quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Lula absolvido: cai a farsa do ‘quadrilhão’; leia decisão na íntegra


Postado em 4 de dezembro de 2019


Advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin, exaltou a decisão vinda de um “juiz imparcial” na “descabida acusação” contra Lula.

O advogado do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin, publicou em seu Twitter a notícia da absolvição de Lula no caso do ‘quadrilhão’. Zanin diz: “perante um juiz imparcial, conseguimos hoje a absolvição sumária de Lula. O magistrado de Brasília indicou a “tentativa de criminalizar a atividade política” pela descabida acusação que ficou conhecida como “quadrilhão” – que faz parte do Lawfare contra Lula”.

Veja a decisão na íntegra:

Nota 16 – Decisão Lula

Por PT

Fonte: https://ptnacamara.org.br/portal/2019/12/04/lula-absolvido-cai-a-farsa-do-quadrilhao-leia-decisao-na-integra/

Delator inocenta Glenn Greenwald e diz que ele não pagou pelas mensagens da Vaza Jato


Membro do grupo que acessou mensagens dos celulares de várias autoridades, como Sérgio Moro e Deltan Dallagnol, Luiz Henrique Molição participou da negociação com o jornalista do Intercept Glenn Greenwald para a entrega de conteúdos acessados, mas garantiu que o americano não pagou pelo material nem o encomendou

5 de dezembro de 2019, 08:44 h Atualizado em 5 de dezembro de 2019, 10:13


(Foto: Marcos Oliveira)


247 - Em delação premiada, Luiz Henrique Molição, membro do grupo que acesso o conteúdo dos celulares de mais de mil autoridades, inocentou o jornalista do site Intercept Brasil Glenn Greenwald. A informação foi publicada na coluna da Lauro Jardim.

Molição participou da negociação com Greenwald para a entrega do conteúdo hackeado, garantiu que o americano não pagou pelo material nem o encomendou.

Ele contou que tentaram vendê-lo para Manuela D”Ávila. A ex-deputada recusou-se a pagar, mas disse que poderia indicar um jornalista que publicaria as trocas de mensagens hackeadas.

O Intercept Brasil vem revelando desde junho várias irregularidades da Operação Lava Jato. De acordo com a séria de reportagens que vêm sendo publicadas, o ex-juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça, interferia no trabalho de procuradores, fazendo orientações sobre a forma de fazer a acusação, o que fere a equidistância entre quem julga e quem acusa.

Fonte: https://www.brasil247.com/brasil/delator-inocenta-glenn-e-diz-que-ele-nao-pagou-pelas-mensagens

Dilma: Globo age contra a liberdade de imprensa e foge da notícia da absolvição


Ex-presidente criticou o espaço desproporcional dado pela emissora nos momentos da denúnca e da decisão que absolveu, nesta quarta-feira 4, a ela e ao ex-presidente Lula da acusação sobre o 'quadrilhão' no PT. "A mentira foi tratada como verdade absoluta e a absolvição foi escondida"

5 de dezembro de 2019, 12:04 h Atualizado em 5 de dezembro de 2019, 12:50


Ex-presidente Dilma Rousseff critica parcialidade da Globo Ex-presidente Dilma Rousseff critica parcialidade da Globo (Foto: Ederson Casartelli | Reprodução)


247 - A ex-presidente Dilma Rousseff apontou nesta quinta-feira 5, em crítica nas redes sociais, a forma desproporcional como a TV Globo tratou a decisão do juiz Marcos Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal do Distrito Federal, que absolveu a ela e ao ex-presidente Lula da acusação de comandarem uma quadrilha durante os governos do PT.

"A Globo age contra a liberdade de imprensa ao não divulgar de forma equânime as notícias sobre o PT", criticou Dilma. "A mentira foi tratada como verdade absoluta e a absolvição foi escondida", acrescentou, apontando os tempos dedicados por telejornais da Globo em cada um dos casos.

Tratava-se apenas de uma acusação, mas a Globo mostrou o caso "como um escândalo", destacou ainda a ex-presidente.

Em sua sentença o magistrado diz que a denúncia do Ministério Públioco Federal "traduz tentativa de criminalizar a atividade política" e não apresenta provas do envolvimentos dos ex-presidentes nas acusações. Também foram absolvidos da acusação os ex-ministros Antonio Palocci e Guido Mantega, e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

Dilma Rousseff

@dilmabr

1 A Globo age contra a liberdade de imprensa ao não divulgar de forma equânime as notícias sobre o PT. A denúncia feita em set/2017 contra Lula, Dilma e outros militantes, foi noticiada no JN com 4m33s e no Bom Dia Brasil em 8m48s.

Dilma Rousseff

@dilmabr

2 Era, então, apenas uma acusação e, como sempre faz quando se trata do PT, a Globo tratou o caso como escândalo.

Dilma Rousseff

@dilmabr

3 Agora que, em sentença proferida ontem, a Justiça nos absolveu da acusação, a Globo foge da notícia: apenas 51s no JN e 47s no Bom Dia. A mentira foi tratada como verdade absoluta e a absolvição foi escondida. @linsaquiles denunciou a desonestidade da Globo no Twitter.

Fonte: https://www.brasil247.com/midia/dilma-globo-age-contra-a-liberdade-de-imprensa-e-foge-da-noticia-da-absolvicao

Bolsonaro afronta STF e se nega a divulgar gastos com cartão corporativo


O Supremo Tribunal Federal derrubou o sigilo de gastos da presidência da República, mas ele ainda continua a negar acesso aos extratos. Portal da Transparência guarda em segredo a forma como foram gastos R$ 9,8 milhões de seu cartão corporativo

5 de dezembro de 2019, 11:25 h Atualizado em 5 de dezembro de 2019, 12:14

  • (Foto: ADRIANO MACHADO - REUTERS)


    247 - Jair Bolsonaro continua a negar acesso ao extrato de seu cartão corporativo. O detalhe é que o Supremo Tribunal Federal derrubou o sigilo de gastos da presidência da República. A decisão entrou em vigor no dia 11 de novembro.

    O Portal da Transparência relata em segredo a forma como foram gastos R$ 9,8 milhões do cartão corporativo de Bolsonaro, tanto na Presidência da República quanto em órgãos como o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin). É o maior gasto no período desde 2014, durante a gestão de Dilma Rousseff (PT).

    O governo já havia tomado outra decisão que fere a transparência das informações públicas. Em janeiro, o então presidente em exercício, Hamilton Mourão, alterou a Lei de Acesso à Informação (LAI) para dificultar o acesso a dados e documentos do governo federal.

    As informações são da Revista Forum

    Fonte: https://www.brasil247.com/brasil/bolsonaro-afronta-stf-e-se-nega-a-divulgar-gastos-com-cartao-corporativo

    Glenn aciona STF contra Bolsonaro por ofensa relacionada à adoção dos filhos


    O jornalista Glenn Greenwald interpelou Jair Bolsonaro, que o chamou de "malandro" e o acusou de se casar com "outro malandro" e "adotar criança no Brasil" para evitar deportação. Advogados do jornalista acusam Bolsonaro de praticar homofobia

    5 de dezembro de 2019, 11:52 h Atualizado em 5 de dezembro de 2019, 13:30


     

    247 - O jornalista e editor do site The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, demonstra que não irá deixar barato as últimas acusações de Jair Bolsonaro a respeito de sua vida pessoal e interpelou o Supremo Tribunal Federal (STF) reivindicando que o chefe do Planalto confirme "se foi efetivamente o autor das frases" em que chamou o americano de "malandro que, para evitar um problema desse [deportação], casa com outro malandro ou adota criança no Brasil".

    Segundo informação da jornalista Mônica Bergamo, em sua coluna no jornal Folha de S.Paulo, o pedido de Greenwald também solicita que Bolsonaro informe "a que fato, investigação ou processo estava se referindo quando afirmou" que o jornalista talvez "pegue uma cana" no Brasil.

    Os advogados do jornalista argumentam que a fala de Bolsonaro, proferida em julho, "é marcada pela homofobia e pela ofensa à honra do requerente [Greenwald]--e também contra uma coletividade intangível de seres humanos-- fere a sua dignidade enquanto ser humano, além de ser inadmissível para um chefe de Estado".

    "É bem verdade que as diversas condutas do requerido, exemplificativamente apontadas por ocasião da presente, parecem ser, infelizmente, intrínsecas à sua pessoa. No entanto, tal fato não pode dar azo a repetidos episódios de LGBTfobia como os protagonizados pelo requerido, devendo este responder civil e, a partir da recente decisão do Supremo Tribunal Federal, penalmente pelos atos praticados contra esta categoria.Fonte: https://www.brasil247.com/poder/glenn-aciona-stf-contra-bolsonaro-por-dizer-que-ele-e-e-david-miranda-sao-malandros-em-adocao-dos-filhos

    quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

    Ao fazer ‘toma lá da cá’ com Congresso, Bolsonaro comete quase um ‘estelionato eleitoral’, diz professora

    Jair Bolsonaro (EVARISTO SA / AFP)

    PUBLICADO NA REDE BRASIL ATUAL

    Até o final deste ano, o governo de Jair Bolsonaro deve liberar cerca de R$ 1,2 bilhão em emendas aos parlamentares para garantir vitória em votações no Congresso Nacional. De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, desta terça-feira (3), deputados e senadores foram informados de que o governo prometeu uma execução semanal de R$ 300 milhões. O compromisso com a liberação foi firmado ainda no primeiro semestre do ano como moeda de troca para apoio às medidas do Executivo.

    Agora, o governo espera aprovar até o dia 17 de dezembro o orçamento para 2020, e pretende destravar essa pauta com a execução de emendas que já foram anunciadas aos presidente da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP), respectivamente, e ao líder do governo no Congresso, o senador Eduardo Gomes (MDB-TO).

    Na prática, Bolsonaro repete o “toma lá, dá cá”, que ficou caracterizado também no processo de aprovação da “reforma” da Previdência, quando recursos do programa Mais Médicos foram desviados para a compra de apoio, como analisa a cientista política e professora da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Maria do Socorro Souza Braga em entrevista aos jornalistas Marilu Cabañas e Cosmo Silva, da Rádio Brasil Atual.

    “Ele (Bolsonaro) acabou, digamos assim, cometendo quase que um estelionato eleitoral para o eleitorado, porque ele se vendeu praticamente durante a campanha dizendo que não ia fazer o que chamou de ‘jogo das velhas raposas’, dos partidos que a gente começa a considerar tradicionais”, ressalta Maria do Socorro.

    “Ele se elege falando que não ia entrar pela velha política, não ia ficar nessas negociações a varejo e ele não tem como não fazer isso, porque é um governo de minoria e governo de minoria vai ter que negociar cada pleito porque não tem aquela base parlamentar que ele devia ter trabalhado desde o começo do governo”.

    “Ele (Bolsonaro) terá maiores dificuldades e ficará refém do Congresso. Porque o Congresso hoje tem condições de mostrar para a sociedade que ele é capaz de garantir a governabilidade. Não é pensar que o Congresso está negociando questões particulares, claro que tem uma continuidade dessa política, de negociar e fazer essa barganha, mas tem uma outra parte do Congresso que está mostrando também para o Executivo que não concorda com a sua pauta, com os seus projetos de lei”, avalia a docente.

    Perto das eleições municipais que ocorrem em 2020, os parlamentares aproveitam das emendas para utilizá-las no fortalecimento de suas bases eleitorais. Por enquanto, se as regras legislativas forem mantidas, o novo partido de Bolsonaro seguirá fora da disputa municipal do ano que vem. A cientista política destaca que o cenário é “complicado para a família Bolsonaro”, que nesta semana teve já o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), suspenso pela diretoria nacional do seu partido.

    Fonte: https://www.diariodocentrodomundo.com.br/ao-fazer-toma-la-da-ca-com-congresso-bolsonaro-comete-quase-um-estelionato-eleitoral-diz-professora/

    Um ano depois, caso Queiroz patina: Flávio Bolsonaro nem sequer prestou depoimento


    Queiroz e Flávio Bolsonaro

    De Gabriel Sabóia no UOL.

    Um ano após ser revelado que o antigo Coaf identificou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão em nome de Fabrício Queiroz, ex-assessor do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, o STF (Supremo Tribunal Federal) abre caminho para que o caso volte a ser investigado. Tido como a primeira crise do clã Bolsonaro após a eleição presidencial, a investigação enfrentou uma batalha judicial que envolveu a quebra de 95 sigilos bancários e fiscais e a paralisação de mais de 900 ações contra corrupção no país.

    Desde que o caso veio à tona, o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se beneficiou de duas decisões de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). A turbulência política provocada pela investigação não foi suficiente contudo para que Flávio prestasse de forma espontânea esclarecimentos ao MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro).

    Até hoje o senador não prestou depoimento a promotores e se recusa a falar sobre o assunto quando procurado pela imprensa. Já o ex-assessor só se manifestou por escrito ao MP.

    (…)

    Em posse do relatório, o MP-RJ agendou para o dia 6 de dezembro do ano passado, a primeira oitiva de Queiroz. Mas o PM não compareceu para prestar esclarecimentos. Na véspera, a defesa dele havia solicitado ao órgão a cópia integral do procedimento investigatório. A Promotoria concedeu o adiamento da data e estipulou o dia 19 daquele mês como a data em que ele deveria comparecer ao órgão.

    (…)

    PS do DCM: Ao depor por escrito, Queiroz teve tratamento que é dispensado a presidentes da república. Quando ocupava o Planalto e era investigado por corrupção e formação de quadrilha, Michel Temer não era ouvido pessoalmente, sempre por escrito. Queiroz não atendeu a algumas intimações e depois seus advogados acertaram com os promotores que ele poderia responder a um questionário. Foi o que aconteceu. Formalmente, a deferência foi em razão de seu estado de saúde — ele tem câncer. A revista Veja publicou reportagem que mostra que vive em São Paulo — não está internado — e vai de táxi, sozinho, para o hospital no Morumbi onde faz tratamento. A rigor, não impede que deponha.

    Fonte: https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/um-ano-depois-caso-queiroz-patina-flavio-bolsonaro-nem-sequer-prestou-depoimento/

    segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

    Jamil Chade: anúncio de Trump deixa Ernesto Araújo numa enorme saia-justa


    Jornalista descreve o anúncio de Trump sobre a tarifação do aço e do alumínio brasileiro como a prática do slogan 'America First'. "Só o governo brasileiro e a nova chancelaria brasileira pareciam não querer acreditar. Ou entender, o que é mais grave", escreve

    2 de dezembro de 2019, 12:19 h


    Jornalista Jamil Chade e o chanceler Ernesto Araújo Jornalista Jamil Chade e o chanceler Ernesto Araújo (Foto: Reprodução | ABr)


    247 - O jornalista Jamil Chade, que fica em Genebra e tem larga experiência na cobertura da política externa brasileira, descreve o anúncio feito pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, nesta segunda-feira 2, como a prática do slogan 'America First'.

    Pelo Twitter, Trump afirmou que irá retomar imediatamente tarifas norte-americanas sobre importações de aço e alumínio do Brasil e da Argentina e acusou os dois países de desvalorizarem suas moedas para prejudicar os produtores do agronegócio dos EUA.

    "Só o governo brasileiro e a nova chancelaria brasileira pareciam não querer acreditar. Ou entender, o que é mais grave", escreve Jamil Chade em sua coluna no UOL, para quem o anúncio deixa o chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, "numa enorme saia-justa".

    "Um ano depois de comandar o Itamaraty, ou ele entende que Trump apenas tem o interesse de salvar seu mandato, ou está na hora de buscar uma função em algum think-tank financiado pelos ultra-conservadores americanos", avalia sobre o ministro das Relações Exteriores.

    Fonte: https://www.brasil247.com/midia/jamil-chade-anuncio-de-trump-deixa-ernesto-araujo-numa-enorme-saia-justa

    domingo, 1 de dezembro de 2019

    OAB do Rio de Janeiro vai pedir cassação do mandato de Jair Bolsonaro ao STF


    O órgão também pretende acionar a Corte Interamericana de Direitos Humanos, na Costa Rica, para que medidas limitem a apologia à tortura no Brasil. Ao votar contra o impeachment, o deputado exaltou a ditadura e elogiou Carlos Brilhante Ustra.


    • Copie o código abaixo para usar no seu site:

      Código copiado!

    Jair Bolsonaro ao votar na Câmara (Crédito: reprodução TV Câmara)

    Jair Bolsonaro ao votar na Câmara

    Crédito: reprodução TV Câmara

    Fonte: http://cbn.globoradio.globo.com/editorias/politica/2016/04/19/OAB-DO-RIO-DE-JANEIRO-VAI-PEDIR-CASSACAO-DO-MANDATO-DE-JAIR-BOLSONARO-AO-STF.htm?fbclid=IwAR2DTOmtlvmRPsbwWNVeOwfzTGUWR33ZwLIcjldCB_sSSDnzqo43G88Yqc0

    sexta-feira, 29 de novembro de 2019

    Comunicado Ufológico

    Jacinto Pereira de Souza

    Agora mesmo ·

    Amigos ufólogos e simpatizantes da Ufologia boa tarde. Quero informar que não poderei ir a Sobral hoje nossa costumeira reunião plenária de ufologia do CSPU, estou com pessoas trabalhando hoje e amanhã na minha casa no Preá, não tenho sair. Por isso peço desculpas, mas em breve estarei entrando em contato para realizarmos uma plenária ufológica em Sobral.
    Abraço a todos
    Jacinto Pereira de Souza.