brasil, responsável pelas sondas do pré-sal.

Bumlai negou, ainda, qualquer favorecimento a parentes do ex-presidente Lula."Foi na minha (pessoa) física. Um negócio estruturado numa empresa, que tem o dinheiro que entrou na empresa. Fez um mútuo com a minha física. Eu tenho todas as contas que eu paguei. Não paguei conta de nora de Lula, apartamento, nada a ver. Não tenho nada a ver com isso. Não tenho. No entanto, dizem que comprei apartamento, primeiro para um filho de Lula, depois para a nora. Não comprei, não tenho nada com isso, não tenho nada. Três milhões? Não. Dois milhões? Não. Foi dessa forma, sem nada a ver com nora, neto. Eles (família Lula) nem sabem que eu estou falando isso."

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/202332/Bumlai-nega-pagamentos-a-qualquer-parente-de-Lula.htm

“Antipetismo é doença que contamina o País”

 

25 de Outubro de 2015 às 13:10

247 - O escritor e jornalista Fernando Morais reagiu, através das redes sociais, ao protesto feito contra o ex-senador Eduardo Suplicy (PT), no sábado (24), na Livraria Cultura, em São Paulo.

O ex-parlamentar foi chamado de "vergonha nacional". Ele foi hostilizado por manifestantes que foram ao local protestar contra o prefeito Fernando Haddad, que concedia uma entrevista no local. Para o jornalista, os atos contra petistas são como uma doença, "que está contaminando o país".

"Antes que comecem com esse papo de que a agressão ao Eduardo Suplicy, na Livraria Cultura, é 'coisa de paulista', vamos aos efes e aos erres. Não foi em São Paulo, mas em Belo Horizonte, que um bando de tarados fez manifestação na porta do velório do José Eduardo Dutra. Não foi em São Paulo, mas no aeroporto de Fortaleza, que um corretor de imóveis mobilizou gente para insultar o João Pedro Stédile, do MST", resgatou.

"Essa é uma doença - algo como a 'super gonorréia' que a Folha noticiou - que está contaminando todo o país. vamos acabar com essa conversa de que baiano é assim, goiano é assado, paulista é assim. A doença é nacional", criticou, ainda, Fernando Morais.

No ato ocorrido na livraria, que pode ser assistido pelo vídeo abaixo, os manifestantes gritam "Suplicy vergonha nacional", "comunista, vai estudar", entre outras frases, e têm nas mãos um boneco inflável do ex-presidente Lula vestido de presidiário. Uma das manifestantes grita: "aqui é terra de quem trabalha, é terra dos coxinhas!".

http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/202351/“Antipetismo-é-doença-que-contamina-o-País”.htm

sábado, 24 de outubro de 2015

Fim da linha para Eduardo Cunha?

 

Antonio Cruz/Ag�ncia Brasil: <p>Bras�lia - Entrevista com o presidente da C�mara dos Deputados Eduardo Cunha, que fala sobre o Impeachment da presidenta Dilma (Antonio Cruz/Ag�ncia Brasil)</p>

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sofreu duas importantes derrotas nos últimos dias. Perdeu pela primeira vez quando pediu sigilo no processo sobre suas contas secretas na Suíça e, de novo, quando o Supremo Tribunal Federal requereu às autoridades helvéticas o bloqueio de R$ 9,6 milhões, alegando que a origem dos recursos é criminosa.

Ainda não foi definitivamente contido, mas isso poderá acontecer em breve, uma vez que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, estuda pedir seu afastamento do cargo, sob a alegação de que a presidência da Câmara tem sido utilizada para travar investigações e para protegê-lo. Um pedido semelhante foi apresentado pelo vice-líder do governo, deputado Silvio Costa (PTB-PE).

Enquanto isso não ocorrer, se é que de fato ocorrerá, Cunha terá razão ao dizer que preserva as prerrogativas do cargo. Ou seja: poderá, sim, usar sua caneta para permitir a abertura de um eventual pedido de impedimento contra a presidente Dilma Rousseff, mesmo que sua assinatura possa contaminar, simbolicamente, o processo – chega a ser surreal um impeachment liderado por um político investigado e com quase R$ 10 milhões bloqueados na Suíça.

Cunha atravessa uma tempestade da qual dificilmente sobreviverá. É o capitão de um navio que já faz água por todos os lados. Ainda assim, nos seus últimos dias, ele tem acenado ao governo e a à oposição. Numa quarta-feira, recebe com pompa representantes da oposição, que lhe entregam o novo pedido de afastamento. Na quinta, afirma que as ‘pedaladas’ podem não ser suficientes para um eventual impeachment. Os dois lados evitam confrontá-lo, sem se dar conta de que o naufrágio parece ser inevitável.

http://www.brasil247.com/pt/blog/leonardoattuch/202262/Fim-da-linha-para-Eduardo-Cunha.htm

Uma tragédia histórica nas mãos de Cunha

 

:

Há um aspecto trágico na situação política brasileira. No momento em que escrevo estas linhas, o destino imediato de uma democracia conquistada com tantas dores e muitas dificuldades pode depender de um único fator. O interesse pessoal de Eduardo Cunha, deputado apanhado com R$ 23 milhões em contas secretas na Suíça, em abrir uma investigação contra Dilma Rousseff, presidente eleita com mais de 54 milhões de votos, contra a qual não se aponta o mais leve desvio de conduta.

Em função do caráter presidencialista da Câmara de Deputados, Cunha tem a prerrogativa de dar início – ou não – ao processo de impeachment. Caso resolva disparar o gatilho, como gesto à beira do abismo, cujo sacrifício inevitável se mostra cada vez mais próximo, no dia seguinte a oposição esquecerá as envergonhadas manifestações de constrangimento a respeito das denúncias contra Cunha.

Estará na rua para mobilizar seus eleitores para avançar sobre deputados e senadores para pedir a cabeça de Dilma – ou aguardar pelo troco nas próximas eleições.

O quórum qualificado de 2/3 é sempre uma garantia nessas situações. Verdade que, ao contrário do que ocorria com Fernando Collor, nada pode ser apontado contra Dilma. Convém recordar, contudo, que os humores de quem depende da simpatia do eleitor se tornam volúveis em situações de tumulto político. Traições podem transformar-se em fenômeno de massa, até porque são estimuladas pelos meios de comunicação, desde já empenhados em fazer o próprio povo vender a alma para o diabo e esquecer as regras elementares da democracia.

As contas suíças de Cunha deveriam ser um impeditivo a seus movimentos, especialmente os mais temerários do ponto de vista institucional. Severino Cavalcanti renunciou à presidência da Câmara, em 2005, uma semana depois que se comprovou que recebia suborno do dono de um quilo no Congresso, interessado em renovar contratos na casa. O cheque era de R$ 10.000. Em valores de hoje, os depósitos de Cunha na Suíça reúnem uma quantia 23.000 vezes maior.

Não estamos e nunca estivemos falando de ética, aprendemos mais uma vez.

Severino Cavalcanti foi derrubado porque, eleito como adversário, tornara-se um aliado do governo Lula.

Cunha sobrevive porque seu prêmio é muito maior: um PIB superior a US$ 2 trilhões e uma influência que se projeta por todo Hemisfério Sul. Pode entregar aquilo que Severino jamais seria capaz.

Do ponto de vista dos adversários do PT, de Lula e de Dilma, Cunha pode prestar um serviço único e, no momento, insubstituível. Eles acreditam que o presidente da Câmara é um político tão leviano e inconsequente que seria capaz de um gesto irracional, semelhante aos instintos de um assassino bestializado, capaz de cometer crimes em série porque está convencido de que não tem mais nada a perder.

Essa é a tragédia do momento.

http://www.brasil247.com/pt/blog/paulomoreiraleite/202274/Uma-tragédia-histórica-nas-mãos-de-Cunha.htm

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

NOTÍCIAS DO MUNICÍPIO DE CRUZ

 

Reunião do Território em Acaraú

Dia 14 de outubro, os membros do Núcleo Dirigente do Território Litoral Norte estiveram reunidos no Auditório da Câmara Municipal de Acaraú para tratar de vários assuntos, inclusive, a discussão dos preparativos da Conferencia Territorial de Assistência Técnica e Extensão Rural que ficou acertado que o Município de Cruz sediará a Conferência do Território dia de dezembro.

clip_image002

O Território Rural Extremo Oeste, doravante, por determinação da SEPLAG, passou a denominar-se Território Litoral Norte, reconhecido pelo Ministério desde 2014, e teve a inclusão do Município de Itarema, que pertencia ao Território do Vale do Curu.

Participaram da reunião territorial o Engenheiro Agrônomo Aurélio Magno Lopes de Oliveira representante da SDA, representantes dos Sindicatos Rurais, EMATERCE, Professor José Osmar Fonteles e vários segmentos da Organização da sociedade Civil.

A Comissão Organizadora da Conferencia Territorial de Assistência Técnica e Extensão Rural, formada para tratar da organização da Conferencia Territorial a ser realizada em Cruz, dia 03 de novembro, ficou assim constituída: João Paulo Maciel Chaves (Chaval), Ariane Franklin Chaves (Granja), Almiro Sisnande de Sousa (Martinopole), Clerto Anacleto e Rodrigues Diogo (Uruoca), Antonio dos Santos de Oliveira Lima e Carlos César de Carvalho (Cruz), Ronaldo Miranda de Oliveira e Liduina (Acaraú), José Otacílio Moraes Neto (Bela Cruz), Maria Eunice dos Santos (Marco), Pauleme Maria dos Santos Araújo (Morrinhos), Thiago Silva Bezerra (Sobral), Maria da Conceição do Nascimento e Claudia Maria Avelino (Assessoras do Território Litoral Norte).

Curso de Pães em Cavalo Bravo

clip_image004

Nutricionista Carliane - SENAR

A comunidade de Cavalo Bravo, 16 /10, distrito de Caiçara, Município de Cruz, encerrou, com grande estilo, o Curso de Produção Artesanal de Pães promovido pelo SENAR em parceria com a Secretaria de Agricultura de Cruz e a Associação de Desenvolvimento Comunitário de Cavalo Bravo.

Dezesseis alunos participaram do curso que foi orientado pela instrutora do SENAR Nutricionista Carliane Vanessa Vasconcelos que ministrou o curso alternando teoria e prática, durante quatro dias, de 13 a 16 de outubro.

clip_image006

Na solenidade de encerramento, vários produtos foram apresentados como resultado da habilidade dos cursistas que provaram ter aprendido e feito o dever de casa.

Vários tipos de bolos e pães foram degustados pelos presentes que aprovaram a boa qualidade dos produtos.

Foram convidados a participar do evento de encerramento o Secretário de Agricultura Carlos César, Vereador José Ivan Félix e o Presidente da Federação das Associações Comunitárias do Município de Cruz – FAC – Dr. Lima.

clip_image008

A Instrutora Carliane foi agraciada com uma peça de artesanato feita pelas mulheres da comunidade.

Visita à Comunidade de Iús.

Dia 19/10, estive visitando a comunidade de Iús, Município de Acaraú, para conversar com os Remanescentes dos Quilombolas da Comunidade dos Iús sobre a questão de Gênero para inclusão no Território Litoral Norte.

Uma reunião bastante proveitosa, quando tivemos a oportunidade de debater outros assuntos de interesse da comunidade.

Reunião do CONDEMA

clip_image010

Nesta terça-feira, 20, estiveram reunidos, no Auditório Municipal do Centro Administrativo de Cruz, os membros do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente – CONDEMA – que, entre outros assuntos, tratou da VIII Marcha do Vale que este ano será realizada na Cidade de Jijoca de Jericoacoara, dia 15 de novembro, com início às 15hs.

clip_image012

Os membros do Conselho receberam a certificação de posse para o biênio 2015/2017.

Estiveram presentes representantes da Organização da Sociedade Civil, Igreja, ICMbio, Prefeitura e Secretaria de Educação do Município.

O Conselho é Presidido pelo Vereador Chiquinho Sousa e Jaqueline Sousa é a Secretária Municipal do Meio Ambiente.

Reunião do Comitê de Bacia

Dia 27/10, os membros do Comitê de Bacia do Acaraú – CBH, estará participando da 38ª Reunião Ordinária no Auditório do IFCE, Centro, Sobral.

clip_image014

Kamylle - COGER

A reunião seguirá a seguinte pauta:

Situação Hídrica do Ceará, Ações de Enfrentamento da Seca, Comitê Integrado de Combate à Seca, Capacitação 2015, Calendário de Reuniões 2016, Encontro Nacional de Comitês, Ações de Revitalização do Rio Acaraú e encaminhamentos.

A Federação das Associações Comunitárias do Município de Cruz estará representada na pessoa de seu Presidente Engenheiro Agrônomo Antonio dos Santos de Oliveira Lima, membro do Comitê.

O Comitê de Bacia tem como atual Presidente o Senhor João Marcelo de Andrade Alves.

Dr. Lima