sábado, 29 de setembro de 2007

Bush autoriza envio de ajuda energética à Coréia do Norte

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, autorizou nesta sexta-feira o envio de 25 milhões de dólares em ajuda energética à Coréia do Norte, destacando que o país asiático tem respeitado até agora o compromisso de suspender suas atividades nucleares, informou a Casa Branca. "Esta decisão é coerente com o princípio de 'ação por ação' estabelecido durante as negociações a seis (Estados Unidos, Rússia, Japão, China e as duas Coréias) sobre o programa nuclear de Pyongyang, e mostra nossos esforços para suspender as atividades nucleares da Coréia do Norte", declarou Gordon Johndroe, porta-voz da Casa Branca, especificando que o envio de 50.000 toneladas de combustível pesado constitui a primeira contribuição americana a uma ajuda energética à Coréia do Norte em troca do abandono progressivo de suas atividades nucleares. "Autorizo pelo presente o envio desta assistência", disse Bush em documento oficial enviado ao departamento de Estado. A Coréia do Norte, um dos integrantes do "eixo do mal" denunciado em 2002 por Bush, entrou em 2006 no clube seleto das potências atômicas militares ao realizar um teste nuclear, e ignorou um acordo de setembro de 2005 mediante o qual aceitou abandonar seu programa atômico. Depois de voltar à mesa de negociações a seis, Pyongyang aceitou novamente, em 13 de fevereiro, renunciar às suas atividades em troca de uma ajuda energética crucial para o país, mas também de uma normalização de suas relações com a comunidade internacional e os Estados Unidos. "A República Democrática Popular da Coréia respeitou seus compromissos ao fechar suas instalações de Yongbyon", o principal centro nuclear norte-coreano, e ao autorizar a Agência Internacional da Energia Atômica (AIEA) a efetuar verificações, explicou Johndroe. Inspetores da AIEA voltaram à Coréia do Norte em julho, pela primeira vez desde 2002. Eles haviam sido expulsos quando o regime comunista se preparava para recolocar em funcionamento o centro de Yongbyon.
AFP

Escudo antimísseis dos EUA é testado com sucesso

Um míssil americano destruiu nesta sexta-feira sobre o Pacífico um outro míssil, de longo alcance, durante um teste do sistema de escudo antimísseis, informou o Pentágono. O míssil interceptor foi disparado da base aérea de Vandenberg, na Califórnia (oeste dos Estados Unidos), 17 minutos após o disparo do míssil alvo, da ilha de Kodiak, no Alasca (noroeste dos EUA), declarou um porta-voz da Agência americana de defesa antimísseis (MDA), subordinada ao ministério da Defesa dos Estados Unidos.
AFP

Beira-Mar se casa no presídio de segurança máxima

Numa cerimônia de 30 minutos, o traficante Luís Fernando da Costa, de 40 anos, o Fernandinho Beira-Mar, casou-se nesta sexta-feira, 28, com Jacqueline Alcântara de Morais, no Presídio Federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. O casamento, celebrado por um pastor evangélico, aconteceu às 14h30 - horário de Brasília, segundo o Ministério da Justiça. Além de quatro testemunhas, foi permitida a entrada da filha de Beira-mar, de 9 anos, e de um sobrinho dele, de 8. Os dois levaram as alianças. Também participaram um fotógrafo e um cinegrafista, contratados pelo casal. A união foi comemorada com taças de acrílico, refrigerante, bolo e salgadinhos. Após a cerimônia, Beira-Mar, vestido de meio-fraque, e Jacqueline, de noiva, tiveram de improvisar uma lua-de-mel nas duas horas destinadas para a visita íntima. De acordo com o ministério, houve um forte esquema de segurança, que contou com as polícias Federal e Rodoviária Federal e todos os agentes do presídio. Inicialmente, o casamento havia sido marcado para o último dia 20, mas foi adiado a pedido do casal. A pasta informou que o direito do detento casar-se no presídio está previsto na assistência religiosa, preconizada na Lei de Execução Penal.
Agência Estado

Mianmar restabelece internet à espera de enviado da ONU

O serviço de internet voltou neste sábado a funcionar em Mianmar, horas antes da chegada a Yangun do enviado especial do secretário-geral da ONU, Ibrahim Gambari, que viaja com uma mensagem de moderação e diálogo. Os habitantes do país já podem entrar na rede e enviar e-mails, o que era impossível na sexta-feira devido ao corte ordenado pela Junta Militar durante a dura repressão das manifestações antigovernamentais em Yangun. Mas alguns sites da dissidência continuam sem funcionar ou bloqueados. As informações, apesar de limitadas, e as fotos tiradas com telefones celulares e câmeras digitais mostraram ao mundo os tiros dos militares contra os manifestantes, e outras violações dos direitos humanos. "Atiraram em mim duas vezes, mas não vi quem foi. Éramos apenas pessoas normais, indo para o trabalho, e dispararam sem nenhuma razão", denunciou um cingapuriano que trabalha em Mianmar e que não quis dar seu nome para não criar problemas com a Junta Militar. Ele enviou um e-mail ao jornal "The Straits Times", de Cingapura, que publica neste sábado o relato. O cingapuriano ia de carro com sua mulher ao escritório onde trabalha, quando as forças de segurança bloquearam a rua. "Sem aviso, policiais antidistúrbios e soldados começaram a disparar contra os manifestantes", acrescentou. Pelo menos 15 pessoas morreram, cerca de 200 ficaram feridas e mais de mil foram detidas, entre elas 800 monges, desde quarta-feira passada, quando o regime militar começou a dissolver as manifestações após impor o toque de recolher e proibir as reuniões públicas. Entre os mortos há dois estrangeiros, um deles um fotógrafo japonês, e vários bonzos. Antes de sair desde Cingapura, Gambari disse que espera ter uma "visita muito frutífera" e que transmitiria ao Governo de Mianmar as mensagens do Conselho de Segurança da ONU e da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean), condenando o uso da força contra civis.
EFE

Bush ameaça vetar assistência médica para crianças pobres

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, renovou a sua ameaça de vetar um projeto de lei que amplia um programa de assistência médica para crianças pobres, apesar do amplo apoio da medida no Congresso, informou nesta sexta-feira uma fonte oficial. A Casa Branca adiantou parte do discurso que o presidente americano transmite por rádio todos os sábados, para discutir os temas prioritários de seu Governo. Bush voltou a criticar os legisladores por aprovar um aumento de US$ 35 bilhões no Programa Estatal de Seguro de Saúde para Crianças (SCHIP). Ele disse que o projeto é muito caro. A medida prevê um aumento do imposto federal sobre cigarros para financiar o programa. O atual programa de cobertura de saúde para crianças pobres vence dia 30 de setembro. A Casa Branca e o Congresso tinham chegado a um acordo para manter a assistência, com o nível atual de fundos, pelo menos até meados de novembro. Em seu discurso, Bush pediu que os congressistas busquem "uma medida mais responsável" para financiar o programa. Atualmente, a ajuda do Governo beneficia 6,6 milhões de crianças pobres. "Os líderes do Congresso ofereceram um plano irresponsável que ampliaria drasticamente o programa, além de seu objetivo original. Eles sabem que vetarei a medida. Mas foi bom, porque enquanto isso podem buscar uma medida mais responsável", disse Bush em seu discurso. Bush conversou nesta sexta-feira com a presidente da Câmara de Representantes, a democrata Nancy Pelosi, para reafirmar a sua intenção de vetar o projeto de lei, aprovado esta semana pelo Congresso. São necessários dois terços dos votos na Câmara e no Senado para derrubar um veto presidencial. O programa SCHIP foi criado para famílias que não recebem subsídios do Governo e também não ganham o suficiente para pagar um plano privado.
EFE

Amorim vê boas chances para usina de etanol em El Salvador

O chanceler Celso Amorim declarou nesta sexta-feira em San Salvador que a usina piloto para a produção de etanol que Brasil e Estados Unidos instalarão em El Salvador tem "boas perspectivas" para os três países. Amorim disse em entrevista coletiva que o Brasil "está convencido da importância dos biocombustíveis, que representaram uma verdadeira revolução no caso do Brasil, com impactos muito positivos no meio ambiente e no aspecto social". Ele afirmou que a produção de biocombustíveis, como etanol e biodiesel, gera mão-de-obra no campo, o que ajuda a melhorar as condições sociais. "Há perspectivas amplas com um acordo pioneiro envolvendo os três países. O Brasil tem a tecnologia, El Salvador entrará com a produção e os EUA, com o mercado e talvez um pouco do investimento. As perspectivas são muito boas", analisou. O chanceler salvadorenho, Francisco Laínez, informou que em outubro começarão os estudos de umas empresas do Brasil e dos EUA para "verificar os requisitos de uma usina" no país. Os resultados determinarão as datas para a instalação da central. Laínez disse que também conversou com Amorim sobre a cooperação que o Brasil pode oferecer a El Salvador em projetos sociais. O Governo salvadorenho promove o programa Rede Solidária, semelhante ao Bolsa Família brasileiro. Além disso, conversaram sobre uma visita ao Brasil do presidente salvadorenho, Elías Antonio Saca, em novembro ou dezembro. Laínez disse que Saca convidará o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a visitar El Salvador no próximo ano, quando o país ocupará a Presidência rotativa do Sistema da Integração Centro-Americana (Sica). Durante a visita, Lula poderá conversar com todos os governantes da região. O chanceler brasileiro disse que existe a possibilidade de um acordo de livre-comércio entre o Mercosul e o Sica. A idéia já foi proposta há algum tempo, e agora, acredita Amorim, as condições "estão mais maduras". Amorim afirmou ainda que "não há razão para que o Mercosul e o Sica estejam negociando com a União Européia" e que negociem entre si. Informou que também existe interesse de investidores e empresários brasileiros pelas oportunidades de negócio no país, em setores como têxteis, calçados e outros.
EFE

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

A Ditadura dos Generais ganha segunda edição em tempo recorde

Lançado no mercado editorial em abril deste ano pela editora Bertrand Brasil, o livro A Ditadura dos Generais, do escritor Agassiz Almeida, alcança a segunda edição e confirma sua grande aceitação no mercado editorial brasileiro. O sucesso da obra, que teve uma tiragem inicial de cinco mil exemplares, foi ratificado pela diretora editorial da Bertrand Brasil, Rosemary Alves, ao informar sobre a reedição: "poucos autores nacionais em livros de ensaio conseguem atingir em tão rápido espaço de tempo, a aceitação do mercado editorial no país, como Agassiz Almeida com A Ditadura dos Generais".

 Na avaliação de Rosemary, a obra pautou-se por determinados elementos que ensejaram seu sucesso: "estudo vasto e profundo acerca do militarismo na América Latina, com análise singular sobre a fenomenologia da tortura e dos mortos desaparecidos; linguagem acessível do autor em expor e abordar aquele período da nossa história; o escritor focalizou certa visão daquele contexto histórico até então desconhecido; e finalmente, expôs o drama pessoal da sua prisão nos cárceres da ditadura militar debaixo de forte carga emocional".

Diversas universidades do país e da América Latina e centros acadêmicos já adotaram o livro A Ditadura dos Generais como estudo a ser focalizado acerca do militarismo latino-americano no século XX, destacadamente, as causas que provocaram este fenômeno.

            Agassiz revolveu as raízes do prussianismo desde o século XIX na Alemanha, até o desenlace do golpe militar de 64 no Brasil e outros países da América do Sul.

            A nossa literatura de ensaio, marcada na força da linguagem de um Euclides da Cunha, Gilberto Freire, Caio Prado Junior, Nelson Werneck Sodré e um Celso Furtado, ressentia-se atualmente de estudos aprofundados da problemática brasileira, como a ideologia das elites e o do militarismo, compendiados nos livros A República das Elites (Bertrand Brasil, 2004) e, recentemente, A Ditadura dos Generais

ENTREVISTA COM AUTOR:

Como o sr. recebe a notícia dessa segunda edição?

Agassiz: É muito lisonjeiro para nós este fato da segunda edição do livro em tão pouco tempo (menos de cinco meses), sobretudo pela avalanche de autores estrangeiros que atualmente dominam oitenta por cento do mercado editorial do nosso país.

A Ditadura dos Generais segue o ritmo de sucesso de A República das Elites, seu livro anterior; a que o sr. credita esse sucesso? Seria à linguagem que o senhor adota?

Agassiz: Em ambas as obras, procurei visualizar certos aspectos da realidade brasileira até então desconhecidos. Em A República das Elites desmistifiquei o intelectualismo no país, sempre de pires na mão diante do poder, seja político ou econômico. A Ditadura dos Generais aponta as causas como o militarismo se desencadeou, chegando em alguns países latino americanos, como Argentina, Chile, Brasil e outros, a assumir a cara do nazifascismo, sobretudo com as torturas difamantes e os desaparecimentos dos mortos.

O sr. acredita que A Ditadura dos Generais possa alcançar o patamar de um clássico, tipo Os Donos do Poder, de Raimundo Faoro?

Agassiz: É muito cedo para uma análise desse tipo, apenas com quatro meses de publicação. Será muito gratificante para mim se algum dos meus livros alcançar a condição de um clássico.

Como o sr. avalia a questão dos direitos autorais; estão sendo cumpridos por parte da editora?

Agassiz: Nada tenho a reclamar, pelo contrário, tenho a elogiar a editora Bertrand Brasil que cumpre religiosamente os direitos autorais, pagando pontualmente os compromissos financeiros que firmou com este autor.

Elinaldo Rodrigues - Assessor de Imprensa

(83) 9101-7169

Mais informações:

João Eduardo Veiga  (Coordenador de Comunicação da Editora Bertrand Brasil)

(21) 2585-2074

Cid se desculpa em nome da PM e pede ao Ministério Público que entre no caso

O governador Cid Gomes (PSB), acompanhado do secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, Roberto Monteiro, visitou, nesta quinta-feira, Denise Campos, mulher do italiano Inocenzo Brancati, que é amigo do espanhol Marcelo Ruiz, atingido por um tiro em operação desastrosa da PM. Ruiz, que chegava para visitar amigos cearenses, ficará paraplégico. O caso ocorreu na noite da última quarta-feira à noite, na Avenida Alberto Craveiro, durante perseguição da polícia a assaltantes que roubaram um caixa eletrônico da sede da Emlurb. Policiais confundiram os carros e metralharam a Hilux onde estavam Marcelo Ruiz e amigos.

Cid Gomes pediu desculpas em nome do Estado e ouviu a versão da família. Prometeu providências enérgicas para resolver o caso. Dois delegados cuidarão do inquérito e 10 PMs foram afastado e se submeterão a exames psicológicos, entre as primeiras providências adotadas.

Na manhã desta sexta-feira, participando de audiência pública da Comissão Especial Mista de Impactos Climáticos do Congresso, na Assembléia Legislativa, o governador pediu desculpas públicas também ao Embaixador da Espanha e disse ter pedido ao Ministério Público que também acompanhe a apuração do episódio.

O POVO

Polícia fere 3 pessoas por engano

Cerca de 25 marcas de balas de pistolas e metralhadora. Manchas de sangue espalhadas pelo interior de uma Hilux preta. As imagens retratam o terror que dois casais viveram na noite de ontem, na avenida Raul Barbosa, no bairro Dionísio Torres, quando o veículo em que eles trafegavam foi confundido pela Polícia com a camionete de um grupo de assaltantes. Três dos quatro ocupantes do carro saíram feridos. O espanhol Marcelino Ruiz Pompeu, 38 anos, foi baleado e pode ficar paraplégico. O italiano Inocenzo Brancatio, 39, que conduzia a Hilux, teve o antebraço fraturado por um dos disparos. Inocenzo e a mulher, identificada como Denise Campos, residem no Ceará e haviam se dirigido ao Aeroporto Internacional Pinto Martins para receber um casal de amigos que vinha da Espanha: Ruiz e a mulher, conhecida apenas como Mar. Na volta do aeroporto, os casais foram abordados pela PM. De acordo com a Polícia, sete policiais ordenaram que a Hilux, com vidros 100% fumê, parasse para uma abordagem. A suspeita era a de que o veículo seria conduzido por um grupo de assaltantes que, momentos antes, havia roubado o caixa-eletrônico do Banco do Brasil localizado no interior da Empresa Municipal de Limpeza e Urbanização (Emlurb), no bairro do Passaré. O cerco policial teve início a partir da denúncia de moradores do bairro Castelão. Segundo o relato de testemunhas, uma Hilux preta teria deixado cair um caixa-eletrônico ao passar em velocidade por uma lombada na avenida Alberto Craveiro, no Castelão. A descrição do veículo feita à PM conferia com o veículo metralhado na Raul Barbosa. Somente depois da abordagem desastrosa, no Dionísio Torres, é que a Polícia recebeu a informação de que o veículo dos assaltantes seria uma camionete S-10, que foi encontrada abandonada no Passaré. De acordo com o supervisor de Policiamento da Capital, major PM Ricardo Moura, a Hilux abordada era a errada, mas o procedimento adotado pelos policiais foi o correto. "Os policiais mandaram que a Hilux parasse por duas oportunidades. A primeira foi no semáforo da (avenida) Murilo Borges e a outra foi aqui (Raul Barbosa, nas proximidades da avenida Pontes Vieira)", ressaltou o supervisor. Os policiais da torre de observação da avenida Rui Barbosa avistaram um veículo com as mesmas características e deram ordem para que os ocupantes descessem. Eles não teriam atendido à ordem a acelerado o carro. Os policiais passaram a atirar e, 300 metros à frente, o veículo parou. Quando a Polícia percebeu o erro, socorreu os ocupantes. O POVO apurou no local da abordagem que os policiais envolvidos no tiroteio poderão responder por lesão corporal grave, caso as investigações apontem a ocorrência de uma falha no procedimento. Um policial chamou a atenção para o fato de que as marcas de balas na Hilux foram feitas de trás para a frente do veículo. Outro fato que poderia contribuir para uma precipitação dos policiais foi o local da própria abordagem, a avenida Raul Barbosa, conhecida como a "avenida da morte". (Colaboraram Rafael Luis, Marcos Cavalcante e Janayde Gonçalves) COMO ACONTECEU Assaltantes levam um caixa-eletrônico do Banco do Brasil do interior da Emlurb. Eles fogem em uma Hilux preta, que testemunhas confundiram com uma Hilux. O caixa-eletrônico cai da caçamba do veículo, ao passar em velocidade por uma lombada na avenida Alberto Craveiro, na Bela Vista. Moradores avisam à Polícia. Policiais abordam uma Hilux preta que vinha do aeroporto com dois casais em seu interior. Na avenida Raul Barbosa, no bairro Dionísio Torres, o veículo é metralhado. Três ocupantes ficam feridos.

O POVO

Inflação não compromete economia e trajetória de queda nos juros

O aumento da inflação nos últimos meses não comprometerá a tendência de crescimento da economia brasileira e a trajetória de queda da taxa Selic (a taxa básica de juros da economia, atualmente, em 11,25% ao ano), avalia o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho. “Os fatores que fizeram a inflação subir são transitórios. Têm mais a ver com custos de alimentação. E isso, por sua vez, refletindo a subida de preços de produtos agrícolas no mercado internacional. Essas pressões parecem já estar arrefecendo”. Segundo ele, o Banco Central (BC) tem sido "competente" no controle da inflação, "de tal maneira que a taxa de juros poderá continuar caindo”. Coutinho participou hoje (27) da abertura do Fórum Especial promovido pelo Instituto Nacional de Altos Estudos(Inae). O fórum foi realizado na sede do BNDES, no Rio.
Agência Brasil

Nascem os gêmeos gestados pela avó em Pernambuco

Antonio Bento e Vítor Gabriel nasceram na tarde desta quinta-feira, 27, em uma maternidade particular do Recife, de parto cesariano, com saúde. "Sou uma mulher realizada", afirmou Michelle, a mãe dos bebês que se desenvolveram no útero da sua mãe, avó das crianças, Rozinete Almeida Serrão, de 51 anos. Abraçada ao marido, Antonio de Brito, ela não cansava de olhar os filhos no berçário, pouco depois do nascimento. Com uma medalha de Nossa Senhora das Graças presa à camisa, Antonio mal conseguia se expressar. "Estou em êxtase", resumiu. Antonio Bento foi o primeiro a nascer, às 14h32, medindo 46 centímetros e pesando 2,41 quilos. Vítor Gabriel veio em seguida, às 14h33, com 47,5 centímetros e 2,93 quilos. O nascimento foi acompanhado por Michelle e uma equipe de seis médicos - três obstetras, dois pediatras e um anestesista. O parto foi antecipado - a previsão era 12 de outubro - porque Rozinete apresentou picos de pressão. Com os bebês desenvolvidos e com 38 semanas de gestação, o especialista em reprodução humana Cláudio Leal Ribeiro preferiu não arriscar. O casal tentou engravidar, sem sucesso, durante quatro anos. Até que a mãe de Michelle aceitou a empreitada de emprestar a barriga para o desenvolvimento dos embriões fertilizados in vitro - com espermatozóides e óvulos dos pais - e implantados no seu útero. Segundo Cláudio Leal Ribeiro, não há registro, no mundo, de gravidez gemelar de avó "mãe de aluguel". O ineditismo chamou a atenção da imprensa e várias entrevistas coletivas se sucederam ao nascimento. Os bebês deram a primeira mamada cerca de 40 minutos depois do nascimento, antes de irem para o berçário. Com boa capacidade respiratória, não tiveram necessidade de incubadora. A recomendação médica é de que a avó os amamente durante um mês. Em seguida, Michelle, que fez tratamento hormonal e já tem leite nos seios, deve substituí-la na empreitada. Gêmeos não idênticos, Michelle arriscou um palpite já com base no palpite de amigos e familiares: Antônio Bento parece com ela e Vítor Gabriel é a cara do pai. "Estou ainda mais apaixonada, eles não são fofos? Olha que lindos!", dizia a mãe mostrando os bebês de fralda e chapéu azul. Rozinete e os netos têm alta prevista para sexta-feira.
Agência Estado

Bush: mundo deve pressionar para deter repressão em Mianmar

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, afirmou nesta quinta que o mundo deve pressionar os militares em Mianmar para impedir sua violenta repressão contra manifestações democráticas. "Peço a todas as nações que têm influência sobre o regime que se unam a nós para apoiar as aspirações do povo birmanês e dizer à junta militar que cesse o uso da força contra seu povo, que está expressando pacificamente seu desejo de mudança", disse Bush em um comunicado. "O mundo está vendo o povo birmanês descer às ruas para pedir liberdade, e o povo americano é solidário com esses corajosos indivíduos", declarou Bush, que fez um apelo direto às forças de segurança de Mianmar. "Peço aos soldados birmaneses e à polícia que não recorram à força contra seus cidadãos. Peço àqueles que respeitam os direitos humanos e a liberdade que apóiem as demandas legítimas do povo birmanês", afirmou. O presidente americano solicitou ainda ao ministro chinês das Relações Exteriores, Yang Jiechi, que use sua "influência na região para promover uma transição pacífica à democracia em Mianmar", revelou o porta-voz Gordon Johndroe. O governo americano anunciou nesta quinta-feira sanções econômicas contra 14 funcionários birmaneses: "Estamos hoje impondo sanções contra altos funcionários do governo de Mianmar", disse Adam Szubin, diretor da agência de controle de ativos estrangeiros do Tesouro americano. Esta decisão, divulgada em um comunicado do departamento do Tesouro, implica em congelar os bens sob jurisdição americana das pessoas em questão, e proíbe qualquer operação comercial americana com as pessoas punidas. A repressão aos protestos liderados por monges budistas em Yangun já deixou nove mortos e centenas de feridos e detidos.
AFP

Ator de Harry Potter quer interpretar homossexual


O ator da saga cinematográfica de Harry Potter, o britânico Daniel Radcliffe, afirmou nesta quinta, 27, que quer protagonizar o papel de um homossexual em seu próximo filme. Radcliffe, de 18 anos, que este ano estreou nos teatros londrinos com a polêmica peça Equus, para o qual apareceu nu frente ao público, insistiu que quer enfrentar o desafio de atuar em um papel gay. "Não acredito que me afete particularmente. Nunca atuei antes em um papel de um homossexual pelo simples fato de fazê-lo", declarou o ator. "Se o roteiro é bom e o personagem gay é interessante, então não me incômodo. Interpretar personagens que exploram sua sexualidade é um desafio", acrescentou o protagonista de Harry Potter. Segundo Radcliffe, por sua idade "os papéis que me darão serão personagens que devido a sua adolescência estão explorando sua sexualidade".

"O Homem que Desafiou o Diabo" remete ao cordel


O longa nacional O Homem Que Desafiou o Diabo, que estréia em todo o país nesta sexta-feira, 29, é uma espécie de reciclagem de sucessos recentes como O Auto da Compadecida e Lisbela e o Prisioneiro. A paternidade aqui não pertence a Guel Arraes, mas ao diretor Moacyr Góes (Dom, Trair e Coçar é Só Começar). O Homem Que Desafiou o Diabo inspira-se numa tradição de aventuras românticas e cômicas situadas no Nordeste brasileiro, consolidada (especialmente na bilheteria) por Arraes nos últimos anos. Aqui, novamente, o protagonista é um herói que vive aventuras e desventuras por um Nordeste mais fantasioso do que real. O personagem é o caixeiro viajante José Araújo (Marcos Palmeira, de O Casamento de Louise) - uma espécie de malandro charmoso e de bom coração. Chegando a uma cidadezinha, conhece uma solteirona chamada Dualiba (Lívia Falcão, da novela Eterna Magia). Depois de um rápido namoro, acaba sendo forçado a casar com ela. O tempo passa e ele tanto se submete aos caprichos sexuais da mulher e às exigências do sogro, que se torna motivo de piada na cidade. Quando descobre, Araújo se revolta e dá o troco, assumindo uma nova identidade, Ojuara (seu sobrenome ao contrário). Usando roupa de couro, sai pelo sertão buscando aventuras e ajudando os fracos e oprimidos. O objetivo do personagem é encontrar uma terra lendária, chamada São Saruê. Essa espécie de Robin Hood nordestino vai encontrar tanto criaturas míticas, quanto o grande amor da vida dele. As pequenas aventuras do personagem vão se seguindo, como se fossem esquetes de um programa humorístico. Ele cruza seu caminho com o diabo (o estreante Helder Vasconcelos), engana-o e os dois tornam-se desafetos. As contas entre os dois vão ser acertadas apenas no final do filme. Entre os personagens que entram e saem da vida do caboclo, estão Preto Velho (Antonio Pitanga, de Zuzu Angel), uma criatura devoradora de homens chamada Mãe de Pantanha (Flávia Alessandra, de No Meio da Rua) e um coronel (Sérgio Mamberti, de Tônica Dominante), que lhe oferece a mão da filha (Giselle Lima, da série de televisão Mandrake). Em todo o filme, procura-se um diálogo com a literatura de cordel, com seus tipos peculiares e seu humor popular. O roteiro, co-escrito pelo diretor e Bráulio Tavares (do humorístico Sai de Baixo), é baseado no romance As Pelejas de Ojuara, de Nei Leandro de Castro.
Agência Estado

Globo blinda gravações finais de "Paraíso Tropical"


A Globo está armando um esquema de guerra nas gravações externas da reta final de Paraíso Tropical. Barricadas, seguranças, gravações de madrugada, tudo para tentar conter o vazamento de imagens e sonoras da novela captados por curiosos de plantão e equipes de outras emissoras. Tudo começou porque o programa de Sônia Abrão, da RedeTV!, exibiu antes que a Globo a cena em que Bebel (Camila Pitanga) vai presa. Uma equipe da emissora, que estava cobrindo os bastidores, acabou gravando o momento em que Bebel é jogada no camburão. Detalhe: a cena só vai ao ar no último capítulo, sexta-feira. O "furo" teria irritado a alta cúpula da Globo, que analisa as imagens exibidas pela RedeTV! para ver se cabe processo. A emissora resolveu vetar a participação de equipes de outros canais nas gravações de Paraíso. Fãs do folhetim, que costumam fazer platéia nas ruas, também serão mantidos a uma distância maior do que a habitual. Não é de hoje que cenas da Globo abastecem a concorrência, em uma prática por vezes condenada pela líder, mas conveniente em outras ocasiões - como nas temporadas de Big Brother. Reforço Ao mesmo tempo reforça a presença da trama em outros programas da emissora, como o Mais Você, de Ana Maria Braga, desta quarta-feira, 26. Além de fazer uma entrevista ao vivo, no telão com Yoná Magalhães (Virgininha), a produção do programa de Ana Maria ainda conseguiu três gêmeas idênticas, morenas, de cabelos compridos, como a atriz Alessandra Negrini que interpreta as gêmeas Paula e Taís, que ficaram imitando a cena em que Taís foi morta. Outros sósias dos personagens da novela entraram em cena para concorrer a um carro que será de quem acertar 'Quem matou Taís'.
Agência Estado

Venezuela e Irã desafiam "imperialismo" dos EUA


Os presidentes do Irã, Mahmud Ahmadinejad, e da Venezuela, Hugo Chávez, desafiaram na madrugada de quinta para sexta-feira, 28, o "imperialismo" dos Estados Unidos, em uma breve visita que o líder da República Islâmica fez ao seu maior aliado no continente. "Resistiremos até o final ao imperialismo. Com a graça de Deus sairemos vitoriosos", disse Ahmadinejad no palácio presidencial de Miraflores. O líder iraniano chegou a Caracas procedente da Bolívia depois de ter pronunciado um discurso na terça-feira na Assembléia Geral da ONU em Nova York. O presidente iraniano, foco de uma controvérsia internacional por seu programa nuclear, disse que "é o fim da era da exploração e do imperialismo". Venezuela e Irã estarão "ao lado de todos os povos revolucionários e oprimidos", disse Ahmadinejad para depois mencionar Bolívia, Nicarágua, Cuba, Equador, Uruguai e "todos os países e povos oprimidos". "Enquanto ficarmos juntos seguramente estaremos aumentando nosso poder e ninguém poderá nos derrotar", acrescentou. Chávez lembrou a Ahmadinejad que em um recente ato nos Estados Unidos "um porta-voz imperial tentou desrespeitá-lo chamando-o de pequeno e cruel tirano", em referência ao reitor da Universidade de Columbia, Lee Bollinger. "Você respondeu com a altura dos revolucionários e com a força moral do Irã e dos povos do mundo. Nos sentimos representados por você. A Venezuela inteira aplaude seu gesto e sua coragem", enfatizou Chávez. "Em vez de pequeno, você é um dos grandes lutadores anti-imperialistas desta era mundial", disse Chávez na entrada do Palácio Presidencial. Ambos os líderes revisaram os convênios de colaboração entre os dois países, antes do retorno de Ahmadineyad a seu país. Irã e Venezuela assinaram convênios de cerca de 8 bilhões de dólares em diferentes setores econômicos, principalmente em matéria de energia e petróleo.
AFP

Pelo menos dez mortos em ataque aéreo dos EUA em Bagdá

Pelo menos dez pessoas, entre elas várias mulheres e crianças, morreram na madrugada desta sexta-feira, 28, em um ataque de helicópteros americanos em um bairro do sudoeste de Bagdá, segundo fontes iraquianas. Consultado pela AFP, o Exército americano se negou a fazer comentários a respeito do episódio. "Dez pessoas morreram e outras sete ficaram feridas quando helicópteros americanos atacaram o edifício número 139" no bairro majoritariamente sunita de al-Saha, disse à AFP uma fonte anônima do Ministério iraquiano do Interior. "Ignoramos totalmente as razões deste ataque", acrescentou. Segundo uma fonte do hospital al-Yarmuk, maior centro médico do oeste da capital, 13 corpos -duas mulheres, quatro crianças e sete homens- foram levados para o local depois do ataque. Onze feridos também deram entrada neste hospital. Na quinta-feira, o Exército americano anunciou a abertura de uma investigação sobre a morte de nove civis -quatro mulheres e cinco crianças- na terça-feira na cidade de Babahani, ao sul de Bagdá, quando soldados americanos realizaram uma operação na região com apoio aéreo. O comando americano no Iraque informa regularmente a respeito da abertura de investigações após incidentes que causam mortes de civis, mas os resultados destas investigações raramente são divulgados.
AFP

Polícia estoura centro de distribuição de drogas do PCC em SP

Um centro de distribuição de drogas supostamente controlado pelo Primeiro Comando da Capital (PCC) foi estourado no final da noite de quinta-feira, 27, no Jardim Dona Sinhá, na zona leste de São Paulo. No local, policiais da Força Tática do 19º Batalhão encontraram 35 kg de drogas, dos quais 32,5 kg de maconha e o restante de crack e cocaína. Além disso, encontraram balanços de contabilidade que registravam um movimento mensal de até R$ 140 mil e uma carta datada de 31 de agosto, que seria de comemoração por mais um ano da facção. Durante a operação, que contou com dez homens em três viaturas, um homem foi abordado quando vendia drogas em uma das ruas do bairro. Ele ofereceu o restante da droga aos policiais e os levou até a casa onde funcionava o centro de distribuição. Além das drogas, a casa guardava invólucros para a venda dos entorpecentes, uma prensa, uma arma calibre 28 e materiais que seriam misturados à cocaína, como bicarbonato de sódio. Identificado como Maurício de Araújo Veloso, de 26 anos, estava em liberdade condicional por roubo e foi preso em flagrante por tráfico. A operação no Jardim Dona Sinhá deve continuar, pois, segundo os policiais, há várias denúncias de tráfico no bairro. Laboratório Em Guaianazes, também na zona leste, a Polícia Militar estourou um pequeno laboratório de drogas que funcionava em um barracão, mas não conseguiu prender nenhum suspeito. Os policiais chegaram à viela na Rua Cachoeira das Garças, no Sítio Conceição, após denúncia anônima. No local, havia meio quilo de cocaína, dois pacotes pequenos de maconha e 25 vidros de lança-perfume, além de material para embalar drogas: cerca de 7.400 cápsulas de plástico, uma prensa, bem como duas balanças de precisão. A operação foi feita pela Polícia Militar de Ferraz de Vasconcelos, e o caso, registrado no 44º Distrito Policial, em Guaianazes.
Agência Estado

McLaren domina a 2ª sessão de treinos para o GP do Japão

Japão - As McLarens do britânico Lewis Hamilton e do espanhol Fernando Alonso dominaram na madrugada desta sexta-feira, 28, a segunda sessão de treino livre do Grande Prêmio do Japão. O brasileiro Felipe Massa da Ferrari ficou em terceiro lugar. Hamilton, líder do mundial, superou em 214 milésimos seu companheiro de equipe. Massa ficou 749 milésimos atrás do primeiro colocado e foi seguido pelo italiano, Jarno Trulli. Kimi Raikkonen fez o quinto melhor tempo. Classificação da 2.ª sessão de treinos para o GP do Japão: 1º Lewis Hamilton (GBR/McLaren-Mercedes)1min18s734 2º Fernando Alonso (ESP/McLaren-Mercedes) 1min18s948 3º Felipe Massa (BRA/Ferrari) 1min19s483 4º Jarno Trulli (ITA/Toyota) 1min19s711 5º Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) 1min19s714 6º Heikki Kovalainen (FIN/Renault) 1min19s789 7º Giancarlo Fisichella (ITA/Renault) 1min19s926 8º David Coulthard (GBR/Red Bull)1min19s949 9º Ralf Schumacher (GER/Toyota) 1min19s969 10º Robert Kubica (POL/BMW Sauber) 1min20s069 11º Mark Webber (AUS/Red Bull) 1min20s069 12º Alexander Wurz (AUT/Williams-BMW) 1min20s233 13º Nico Rosberg (GER/Williams-BMW) 1min20s270 14º Jenson Button (GBR/Honda) 1min20s336 15º Nick Heidfeld (GER/BMW Sauber) 1min20s462 16º Adrian Sutil (GER/Spyker MF1) 1min20s736 17º Rubens Barrichello (BRA/Honda) 1min20s89 18º Vitantonio Liuzzi (ITA/Toro Rosso) 1min20s985 19º Sebastian Vettel (GER/Toro Rosso) 1min20s997 20º Anthony Davidson (GBR/Super Aguri F1 Team) 1min21s007 21º Takuma Sato (JPN/Super Aguri F1 Team) 1min21s352
Agência Estado

Creche que desabou foi embargada pela Defesa Civil do Rio


O prédio de três andares que desabou na noite de quinta-feira, 27, em Marechal Hermes, na zona norte do Rio de Janeiro, causando a morte de duas crianças e deixando pelo menos sete feridos, já tinha sido embargado pela Defesa Civil do Estado. O prédio - na Rua Navarro da Costa, 388 - passou por reformas, nos últimos dois anos, para que se criasse um segundo andar, onde eram realizados cultos evangélicos, e um terceiro pavimento, onde funcionava uma creche e se instalou uma piscina. Apesar da decisão da Defesa Civil, a reforma continuou. Inicialmente circularam informações de que o prédio havia caído por causa do deslocamento de ar provocado por um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), que teria sobrevoado o local em baixa altitude. Ao lado de Marechal Hermes fica a Base Aérea de Campo dos Afonsos e diversos quartéis do Exército. O diretor de Defesa Civil do Rio, José Carlos Mariano, porém, destacou que a hipótese mais provável envolve o dano à estrutura causado pelas reformas, considerando o estado precário de conservação do prédio. Morador do bairro, Paulo Cesar Gomes, de 55 anos, tomava cerveja em um bar quase em frente ao prédio, quando ocorreu o desmoronamento. "Eu venho aqui com alguma freqüência, mas só hoje notei que este prédio estava crescendo (ficando mais alto). Chamou minha atenção porque estava ficando bonito. De repente, ouvi um estrondo. Não acreditei quando vi o prédio desabar. O pior eram as mães desesperadas, procurando os filhos que estavam tendo aulas."

Buscas

O desabamento ocorreu pouco antes das 20 horas e até às 21 horas, os bombeiros ainda trabalhavam nos escombros, à procura de vítimas. Graças à intervenção rápida dos soldados, Rosângela Fernandes dos Santos Cavalcanti, de 43 anos, foi retirada com vida. Mas sua filha, Sara, e outra menina, identificada apenas como Rafaela, morreram. Ao ser socorrida, Rosângela afirmou que havia pelo menos 16 crianças no prédio, mas algumas podem ter conseguido escapar do soterramento. Há alguns anos, ela dava aulas de reforço para crianças do curso primário em sua casa, que ficava no primeiro andar da construção que ruiu. Rosângela ganhava R$ 50 por aluno. Segundo os vizinhos, durante a manhã, ela trabalha no Colégio Marechal Hermes, um estabelecimento de ensino particular da região. A dona de casa Clara Caldas, de 39 anos, correu para casa, abalada. "Minha sobrinha estuda lá e quase que minha filha, de 12 anos, começou a ter aulas com a professora Rosângela. E me deu um aperto no coração ao pensar que minha filha podia estar ferida ou morta." Até as 22h30, ela ainda esperava notícias da sobrinha.

Feridos

Cerca de 40 bombeiros de diferentes quartéis foram chamados para ajudar no socorro das vítimas. Militares do Exército e da Aeronáutica também se revezaram nas buscas. Os bombeiros utilizaram uma retroescavadeira para retirar os escombros. No início da operação, houve grande aglomeração de curiosos, que precisaram ser retirados pela polícia, por volta das 22h20. Para o Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes, foram levadas três crianças: Matheus Marcelino da Silva, de 11 anos, e as gêmeas Larissa Cristina Pessanha Costa e Natália Isabel Peçanha Costa, de 7 anos. Com escoriações, eles foram medicados e liberados antes das 22 horas. A professora Rosângela foi levada para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, com parte do couro cabeludo arrancado. Na unidade, foi também atendida Andressa Cristina Castro Marreira, de 13 anos, que passa bem. Outros dois feridos, não identificados até o fim da noite, continuavam internados no hospital.
Agência Estado

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

EUA culpam a Al-Qaeda pela última onda de atentados no Iraque

O Exército dos Estados Unidos acusou nesta quinta-feira, 27, a organização terrorista Al-Qaeda de ser a responsável pela onda de atentados que, nos últimos dias, provocaram a morte de mais de 70 pessoas no Iraque. Em um comunicado, a coalizão culpa a Al-Qaeda pelos atentados que na quarta-feira mataram pelo menos 17 pessoas nas províncias de Nínive e Salahaddine, assim como pela explosão de um carro-bomba em um mercado no bairro xiita de Bayaa, em Bagdá, que provocou oito mortes. A onda de atentados, apesar do número de ataques em 2007 ser menor ao dos anos anteriores, confirma o aumento de atentados com motivação política e religiosa em todo o país. Tanto a polícia iraquiana como os líderes tribais sunitas, em outra época ligados à insurreição, combatem os atentados e defendem a luta contra a Al-Qaeda. Na quarta-feira, o porta-voz da coalizão, general Kevin Bergner, reconheceu que o Exército americano constatou "um aumento da violência nos últimos dias (...) com a assinatura da Al-Qaeda". "Este aumento era esperado há algumas semanas, coincidindo com o início do ramadã", completou. Nesta quinta-feira, a explosão de um carro-bomba no bairro Nova Bagdá da capital matou um civil e deixou outros dois feridos.
AFP

Financiamento da casa própria para 30 anos

O Santander estende para 30 anos o prazo dos planos de financiamento da casa própria. É o maior prazo oferecido entre os bancos privados e vale tanto para plano com Parcelas Fixas quanto para Parcelas Atualizáveis. Com relação à documentação o banco exige os documentos pessoais do comprador e do vendedor do imóvel, a comprovação de renda do comprador, a matrícula do imóvel e a certidão de tributos imobiliários. Além disso, o banco também aceita a composição de renda de duas pessoas, sem vínculo de parentesco ou matrimonial, para o financiamento.] Os financiamentos por até 30 anos poderão ser contratados em qualquer agência do Banco a partir de 15 de outubro. Entretanto, os visitantes do estande do Santander no Salão Imobiliário São Paulo 2007 (SISP), que ocorrerá no Parque Anhembi de 27 a 30 de setembro, já poderão contratar o financiamento com o novo prazo e com condições especiais, válidas apenas durante o evento.

O POVO

Inscrições da II Mostra de Música de Fortaleza estão abertas até hoje

Estão abertas até esta quinta-feira, 27, as inscrições para a II Mostra de Música de Fortaleza Petrúcio Maia. Podem participar do processo seletivo grupos ou artistas residentes em Fortaleza que não tenham sido selecionados para a primeira edição do evento, realizada no ano passado. A Mostra acontecerá nos dias 23, 24 e 25 de novembro. Serão selecionados 72 trabalhos, sem qualquer restrição de gênero ou estilo, a serem apresentados simultaneamente em seis palcos, um em cada Regional. Cada grupo ou artista selecionado será contemplado com cachê no valor de R$ 800,00 (valor bruto) e terá 30 minutos para mostrar seu repertório musical, que deverá incluir, pelo menos, duas composições de autores cearenses. A Mostra de Música de Fortaleza homenageia o compositor cearense Petrúcio Maia, um dos mais importantes da Música Popular Brasileira, conhecido por composições como “Lupicínica” e “Cebola Cortada”. A primeira edição, realizada no ano passado, contou com 420 inscrições, entre grupos e artistas de Fortaleza.

O POVO

Partido Verde em Sobral

Neste último dia 22 de setembro, o colunista do Jornal A Folha, Sr. Elenilton Rorato, se fez presente na solenidade do Partido Verde, que realizou-se em Sobral. A solenidade de abertura de sua sede local, provisória. A recepção aos convidados foi no local da sede, sito à Rua Joaquim Ribeiro nº 391 – B, com acolhida e recepção aos convidados, onde se fizeram presente o prefeito Municipal Dr. Leônidas Cristino e demais autoridades do Município e Estado. Segundo o Vice presidente (provisório) do Partido Verde Sobral Sr. José Gutemberg Frota Rios, a comissão provisória municipal, do qual faz parte, foi aprovada nesta última semana. Enfatizou ainda que no próximo mês de Outubro será feita a Convenção para a eleição da Aprovação da Diretoria permanente local. Se fizeram presentes também o Sr. Marcelo Silva, presidente estadual do Partido Verde e o Sr. Disraeli Azevedo Ponte, presidente provisório do Partido Verde de Sobral. Sem dúvidas mais um partido para a cidade é de extrema importância para o munícipe sobralense para a dignidade e o direito de escolha. O PARTIDO VERDE - PV, fundado em 17 de janeiro de 1986, é uma organização política com personalidade jurídica de direito privado, com registro definitivo deferido pelo Tribunal Superior Eleitoral, com duração por prazo indeterminado e rege-se por este Estatuto, observados os princípios constitucionais e as normas legais.

Elenilton Rorato

Ato Público Dom José


Aconteceu no sábado passado, dia 22, no Becco do Cotovelo, por ocasião do programa do Ivan Frota, um Ato Público em homenagem a memória do nosso bispo de Dom José Tupinambá da Frota. O Centro Cultural Dom José e Associação dos Amigos do Becco foram os criadores da magna idéia.
Compareceram ao ato, o bispo Dom Fernando Saborido, o prefeito Leônidas Cristino, o Cônego Gonçalo de Pinho Gomes, homenageado do dia com o diploma Honra ao Mérito do Centro e da AABC, autoridades convidadas da cidade e o povo em geral, que sempre acompanha o programa Ivan Frota no Becco do Cotovelo aos sábados.
A banda de música esteve presente sob a batuta do maestro Zequinha Freitas. Fazendo esta festa cívica no centro da cidade. O bispo diocesano e o prefeito municipal, falaram da importância do ato em lembrança a Dom José, e parabenizaram o Centro Cultural pela brilhante idéia.
O homenageado do dia Cônego Gonçalo de Pinho Gomes, ao receber o diploma do Centro Cultural das mãos do prefeito Leônidas Cristino, agradeceu emocionadamente tal homenagem.
Mais de quinze cidadãos falaram da importância de Dom José no ato público, que chamou atenção em toda cidade. A imprensa falada, escrita e televisionada deu todo apoio a esta festa cívica.
O presidente do Centro Cultural agradeceu a presença do Dr. Rildson Magalhães, Dr. Alexandre
Alcântaras, Luis Melo Torquato, Luis Frota, Atualpa
Parente, Expedito Vasconcelos, Dom Fernando. Dr.
Leônidas Cristino, Ivan Frota e outras autoridades presentes a este ato cívico.
Foi uma festa homenagem digna de registro nos anais da cidade, prometendo o seu presidente Dr. Chico Prado voltar a fazer no ano vindouro com mais força com a presença das escolas da cidade.

Troféu ABBTUR

Zenilde Eduardo Matoso, presidenta do Sindicato das Empresas Organizadoras de Eventos e Afins do Ceará (SindieventosCE), recebe, dia 27 de setembro – Dia Mundial do Turismo – o Troféu Patativa, da Associação Brasileira de Bacharéis em Turismo (ABBTUR), no Auditório da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Rua 25 de Março, n°882 – Centro, às 14h30, durante a programação comemorativa ao Dia Mundial do Turismo e Dia Nacional do Bacharel em Turismo.
Vale acrescentar que o Troféu Patativa presta homenagem às personalidades cearenses que contribuíram com o desenvolvimento do Turismo no Estado do Ceará.
Além de Zenilde Matoso também serão agraciadas Edgony Bezerra e Norma Lazar.

Evento: Solenidade de entrega do Troféu Patativa (ABBTUR)
Data: 27 de setembro de 2007 (quinta-feira)
Horário: 14h30
Local: Auditório da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL)
Rua 25 de Março, n°882 – Centro

Laércio Caporalini
MTPS 13963
Cel.: 8888-3266

Imigração Norte-Americana ao Brasil”, ocorrida a partir do ano de 1866

Durante os anos de 1861 a 1865, os Estados Unidos experimentaram uma das piores guerras civis da sua história: a “Guerra da Secessão” como foi chamada, onde 11 estados do sul dos Estados Unidos queriam se tornar independentes dos Estados Unidos e assim formar um novo país que seria chamado de Estados Confederados.

Os estados do sul, cuja atividade principal era a agricultura de algodão, com significativo volume de exportações, estavam descontentes com a política traçada pelos Estados Unidos. O governo queria impor condições ao estados do sul que o povo sulino não aceitava. Os demais países do norte eram altamente industrializados e as diferenças sociais eram muito grandes.

Essa guerra civil durou 4 anos e terminou com a derrota dos estados do sul. O saldo de mortes chegou quase a 1 milhão de pessoas.

Durante essa guerra foi interrompida a produção e o fornecimento de algodão, tanto às empresas têxteis dos Estados Unidos, como para empresas do resto do mundo, e evidentemente, o preço do produto disparou no mercado internacional.

Um dos combatentes, o Coronel Willian Hutchinson Norris, insatisfeito com a derrota e com as condições a que teriam que se submeter, lidera um movimento migratório para outro país. O Brasil foi o país escolhido, pelas oportunidades de trabalho, as terras férteis e a acolhida com que o governo imperial brasileiro, liderado por D. Pedro II oferecia. Tanto D. Pedro II, como o Cel. Norris eram ligados à Maçonaria, o que facilitou muito essa aproximação. O Coronel Norris foi Grão Mestre da Grande Loja Maçônica do Alabama e senador por este estado americano.

E então, o Cel. Willian H. Norris lidera esse movimento de imigrantes para o Brasil, trazendo para cá intelectuais, profissionais liberais e pessoas com larga experiência na agricultura, na medicina, na geologia, professores, dentistas. O processo de imigração desses norte-americanos ao Brasil iniciou-se em 1866, mas culminou em 1868.

O local escolhido para a fixação da maioria deles foi onde hoje estão situadas as cidades de Santa Bárbara d’Oeste e Americana, na região metropolitana de Campinas, Estado de São Paulo. Isto se deveu à fertilidade do solo, às facilidades e abundância de água e disponibilidade de terras para a lavoura.

Chegando, imediatamente cuidaram de construir suas casas, formar as vilas e começar o plantio do algodão, que estava com altos preços no mercado internacional.

A prosperidade chegou à região. Logo depois trouxeram a ferrovia que passou por Americana e Santa Bárbara d'Oeste, chegando até Rio Claro. Criou-se a primeira indústria têxtil na região, a histórica Indústria Têxtil Carioba. E a industrialização de Americana se deveu a essa fábrica, que vendia suas máquinas obsoletas aos funcionários, e estes abriam pequenas fábricas têxteis de fundo de quintal em suas casas.

O progresso não parou mais, tanto que Americana ganhou a carinhosa denominação de a “Princesa Tecelã”, por conta da qualidade do tecido fabricado ali e do volume de indústrias têxteis na cidade, fato que se nota até hoje.

Uma história bonita de progresso, de trabalho, de determinação e acima de tudo, de união das famílias em prol do desenvolvimento, que acabou culminando no surgimento das cidades de Americana e de Santa Bárbara d’Oeste, hoje dois pólos de desenvolvimento no interior de São Paulo.

As músicas inseridas nesta apresentação são as seguintes:

- Stars and Stripes Forever – USSMA Regimental Band
- National Emblem March – The Boston Pops Orchestra

Agradeço a valorosa contribuição de informações prestadas pelo amigo Sr. José Roberto Guedes de Oliveira, de Indaiatuba-SP (guedes.idt@terra.com.br) e de imagens antigas cedidas pelo Museu da Imigração Norte-Americana, de Santa Bárbara d’Oeste, que foram de extrema valia para a elaboração deste trabalho.

Edison Piazza – Piracicaba
e-mail: contato@viajandopelomundo.com

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Lula afirma que só dará opinião sobre CPMF quando chegar ao Brasil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva preferiu não comentar, hoje (24), o processo de votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prorrogar a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), em curso no Congresso Nacional. "Eu tenho de chegar ao Brasil para ver o que está acontecendo, para poder dar opinião. Em política, uma palavra equivocada traz tanto transtorno que depois nenhum ditado completo resolve", afirmou o presidente, pouco antes de embarcar para o Brasil. A discussão sobre a CPMF deve ser retomada amanhã (26) na Câmara. Parlamentares da oposição garantiram que vão tentar obstruir a votação da PEC que prorroga até 2011 a cobrança do tributo. Já a base aliada do governo na Câmara dos Deputados vai tentar derrubar as emendas e destaques que podem obstruir a votação.

Agência Brasil

Desvalorização de imovéis deve aumentar perdas nos EUA

As perdas no mercado de crédito subprime nos Estados Unidos devem se intensificar, enquanto a desvalorização dos imóveis no país evita que aqueles com hipotecas de taxas de juros ajustáveis refinanciem suas dívidas em condições melhores. A informação é do jornal Financial Times. Os preços dos imóveis nas 20 melhores cidades norte-americanas caíram 3,9% em julho, na comparação com o mesmo mês de 2006 - a pior performance da década. Além disso, dados do governo mostram que as vendas de imóveis no país caíram 4,3% em agosto. Os analistas acreditam que os preços vão cair ainda mais, e prevêem que tal queda poderia devastar os compradores com hipotecas subprime. Grande parte dessas pessoas tomou empréstimos com taxas de juros ajustáveis, acreditando que a alta no preço dos imóveis iria aumentar a chamada home equity, permitindo que eles refinanciassem suas dívidas antes que os juros aumentassem. O home equity é a diferença entre o valor do imóvel e o que ainda deve ser pago da hipoteca. Entretanto, a desvalorização dos imóveis poderia deixar algumas dessas pessoas com o home equity negativo, tornando menor a possibilidade de que elas façam novos empréstimos.

Agência Estado

Manifestações pela reforma agrária seguem em 15 estados

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) da Bahia, do Mato Grosso do Sul e Paraná aderiram nesta terça-feira (25) à Jornada de Lutas do MST. Desde ontem (24), trabalhadores rurais fazem protestos e ocupações de prédios do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária). As mobilizações ocorrem em 15 estados e têm por objetivo cobrar agilidade na reforma agrária. De acordo com a direção nacional do MST, atualmente, cerca de 150 mil famílias permanecem acampadas em todo país. O movimento considera o assentamento desses trabalhadores fundamental para resolver o problema da pobreza e da concentração de renda. Na Bahia, 600 famílias de trabalhadores rurais ligados ao movimento ocuparam hoje a superintendência do Incra, em Salvador. Segundo o MST, eles pedem o assentamento de 15 mil famílias acampadas, além de infra-estrutura, crédito para a produção agrícola, habitação e vistorias de áreas improdutivas. Ainda segundo o MST, nesta terça também no Mato Grosso do Sul, os manifestantes bloquearam rodovias e pediram o assentamento de 3.500 famílias acampadas no estado. Os protestos acontecem desde ontem em Goiás, Paraíba, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Mato Grosso, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Maranhão, Santa Catarina, Alagoas e Ceará. Neste momento, 15 integrantes do MST se reúnem com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, e com o presidente do Incra, Rolf Hackbart, para entregar uma pauta de reivindicações relativas à realização da Reforma Agrária no país.

Agência Brasil

PT pode atuar com o BC para explicar economia à população

Numa amostra de que o PT vive novos tempos, o presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), propôs nesta terça-feira a divulgação conjunta com o Banco Central de cartilhas para explicar à população os conceitos básicos da política monetária e o papel do BC no combate à inflação. No passado, o partido do presidente Lula costumava identificar a atuação do BC com os interesses dos banqueiros. O PT também sempre lutou contra a independência operacional da instituição. A proposta de Mercadante foi feita durante depoimento do presidente do BC, Henrique Meirelles, na CAE. Meirelles aceitou imediatamente a proposta. Mercadante mostrou cartilhas feitas pelo Federal Reserve (Fed), o Banco Central dos Estados Unidos, destinadas ao grande público. Nas cartilhas, que são verdadeiras histórias em quadrinhos, o Fed explica o seu papel no controle da inflação, a importância da estabilidade da moeda para os trabalhadores e outros conceitos econômicos básicos. Embora aceita por Meirelles, a proposta poderá encontrar alguma dificuldade para ser colocada em prática. O senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), por exemplo, louvou a iniciativa de Mercadante, mas lembrou que o herói das histórias em quadrinhos terá que ser o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. "Afinal, ele foi o herói do combate à inflação no Brasil", afirmou Ribeiro. Mercadante e os demais senadores presentes riram.

Agência Brasil

Chinaglia renega parecer contra quilombolas

O presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia, afirmou nesta terça-feira (25) a uma platéia formada por mais de 500 representantes de comunidades quilombolas de todo o país que “errou” ao assinar um parecer que recomenda suspender a suspensão do processo de titulação das terras de uma comunidade remanescente de quilombo em Santa Catarina. O documento vem sendo divulgado pelo deputado Valdir Colatto (PMDB-SC) como apoio para sua tese de que o decreto presidencial que regulamenta a titulação das terras quilombolas deveria ser anulado. Ao discursar durante o Ato em Defesa dos Direitos Quilombolas, na Câmara, Chinaglia afirmou que assinou "equivocadamente" o parecer, encaminhado ao Conselho de Defesa Nacional, do qual o presidente da Câmara faz parte. "Se o presidente da Câmara for ler todos os pareceres, ele não faz outra coisa", disse ele. “Eu recolhi aquele parecer e desautorizei, por escrito, aquilo que tinha sido afirmado. E desautorizei por escrito, também, dizendo: foi uma conduta errada ter passado esse parecer adiante sem ter discutido comigo”, relatou ele às lideranças quilombolas. Chinaglia reiterou à platéia seu apoio à causa quilombola: "Essa é [uma] luta não só dos negros, e sim do povo brasileiro. Se fosse possível definir em uma única palavra, seria luta por justiça", disse ele. O petista afirmou ainda que, a despeito de, como presidente da Câmara, ter o dever de garantir a liberdade para os debates sobre o tema na Casa, não vai deixar de expressar suas próprias posições sobre o tema. "Todo mundo sabe o que a bancada do PT defende sobre determinados temas, e eu não sou diferente", afirmou. Em entrevista à Agência Brasil logo após sua participação no evento, Chinaglia evitou manifestar-se sobre a alegação que vem sendo feita por Colatto e outros parlamentares de que o decreto presidencial sobre as terras quilombolas seria inconstitucional. “Caberá ao poder Judiciário analisar se o decreto tem o não o poder de regulamentar da forma que está propondo", limitou-se a dizer. O parecer que Chinaglia afirmou ter assinado equivocadamente vai ao encontro da tese dos que questionam o decreto 4887. "Por conter normas consideradas inconstitucionais, este decreto é contestado", diz o texto, que ainda traz, em outro trecho: "Trata-se [a demarcação de terras quilombolas] de uma questão social, e não racial, tanto que, paralelamente, persiste no país o problema da redução de trabalhadores rurais à condição análoga à de escravo, independente da raça das vítimas". Após o discurso do presidente da Câmara, quilombolas presentes na platéia ainda insistiram que ele deveria fazer um esclarecimento adicional à imprensa sobre o equívoco. Chinaglia respondeu que isso caberia a eles, após o reconhecimento público do erro.

Agência Brasil

Câmara aprova projeto que substituiu MP dos órfãos do câmbio

A Câmara aprovou na noite desta terça-feira o projeto do governo que estabelece medidas para compensar os setores que foram prejudicados com a desvalorização cambial. O projeto teve tramitação recorde. Foi apresentado semana passada para substituir a medida provisória 382, que foi revogada para permitir a votação da proposta de emenda constitucional que prorroga a CPMF até 2011. Conhecida como a MP dos "órfãos do câmbio", a 382 autorizava a concessão de subsídios nas operações de empréstimo e financiamento destinadas às empresas dos setores de calçados e artefatos de couro, têxtil, de confecção e de móveis de madeira, beneficiando setores afetados pela valorização do real frente ao dólar. O projeto foi enviado já com um texto diferente da medida provisória, atendendo negociações que já tinham sido feitas na Câmara. Entre as alterações, o projeto incluiu na lista dos setores beneficiados, o setor de implementos agrícolas. Houve uma redução de 80% para 70% do porcentual que uma empresa deve ter em seu faturamento relativo à exportação para ter isenção na compra de matérias-primas. Na votação desta terça-feira, o projeto ainda recebeu outras alterações. Foram incluídos nas linhas de financiamento a indústria de beneficiamento de madeira, a de fiação e de pedras ornamentais. O projeto será agora encaminhado ao Senado.

Agência Estado

Integrantes do MST discutirão renegociação de dívidas

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) estarão reunidos nesta quarta-feira (26) com o Ministério da Fazenda para discutir a renegociação de dívidas. Desde segunda-feira (24) os trabalhadores ocupam sedes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e de órgãos ligados ao ministério, em diferentes estados, onde reivindicam pressa na implantação da reforma agrária, dentro da Jornada Nacional de Lutas do MST. Na noite desta terça-feira (25), eles mantêm reunião com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, e com o presidente do Incra, para discutir as reivindicações. Segundo a assessoria do ministério, a reunião deverá continuar até amanhã (26). Os trabalhadores rurais reivindicam o assentamento de 150 mil famílias acampadas, condições de trabalho e de moradia digna, educação, saúde e infra-estrutura. Eles pretendem denunciar que o avanço do agronegócio impede a reforma agrária.

Agência Brasil

Amorim elogia referências de Bush à reforma na ONU

O ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, avaliou como "algo muito positivo" as referências feitas no discurso do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, sobre a reforma do Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU). "Não me recordo que os EUA tenham falado da reforma do CS num discurso da ONU de forma tão detalhada", disse Amorim, antes de sair para um encontro com a representante dos EUA para Comércio Exterior, Susan Schwab. Ele avalia que estão em evolução as discussões sobre a reforma do conselho. "Há um diálogo (agora) que não havia antes", disse. Amorim observou, no discurso de Bush, que, além de citar o Japão "como faz sempre", ele também afirmou que deveriam ser considerados outros países. "Isto me parece uma evolução", estimou o ministro das Relações Exteriores. "O simples fato de dialogar, de não ter posições rígidas, é algo muito positivo", acrescentou. Bush falou no discurso que os "EUA estão abertos para a perspectiva (de reforma)". "Acreditamos que o Japão está bem qualificado para (ser) membro permanente no Conselho de Segurança e outras nações também deveriam ser consideradas." O presidente dos EUA ainda acrescentou que o país ouvirá todas as idéias e dará apoio à mudança no CS como parte de uma modificação mais ampla da ONU. Amorim avaliou ainda o encontro com a representante de Comércio Exterior dos EUA, Susan Schwab, como "positivo para reengajamento" em relação à rodada de Doha. "Achamos que o processo de Genebra tem de prosseguir agora. Já houve reunião agrícola, agora tem de haver de indústria", completou. No final de outubro, estima Amorim, deve haver um novo texto sobre a questão. Amorim avalia que ainda é "preciso maior clareza" sobre a oferta relacionada ao acesso dos mercados dos países ricos. Os representantes encontraram-se no hotel Waldorf Astoria, em Manhattan.

Agência Estado

Brasil terá sete duplas na chave principal

O Brasil chega com força total na chave principal da etapa de Fortaleza do Circuito Mundial. A fase, que começa nesta quarta-feira, contará com Juliana/Larissa, Renata/Talita, Adriana Behar/Shelda, Maria Elisa/Val, além de Maria Clara/Carolina, Ágatha/Shaylyn e Ana Paula/Sandra, que passarão pelo qualifying nessa terça. As irmãs cariocas precisaram apenas de uma vitória sobre a dupla holandesa Leenstra/Boersma por 2 a 0 (21/12 e 21/16) para garantir a classificação. Já Ana Paula e Sandra Pires, que conquistou a milésima vitória nesta terça, derrotaram Keizer/De Vries, também da Holanda, por 2 a 0 (21/12 e 26/24). Ágatha/Shaylyn conquistaram a vaga passando pelas canadenses Moskowitz/Markovic (21/10 e 21/12) e pelas filipinas Ilustre/Pascua, com um duplo 21/18.

LANCEPRESS!

Brasil é apenas o 72º na lista de países menos corruptos

O Brasil aparece na modesta 72ª colocação na lista anual do índice de percepção da corrupção, que inclui 180 países, divulgada nesta quarta-feira, 26, pela organização não governamental Transparência Internacional (TI). O índice, estabelecido por meio de pesquisas realizadas entre homens de negócios e especialistas em 180 países, vai de 10 para um Estado considerado "limpo" a 0 para um Estado considerado "corrupto". No caso do Brasil, a nota ficou em apenas 3,5. De acordo com a TI, a corrupção afeta a recuperação de países devastados pela violência, incluindo Iraque e Somália, que se uniram a Mianmar na relação dos países mais afetados por este mal, segundo o relatório divulgado em Londres. O informe anual da Transparência Internacional (TI) destaca que muitos dos países mais pobres do planeta também se encontram entre os mais prejudicados por este problema. Os países "limpos", encabeçados por Dinamarca, Finlândia e Nova Zelândia - todos com nota 9,4 -, também deveriam fazer mais esforços para evitar que suas empresas tentem corromper os políticos de outros Estados ou não fazer mais vista grossa para a procedência de fundos suspeitos depositados em suas instituições financeiras, segundo a TI. A lista dos 10 países mais transparentes se completa com Cingapura, Suécia, Islândia, Holanda, Suíça, Canadá e Noruega. Os Estados Unidos aparecem na 20ª posição com a nota 7,2. Além de Iraque (1,5), Somália e Mianmar (1,4 cada), os três últimos países da lista, a relação das nações mais corruptas inclui Haiti, Uzbequistão, Tonga, Sudão, Chade e Afeganistão. "Os países do final da classificação devem levar a sério estes resultados e agir já para fortalecer a responsabilidade de suas instituições públicas", destacou Huguette Labelle, presidente da TI. "Porém, as ações dos países bem classificados também são importantes, sobretudo para combater a corrupção no setor privado", acrescentou. Quase 40% dos países com índice abaixo de três - onde se considera que a corrupção afeta todos os setores - são classificados como "pobres" pelo Banco Mundial. O país sul-americano mais bem colocado é o Chile (7,0), com a 22ª posição. A Argentina, com 2,9, aparece como o número 105 na relação da TI.

AFP

Forças birmanesas atiram contra manifestantes, segundo diplomata francês

As forças de Mianmar atiram contra os manifestantes que protestam em Yangun, afirmou um diplomata francês em Yangun, entrevistado pela rádio RTL. Emmanuel Mourier, primeiro conselheiro da embaixada francesa em Yangun, afirmou que primeiro as forças oficiais "atiraram para o alto e depois contra os manifestantes". "Não se pode saber se várias pessoas ficaram feridas ou morreram, mas o certo é que houve derramamento de sangue", acrescentou. "Há vários testemunhos de que havia várias pessoas estiradas no chão". O representante francês disse ainda que vários monges foram agredidos e outros foram detidos, sendo levados em caminhões militares.

AFP

Fim da greve de fiscais agropecuários

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento anunciou na terça-feira (25) à noite que o governo chegou a um acordo com a comissão de negociação dos fiscais agropecuários e que eles retomam nesta quarta-feira a normalidade dos trabalhos, interrompidos por paralisações desde 18 de junho. A categoria é responsável pela inspeção, fiscalização e o controle dos produtos agropecuários em portos, aeroportos e em postos de fronteira. Segundo a nota do ministério, os fiscais assinaram um termo de compromisso que atende a reivindicações da categoria, acertando um reajuste médio de 20,3% dividido em duas parcelas, a serem pagas em fevereiro de 2008 e fevereiro de 2009. O governo assumiu, ainda, segundo a nota, compromissos relativos ao plano de carreira e a capacitação da categoria. O acordo prevê ainda que o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão fará uma "análise e a negociação dos dias parados" e que os fiscais vão compensar o tempo parado. Ainda segundo a nota, os fiscais assumiram o compromisso de fazer um esforço concentrado esta semana para liberar "toda a carga retida nos portos e nos aeroportos". Segundo a Associação Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa), hoje, o salário-base do fiscal agropecuário em início de carreira fica em torno de R$ 2.700. Com os reajustes, a entidade calcula que o acréscimo poderá ser de R$ 1.500, incluídas as gratificações.

Agência Brasil

Bush e Sarkozy dão apoio a proposta de reforma da ONU

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, reforçou na Organização das Nações Unidas (ONU) o apoio do país à reforma e ampliação do Conselho de Segurança, proposta que vem sendo defendida pelo Brasil. Em entrevista coletiva, Sarkozy disse que países como México, Brasil, África do Sul e Índia merecem mais do que um convite para “apenas um almoço”. “Todos sabem que o Conselho de Segurança não pode continuar como está. Ele não corresponde mais aos desafios globais. Precisa mudar”, afirmou o presidente francês, que lamentou o fato de países da África e da América do Sul, assim como a Índia, não terem assento permanente no Conselho de Segurança. Sarkozy defende ainda a ampliação do G8, grupo das sete maiores economias do mundo, somado à Rússia. Os dois assuntos foram tema da reunião na terça-feira (25) entre ele e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo Lula, o presidente da França demonstrou estar engajado na negociação de mudanças. Já em seu discurso na abertura dos debates da Assembléia Geral da ONU, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, defendeu prioridade para a reforma do Conselho de Direitos Humanos, mas citou a reivindicação por uma mudança na estrutura do Conselho de Segurança. “Os Estados Unidos estão abertos a essa perspectiva. Nós acreditamos que o Japão está bem qualificado para se tornar membro permanente do Conselho de Segurança, e outras potências emergentes também deveriam ser consideradas”, disse Bush. “Vamos ouvir todos as boas idéias e iremos apoiar a reforma do Conselho de Segurança como parte de uma reforma das Nações Unidas.” Para o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, o discurso do presidente norte-americano traz pela primeira vez uma referência sobre “considerar” outros países para o Conselho de Segurança. “Acho isso muito positivo e, até onde sei, é a primeira vez que os Estados Unidos faz uma colocação nesses termos na ONU”, destacou Amorim. “O que estamos querendo é criar um processo de negociação, que já conta com o apoio do secretário-geral da ONU. Vamos avançar nos próximos meses.” Em 2005, o Brasil apresentou na ONU, em conjunto com Alemanha, Índia e Japão, proposta de resolução para a reforma do Conselho de Segurança. O texto prevê a incorporação de seis novos integrantes permanentes (atualmente há cinco) e mais quatro não permanentes (hoje são dez).

Agência Brasil

Pelo menos 17 monges budistas feridos em Mianmar

Pelo menos 17 monges budistas foram feridos nesta quarta-feira, 26, por agressões com cassetetes por parte das forças oficiais birmanesas que dispersavam um protesto no bairro do pagode de Shwedagon em Yangun, afirmaram testemunhas. Os 17 religiosos ficaram feridos quando a polícia agiu para dispersar um grupo de monges e estudantes que protestavam pacificamente contra a junta militar no poder, de acordo com as mesmas fontes. Entre os feridos estava um monge de 80 anos que, segundo as testemunhas, foi agredido na cabeça pelos oficiais. O idoso participava no protesto em Yangun mesmo sem ter condições de andar, sendo carregado nos braços de outros monges.

AFP

Londres quer reunião do Conselho de Segurança sobre a crise em Mianmar

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, pediu nesta quarta-feira, 26, uma reunião urgente do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre a crise em Mianmar para examinar sanções adicionais contra a junta militar que governa o país. O premier afirmou ainda que é preciso ter um enviado especial da ONU em Mianmar para advertir os militares que o mundo está observando suas ações. "Todo o mundo está olhando agora o que acontece em Mianmar", advertiu Brown, em declarações à imprensa em Bournemouth (sudeste), após saber que a junta havia começado a reprimir os manifestantes. Brown pediu a celebração da reunião do Conselho de Segurança ainda nesta quarta-feira. O ministro britânico das Relações Exteriores, David Miliband, pediu mais cedo que a junta militar birmanesa tenha moderação. "O mundo quer ver a junta militar exercer moderação", afirmou Miliband, que alertou que o governo de Mianmar responderá por suas ações.

AFP

MST discute renegociação de dívidas com a Fazenda

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) se reúnem nesta quarta-feira (26), às 12 horas, com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para discutir a renegociação de dívidas dos agricultores assentados. Desde segunda-feira (24) os trabalhadores ocupam sedes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e de órgãos ligados ao ministério, em 15 estados, para cobrar agilidade na reforma agrária. A mobilização integra a Jornada Nacional de Lutas do MST. Os trabalhadores rurais reivindicam o assentamento de 150 mil famílias acampadas, condições de trabalho e de moradia digna, educação, saúde e infra-estrutura. Para o movimento, o avanço do agronegócio no país vem impedindo a reforma agrária. Na Bahia, 600 famílias de trabalhadores rurais ligados ao movimento ocuparam ontem a superintendência do Incra, em Salvador. Segundo o MST, eles pedem o assentamento de 15 mil famílias acampadas, além de infra-estrutura, crédito para a produção agrícola, habitação e vistorias de áreas improdutivas. Ainda segundo o MST, ontem, no Mato Grosso do Sul, os manifestantes bloquearam rodovias e pediram o assentamento de 3, 5 mil famílias acampadas no estado.

Agência Brasil

Brasil vai apoiar candidato francês no FMI

Durante encontro com o presidente da França, Nicolas Sarkozy, na quarta-feira (26), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva manifestou apoio à indicação do francês Dominique Strauss-Kahn para o cargo de diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI). Sarkozy e Lula se encontraram na sede da Organização das Nações Unidas (ONU). “O presidente Lula manifestou apoio ao candidato francês, na pressuposição normalmente de que ele terá a agenda reformista que foi expressa para nós”, relatou o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. Em agosto, Strauss-Kahn esteve no Brasil e foi recebido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nota divulgada após o encontro pelo Ministério da Fazenda destacava as reivindicações do governo brasileiro por mudanças no sistema de votação no FMI. A escolha do novo dirigente do fundo deve ocorrer em outubro.

Agência Brasil

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Valorização do real compensa alta do petróleo no mercado externo

A valorização do real frente ao dólar, ocorrida após a alta provocada pela crise no mercado hipotecário norte-americano, compensou a alta do preço internacional do barril de petróleo nas últimas semanas e, por isso mesmo, o preço dos principais derivados não sofrerá alterações no mercado brasileiro. A análise foi feita nesta segunda-feira, 25, no Rio de Janeiro, pelo diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, ao reafirmar que a estatal manterá a sua atual política de reajuste dos combustíveis – de não repassar para os preços internos a volatilidade (as oscilações) do preço do petróleo no mercado spot (com pagamento à vista e entrega imediata). “O real bateu recorde também. Uma coisa compensa outra e o preço não muda”, afirmou Barbassa, que participou da solenidade de posse do geólogo, ex-senador e ex-presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, na presidência da Petrobras Distribuidora (BR). Presente à solenidade, o diretor de Abastecimento da Companhia, Paulo Roberto Costa, também descartou a possibilidade de a estatal brasileira mexer no preço dos derivados em razão da alta recorde do petróleo no mercado exterior, que vem fechando os últimos dias acima dos US$ 80 o barril. “Não há ainda uma definição clara. Isso é uma diferença aí de potencial de preço e a Petrobras não vai trabalhar com pontos fora de curva. Nossa política de preços é de longo prazo e vamos continuar trabalhando desta maneira”, afirmou Costa, acrescentando que, para a estatal, ainda não está configurada a fixação de um novo patamar no preço internacional do barril do petróleo.
Agência Brasil

Cerca de cem mil pessoas desafiam pacificamente a junta birmanesa

Cerca de 100.000 pessoas, entre elas 30.000 monges budistas, desafiavam nesta terça-feira, 25, a junta militar que governa Mianmar com um protesto pacífico em Yangun, segundo estimativas citadas por testemunhas. Às 14h30 locais (05h00 de Brasília), os manifestantes estavam reunidos nas imediações do pagode Sule, no centro da cidade. Não havia agentes das forças de segurança uniformizados na área, depois de uma primeira manifestação de mais de 100.000 pessoas realizada na segunda-feira, quando a junta militar ameaçou "tomar medidas" contra os religiosos. Nesta terça-feira de manhã, autoridades governamentais que circulavam em caminhões pediram à população que não participasse da manifestação. À tarde, enquanto os monges recitavam orações próximo ao pagode Sule, algumas pessoas que apoiavam o protesto discursavam com um megafone nas imediações da prefeitura. "A reconciliação nacional é importantíssima para nós", declarou à multidão a poeta Aung Way. "A população e os monges se reuniram aqui e os monges se erguem em nome do povo", acrescentou. Alguns religiosos levavam cartazes com os dizeres: "Alimentos, roupa e casas suficientes, reconciliação nacional, liberdade para todos os prisioneiros políticos". Mianmar, um dos países mais pobres do mundo, foi governado por juntas militares nos últimos 45 anos. A principal líder opositora, Aung San Suu Kyi, foi condenada à prisão domiciliar durante a maior parte dos últimos 18 anos.
AFP

Caros,

Na manhã desta segunda-feira (24/09) o governador Cid Gomes recebeu no Palácio Iracema, às 11:30 horas, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. O objetivo do encontro foi anunciar repasses adicionais de recursos para o Sistema Único de Saúde (SUS), que servirão para minimizar a crise na saúde pública da região. O encontro também discutiu medidas de melhoria na gestão do sistema de saúde. No total, o governo federal colocará ainda este ano mais R$1,2 bilhão, para todo o país.

Atenciosamente,

Coordenadoria de Comunicação do Governo do Estadoimprensa@gabogov.ce.gov.br 085 3101.6247

A fabricação da opinião pública

Não tem sido raro encontrar, na grande mídia, a utilização do conceito de "opinião pública" para aferir um suposto consenso em relação a determinadas questões em pauta. Esse conceito foi fartamente utilizado, no ano anterior, para sugerir que a população estava indignada com as denúncias defenestradas por Roberto Jefferson. O respectivo deputado, depois que seu fuzilamento político tinha se configurado como eminente devido a uma denúncia de que ele seria chefe de um esquema de corrupção nos Correios, estrategicamente redirecionou as câmeras para o governo alardeando o famigerado "mensalão".
Logo após a ampla divulgação e espetaculzarização da denúncia de Jefferson, foi atribuída ao povo a defesa de certas atitudes e opiniões que nunca vieram a se demonstrar de forma objetiva. Um modesto exemplo dessa tentativa de fabricar a opinião pública foi o artigo de Merval Pereira, publicado em O Globo, em março de 2006 , no qual ele reporta uma análise do cientista político Marcus Figueiredo:
"[...] não há nada que ligue diretamente Lula aos acontecimentos [do mensalão], e ele conseguiu convencer que não sabia de nada. Mas os deputados que acham que o povo tem memória curta podem ser punidos nas urnas, afirma Figueiredo, lembrando que há inúmeros casos em que essa punição veio, sendo o mais famoso deles o do ex-presidente Collor, que não conseguiu ainda voltar à vida pública, nem mesmo em Alagoas." Advinha quem na eleição que se seguiu voltou à vida pública ocupando o senado, justamente por meio dos votos de Alagoas? Nesse mesmo pleito, é bom lembrar, foram eleitos o "inacusável" Paulo Maluf e o ativista do machismo Clodovil, que declarou, sem nenhum constrangimento, que só teria sua atuação parlamentar corrompida se a oferta fosse alta o suficiente. Para onde tinha ido a opinião pública vigilante, informada e intolerante aos desvios éticos dos homens públicos? E não é que o povo tenha memória curta, ou alguém em sã consciência diria que os alagoanos esqueceram que Collor foi um dia presidente do Brasil e que esteve na linha de frente de um dos maiores escândalos que esse país já vivenciou? Ora, mesmo que os nobres alagoanos quisessem, não conseguiriam tal feito, pois ali estavam os adversários do ex-presidente relembrando, a todo o momento, seu currículo político. E se denuncismo, recordações do passado e até mesmo a colaboração de parte significativa da grande mídia fossem garantias de neutralização política, Lula não teria alcançado uma vitória esmagadora sobre o picolé de chuchu. Esses exemplos são paradigmáticos para comprovar que há muito mais por trás da opinião política de massa que nossa vã Ciência Política pode explicar.Mesmo assim, insistentes, tal como Calheiros, alguns arautos do jornalismo massivo não largam o osso de se proclamarem como os detentores da opinião pública. Mesmo quando vêem suas análises pulverizadas pela decisão eleitoral e pelas sondagens de opinião, disparam anacronismos conceituais para defenderem o título que deram a si próprios. Afirmam, por esse lado, que a opinião pública nem sempre coincide com o comportamento e a escolha política da maioria da população.Essa linha de "raciocínio", que se apropria de uma visão clássica do termo, aponta que a opinião pública seria formada pelo mundo dos leitores, daqueles cidadãos que se dispõe a consumir informação e análise política sistematicamente, de forma a estar a par das posições em jogo, discuti-las e a exercerem o papel de parceiros críticos na condução da coisa pública. Como este não seria um comportamento compartilhado pela maioria da população - a qual muitas vezes formaria seu pensamento com escassa informação e sem nenhum debate mais argumentativo - então seria plausível afirmar que opinião pública e as escolhas da maioria nem sempre coincidem.Seria plausível se não fosse cínica tal posição. Pois essa mesma opinião pública é, em grande parte das vezes, fabricada tendo como matéria prima pouca informação e debate. Mal saem duas ou três declarações ou algum dossiê que qualquer burocrata mal-intencionado é capaz de forjar, para que já se tenha em mãos o que a opinião pública pensa a respeito, quando sequer houve tempo para um exame atencioso dos fatos e para um debate qualificado.Além de cínica, a utilização dessa concepção é anacrônica, inadequada aos nossos tempos. O pensador alemão Jurgen Habermas, em seu célebre livro A Mudança Estrutural da Esfera Pública, lembra que esse conceito surgiu no fim do absolutismo, quando a burguesia ascendia como classe e avançava na contestação da ordem absolutista. Esse momento "coincidiu" com o surgimento dos primeiros movimentos de industrialização e com a gênese da imprensa. Nesta, expressavam-se as vozes que se colocaram na exigência da refundação contratual do Estado, defendendo que ele fosse gerido não mais pela nobreza, que o administrava sem prestar contas a ninguém. O Estado deveria então ser considerado coisa pública (acessível a todos) e, dessa forma, ser gerido de maneira aberta e transparente aos cidadãos. Essa transparência foi traduzida na forma do princípio de publicidade, um dos fundamentos do sistema republicano até os dias de hoje. Através desse princípio, a própria esfera política deveria ser formada e sistematicamente submetida à crítica da sociedade civil para que desta emanasse a soberania popular e toda fonte de legitimidade daqueles que a representavam (os políticos eleitos). No entanto, quem eram efetivamente esses cidadãos, os que formavam o mundo dos leitores e a opinião pública? No caso, a obra de Habermas é precisa no seu levantamento histórico e estabelece que não mais de 5% da população formava esse círculo, formado eminentemente por homens e burgueses letrados. No entanto, esse círculo foi se ampliando com as lutas sociais e o processo de modernização capitalista. Como conseqüência, aquele quadro de destacada homogeneidade social foi se diversificando e se complexificando com a educação das classes trabalhadoras e a inserção da mulher na vida pública. A própria imprensa sofre modificações profundas. Ao ser anexada à indústria cultural, ela volta-se para um público cada vez maior, deixando de atender prioritariamente o interesse público para favorecer o interesse do público. Esses dois processos fazem então o mundo dos leitores uma esfera em que é cada vez menor a possibilidade de se alcançar e verificar um consenso sobre determinado assunto político. O mundo dos cidadãos e consumidores de informação política se amplia drasticamente com a democracia e a comunicação de massas. No entanto, ele sofre uma cisão entre os interessados politicamente, consumidores dedicados de fontes especializadas em informação e debate político, e aqueles (a franca maioria) que expiam preguiçosamente o mundo da política através das manchetes, do veloz e superficial noticiário.O resultado prático é que, enquanto o primeiro tipo de público dificilmente apresenta um quadro de consenso interno, pois grande parte dele é formado por diversas concepções ideológicas e partidárias cada vez mais especializadas em se digladiarem na arena produzida pelos meios de comunicação; o segundo tipo só se dispõe a prestar uma atenção mais aguçada aos assuntos políticos quando esse embate produz algo de "extraordinário", a exemplo de uma denúncia de corrupção ou uma troca de socos entre deputados e seguranças na porta do Senado. Nesse caso, não adianta colocar toda a responsabilidade na mídia por privilegiar esse tipo de cobertura, pois se ela é tão recorrente é porque existe uma real demanda por parte do público (em especial desse segundo tipo) que dá mais audiência ao escândalo que ao debate político sério e argumentativo. Mas justamente quando o escândalo surge, é aí que a tal "opinião pública" é mais frequentemente utilizada como "trunfo" retórico por parte de alguns agentes políticos, incluindo aí tanto os já citados arautos do jornalismo massivo, quanto diversos agentes pertencentes à própria esfera política.A bem verdade é que a pobre da opinião púbica, enquanto conceito de extremo valor à normatividade democrática, perdeu qualquer dignidade e respeito por parte daqueles que deviam ser os primeiros a preservá-la (a imprensa e os políticos). Cada um se arvora e fala em nome dela de acordo com sua conveniência
Numa ação para lá de sagaz, o próprio Renan Calheiros agora se utiliza da mesma tática que alguns veículos realizaram para deteriorar sua imagem pública. O senador de Alagoas, que manteve seu mandato dando claros indícios que, se condenado, despontaria como o mais novo Roberto Jefferson (aquele que cai revelando preciosos segredos de seus pares), declarou, em entrevista exclusiva ao Vermelho, que "setores levianos tentam atropelar a opinião pública e impor seus interesses".Numa arena política dominada pelo controle das aparências, o único escândalo que nem governo ou oposição se protagonizam em denunciar é que – para além dos programas partidários ou ideologias – o que mais conta na política real é a negociação operada nos bastidores, nos "acordões", bem longe do escrutínio e da visibilidade pública. Em suma, na disputa pelo controle das aparências, a opinião pública é forjada de acordo com interesses de levianos e canalhas.

Diógenes de Sousa é jornalista

Pessoas: espelhos verdadeiros

As pessoas de hoje estão vivendo em um momento áureo. A humanidade se multiplicou e cresceu. Existem pessoas de todos os tipos, frutos das misturas de raças, de códigos genéticos, de culturas e crenças. A partir daí aumentaram também os desafios. A convivência revela a fundamental importância de viver em grupo. Vive-se em grupo na verdade para desenvolver sentimentos de compreensão, respeito, aceitação e amor. Todos estes sentimentos levam o ser humano a evoluir a sua própria consciência e evoluir também a consciência da existência do outro. E assim começam a aparecer verdadeiros espelhos.

A riqueza maior da convivência está em compreender a função que as pessoas exercem na vida das outras. Elas muitas vezes são verdadeiros espelhos humanos. No momento que você sente que uma pessoa lhe incomoda, seja pelo seu perfil, comportamento, estilo, cor, credo ou simplesmente sem motivo aparente. Isto representa na verdade um presente da lei divina para você. Na realidade, a pessoa está mostrando através dela uma imagem sua refletida, e por isso o desconforto. Ninguém gosta de ver aquilo que não aceita em si. E não gosta de ver sua imagem revelada pelo outro.

Em grupos seja no trabalho, lazer, familiar estes espelhos estão sempre presentes, sempre revelam a sua imagem em situações inesperadas. E a reação imediata é de irritação e consequentemente o sentimento de antipatia pela pessoa, ou melhor, pelo seu próprio reflexo. Guardar mágoa e rancor do outro adoece seu corpo, e liga você à pessoa que você não gosta, o ódio amarra as pessoas. Este sentimento as aprisionam por tempo indeterminado. Ao contrário, se agradecer a ela por ter revelado a você aquilo que não aceita em si mesmo, você estará ganhando o direito da liberdade. Então o caminho que escolheu te liberta da pessoa, ela é livre e você também. Neste caso a força maior foi a do amor, respeito, compreensão e muita gratidão.

Os grupos de pessoas exercem muito mais a função de espelhos humanos, do que qualquer outro papel que se possa imaginar. Depois de compreendido que você está constantemente sendo espelhado e também espelhando outras pessoas, perceberá que viver em grupo é uma oportunidade única de crescimento humano e mais ainda divino. Depois da evolução do espelhamento como fonte de crescimento pessoal, você poderá encontrar verdadeiros exemplos de seres humanos. Aqueles, únicos na existência, capazes de ver que, o amor é maior que o ódio, que a compreensão é profunda, que o respeito é natural e vê na aceitação uma prática diária. A vida para eles torna-se muito mais leve.

Viver em grupo neste estágio de consciência significa que você descobriu a fórmula secreta de ser verdadeiramente livre. Livre para viver com todas as diferenças. Livre para viver em qualquer lugar neste planeta.

Escrito por Rosangela Cristina da Silva

QUEM MATOU TAÍS?

Lá para os idos de 1990, Renan Calheiros era um fiel escudeiro de Fernando Collor.
Lembro que ele chamava atenção pelo cabelo sempre despenteado.
Era uma figura estranha, vivendo na sombra do poder.
Foi eleito senador pelo estado de Alagoas em 1994 e reeleito em 2002.
Quando do impeachment, fazia parte da "tropa de choque" que defendia Collor.Collor se foi, mas Renan ficou. E aprendeu como poucos a navegar no mundo da política.
Foi ministro da Justiça no governo de Fernando Henrique Cardoso, ocasião em que presidiu a XI Conferência dos Ministros da Justiça dos Países Ibero-Americanos, e pouco depois a reunião dos ministros do Interior do Mercosul, Bolívia e Chile. Foi também presidente do Conselho Nacional de Trânsito (Contran); do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda); do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH) e do Conselho Nacional de Segurança Pública (Conasp). Em 2002, foi um dos mentores do Estatuto do Desarmamento. Chegou a Presidente do Senado Federal em 2005 e foi reeleito em 2007. O cabelo despenteado desapareceu, a roupa melhorou, o patrimônio aumentou. E ele acabou traçando aquela tetéia que era repórter da Rede Globo. O resto já sabemos. O escudeiro transforma-se na figura central da política brasileira durante o primeiro semestre de 2007. Surgem denúncias em cima de denúncias. Mas o cara não cai. Resiste bravamente, de tal forma que começamos a desconfiar que ele tem mais do que inocência.Ele sabe das coisas. Ou melhor, ele sabe de coisas. Sabe tanto que pode ameaçar: - Se cair, levo um monte junto.Esse é o risco que corre quem tem escudeiro. O escudeiro conhece as manias do príncipe, as fraquezas do príncipe, as sacanagens do príncipe. E seu conhecimento pode destruir o príncipe. Para livrar-se dele o príncipe tem que mandar matar. Ou aceitar a chantagem.O que assistimos nos últimos meses talvez seja um dos maiores escândalos de chantagem pública "destepaíz". Nunca antes um senador teve em suas mãos tanto poder, tanto conhecimento para causar medo.Veja só: provoca o afastamento de Fernando Collor, que se licencia de seu mandato reconquistado depois de cumprir a pena pelo impeachment. Collor não pode votar contra seu ex-escudeiro. Provoca a saída do país do Presidente Lula, que faz teatro do outro lado do mundo. Destrói a carreira de Aloísio Mercadante, que mais uma vez tenta explicar o inexplicável, justificar o injustificável. Expõe a cara-de-pau de um Romero Jucá, de um Epitáfio Cafeteira. Deixa explícito que a mídia pode muito, mas não pode tudo. Mancha definitivamente a imagem do Senado. É poder demais para um senador só, o que nos leva a perguntar: o que é que Renan sabe?Eu posso imaginar. Sabe de outros senadores e deputados que usam dos mesmos expedientes que ele usou para benefício próprio. Sabe tudinho do mensalão. Sabe das negociatas para compra de votos, para mudança de legenda, para proteção de empresas devedoras frente ao fisco. Sabe das doações de bancos e grandes empresas. Sabe de concessões de rádio e televisão. Sabe quem come quem. Sabe dos propinodutos variados (aliás, quando é que uma CPI vai dedicar-se a esmiuçar os contratos da área de informática no governo?). Deve saber dos acordos envolvendo as Farcs. Chavez. Fidel Castro. Sabe de muitos outros filhos fora do casamento. Talvez Renan saiba quem matou Celso Daniel e o Toninho do PT. Deve saber sobre os bastidores das privatizações. Conhece alguns - ou muitos - podres envolvendo as grandes estatais. Sabe do Kia, do Boris e do Corinthians...Renan tem o poder supremo: informação. Ele manda em quem quiser. Ele dita regras, exige apoio e faz tremer. Renan pode tudo. E sabe que pode. Daí aquela segurança, aquela arrogância, aquele sorrisinho, aquele "abisolutamente", aquela certeza, aqueles abraços e apertos de mão inexplicáveis. Renan é o cara.Quer saber? Eu acho que Renan sabe até quem matou a Taís.E nós, que pensamos que sabemos das coisas e na verdade sabemos de nada? Vamos seguir a vida, bovinamente resignados e obedecendo ao supremo mandamento do novo Brasil:- Cale a boca. E compre.Será que o Renan sabe até quando?

Este artigo é de autoria de Luciano Pires (www.lucianopires.com.br) e está liberado para utilização em qualquer meio, contanto que seja citado o autor e não haja alteração em seu conteúdo.