terça-feira, 22 de agosto de 2017

Na recessão de Temer, 60 milhões de brasileiros estão inadimplentes


Marcos Santos/USP Imagens | ABR

247 - Pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) aponta que o Brasil possui 59,4 milhões de pessoas com o CPF negativado, estando impedidas de terem acesso ao crédito, a despeito do discurso oficial sobre a melhora dos indicadores econômicos.

O desemprego e a queda na renda são apontados como os principais fatores que levaram a inadimplência, de acordo com a pesquisa, que será divulgada nesta terça-feira 22, mas foi adiantada pelo jornal O Globo.

Segundo a pesquisa, 26% dos 600 entrevistados em todo o país apontaram o desemprego como a principal razão para a inadimplência. Outros 14% citaram a queda na renda como a causa do atraso.

Em 2016 e 2015, o desemprego foi citado como a causa da inadimplência por 28% e 33% dos entrevistados, respectivamente. A dívida média da população é de R$ 2.980,00 um valor considerado alto pelo SPC.

A maioria dos inadimplentes (93%) está nas classes C, D e E, enquanto 7% pertencem às classes A e B. O estudo revela que cinco em cada dez acham que não conseguirão quitar nem ao menos uma parte dos débitos atrasados nos próximos três meses.

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/seudinheiro/313095/Na-recess%C3%A3o-de-Temer-60-milh%C3%B5es-de-brasileiros-est%C3%A3o-inadimplentes.htm

PF diz que propina de R$ 2 mi da OAS foi para Agripino


247 - Relatório da Polícia Federal atribui propina de R$ 2 milhões da OAS ao senador José Agripino (DEM-RN). A PF vê envolvimento do parlamentar e do empreiteiro Léo Pinheiro em irregularidades no financiamento do BNDES destinado a obras na Arena das Dunas, estádio em Natal para a Copa de 2014.

A Polícia Federal concluiu nesta segunda-feira, 21, o inquérito 4141 do Supremo Tribunal Federal, instaurado para apurar eventual participação de recebimento de vantagens indevidas por parte de um senador da República.

Em nota, a PF informou que a investigação apurou a participação do Senador pelo Partido Democratas, José Agripino Maia, ‘na solicitação e recebimento de vantagens indevidas da empresa OAS em troca de seu auxílio político na liberação de recursos de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social -BNDES direcionados à construção da Arena das Dunas, em Natal/RN, no ano de 2013’.

O recebimento das vantagens ilícitas se deu tanto por meio de doações eleitorais oficiais, que foram direcionadas ao diretório, como por meio de repasses em espécie, que transitaram por contas do próprio investigado e também por contas de familiares, entre os anos 2012 a 2014, totalizando a quantia de pelo menos R$ 2 milhões.

A Polícia Federal informou que a investigação baseou-se no resultado da análise de mensagens de texto extraídas do celular de José Adelmário Pinheiro Filho, bem como nas informações colhidas na delação premiada do doleiro Alberto Youssef e do carregador de malas Rafael Ângulo Lopez, além do exame de mais de mil páginas de documentos, a inquirição de diversas pessoas, quebras de sigilo bancário, fiscal e telefônico dos investigados.

As informações são de reportagem de Julia Affonso e Fausto Macedo no Estado de S.Paulo.

Abaixo, reportagem da Reuters:

(Reuters) - A Polícia Federal indiciou o senador José Agripino (DEM-RN) pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro devido ao recebimento de propina da empreiteira OAS em troca de auxílio político para liberação de recursos do BNDES voltados à construção da Arena das Dunas, em Natal, para a Copa do Mundo de 2014, informou a PF na noite de segunda-feira.

"O recebimento das vantagens ilícitas se deu tanto por meio de doações eleitorais oficiais, que foram direcionadas ao diretório, como por meio de repasses em espécie, que transitaram por contas do próprio investigado e também por contas de familiares, entre os anos de 2012 a 2014, totalizando a quantia de pelo menos 2 milhões de reais", disse a polícia em comunicado.

Além do senador, que é o atual presidente do DEM, também foram indiciados pela PF o ex-presidente da OAS José Aldemário Pinheiro Filho, o Leo Pinheiro, e Carlos Thompson Costa Fernandes, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte à época dos fatos.

Segundo a Polícia Federal, a investigação teve como base depoimentos em delação premiada do doleiro Alberto Youssef e de seu sócio Rafael Ângulo Lopez, além da análise de mensagens de texto extraídas do telefone celular de Leo Pinheiro, quebras de sigilo bancário, fiscal e telefônico dos investigados e depoimentos de diversas pessoas.

Por ter um senador da República entre os alvos, o inquérito corre dentro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Não foi possível fazer contato de imediato com os indiciados.

A construção do estádio de Natal para a Copa do Mundo, que custou cerca de 400 milhões de reais, também é alvo de outra investigação da PF que resultou na prisão em junho do ex-ministro do Turismo e ex-presidente da Câmara dos Deputados Henrique Eduardo Alves (PMDB).

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/313044/PF-diz-que-propina-de-R$-2-mi-da-OAS-foi-para-Agripino.htm

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Você já viu corrupto e criminoso defender alguém honesto e honrado?

Maia ignora corrupção de Temer e vê instabilidade em seu impeachment

Reuters

247 – O golpe de 2016 fracassou tanto economicamente quando do ponto de vista do combate à corrupção, mas o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), enxerga um Brasil estável.

“Acho que a Câmara já julgou os fatos que estão no pedido de impeachment na denúncia. Se a gente ficar remoendo o mesmo assunto, a gente só vai gerar instabilidade no Brasil”, disse o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), antes de participar de um evento sobre reforma política.

Temer foi o primeiro ocupante da presidência denunciado por corrupção na história do Brasil e está prestes a ser denunciado por obstrução judicial; desde que chegou ao poder, em maio do ano passado, a economia afundou, o desemprego disparou e a dívida interna ganhou uma trajetória explosiva – ou seja, tudo errado, mas Maia vê um Brasil estável, enquanto a OAB cobra a análise dos pedidos de impeachment apresentados.

Abaixo, reportagem da Agência Brasil

Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse hoje (21) que julgar os processos de impeachment contra o presidente Michel Temer pode piorar o cenário político do país. “Acho que a Câmara já julgou os fatos que estão no pedido de impeachment na [votação da] denúncia. Se a gente ficar remoendo o mesmo assunto, a gente só vai gerar instabilidade no Brasil”, disse, antes de participar de um evento sobre reforma política promovido pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Na semana passada, o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, entrou no Supremo Tribunal Federal (STF) com um mandado de segurança, com pedido de liminar, para obrigar o presidente da Câmara a analisar o pedido de impeachment feito pela entidade contra o presidente Michel Temer. No dia 25 de maio, a OAB protocolou na Câmara um pedido contra Temer tendo como base as gravações entre ele e o empresário Joesley Batista, um dos donos da empresa JBS.

Para Maia, as acusações contra Temer já foram analisadas pelos deputados. No dia 2 de agosto, a Câmara dos Deputados rejeitou a denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente. O processo está baseado na delação premiada de Joesley Batista.

“Nós vamos, agora, fazer o mesmo processo de impedimento, com as mesmas informações que nós temos, é querer parar o Brasil. Não me parece a coisa mais razoável”, enfatizou o presidente da Câmara, que também negou que haja demora em analisar o tema. “Os pedidos de impeachment na Câmara e no Senado correm no seu tempo”, acrescentou.

Reforma Política

Maia defendeu o texto da reforma política que deve ser apreciado nesta terça-feira (22) pelo plenário da Câmara dos Deputados. Segundo ele, a criação do “distritão” abre espaço para renovação nos cargos eletivos. “Acho que o sistema majoritário sempre renova mais que o sistema proporcional, que é muito conservador do que qualquer sistema majoritário”, disse.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 77/03 propõe a mudança do sistema proporcional para as eleições de deputados e vereadores para a modalidade chamada “distritão”, no qual são eleitos os candidatos mais votados, sem considerar a proporcionalidade dos votos recebidos pelos partidos e coligações. Além disso, está no texto a criação de um fundo para financiar as campanhas eleitorais a partir de 2018.

Para o presidente da Câmara, a proposta representa uma conciliação para que em 2022 seja adotado um sistema que mescla a eleição majoritária com proporcional. “Tem um texto que vai fazer uma transição com o sistema atual para o sistema majoritário, que vai caminhar, em 2022, para o distrital misto. Dessa forma eu acho que é um ganho para o Brasil, já que os dois extremos, os dois polos de sistema que são defendidos não tem votos sozinhos para a sua vitória. Nem o distrital, nem a lista fechada consegue construir a maioria”, disse.

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/312921/Maia-ignora-corrup%C3%A7%C3%A3o-de-Temer-e-v%C3%AA-instabilidade-em-seu-impeachment.htm

Justiça atende pedido de ação popular e suspende venda de Parente


Reuters - A Justiça Federal no Sergipe suspendeu em caráter temporário a venda pela Petrobras de uma fatia de 50 por cento na Termobahia para a Total Brasil E&P, da petroleira francesa Total, após uma ação popular, de acordo com um documento visto pela Reuters.

O negócio faz parte do acordo de 2,2 bilhões de dólares assinado em dezembro do ano passado entre ambas as companhias, que envolve a cessão de direitos em áreas no pré-sal, compartilhamento de terminal de regaseificação, transferência de fatias em térmicas, entre outros negócios.

A Termobahia opera as termelétricas Celso Furtado e Rômulo de Almeida, ambas na Bahia. A Petrobras detém cerca de 99 por cento das ações com direito a voto na empresa, e com a concretização da venda essa fatia cairia para pouco mais de 49 por cento.

"A venda dos ativos da Petrobrás sem licitação se encontra maculado de inconstitucionalidade material, razão pela qual deverá ser declarado nulo de pleno direito", afirma o relatório do juiz Edmilson da Silva Pimenta, da 3ª Vara Federal no Sergipe, que assinou a decisão judicial.

A decisão deve ser cumprida imediatamente, mas não foi fixada multa por eventual descumprimento. As empresas terão 40 dias para contestar a decisão.

Petrobras e a Total não puderam ser contatadas imediatamente.

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/economia/312936/Justi%C3%A7a-atende-pedido-de-a%C3%A7%C3%A3o-popular-e-suspende-venda-de-Parente.htm

Bloomberg vê recessão épica no Brasil e década perdida


247 - A agência internacional do mercado econômico Bloomberg destaca uma "recessão épica" vivenciada pelo Brasil e vê uma "década perdida" no País.

Reportagem publicada nesta segunda-feira 21 aponta as consequências devastadoras do colapso econômico e político brasileiro e destaca que o aumento no número dos moradores de rua e a decomposição da infra-estrutura como "talvez os sintomas mais evidentes".

O texto alerta, porém, que "a queda menos visível - como o cancelamento de almoços escolares e os cortes para pesquisas médicas que salvam vidas - podem deixar seu legado mais devastador" no País.

"Milhões de brasileiros saíram da pobreza durante o governo Lula e começaram a apreciar os frutos de um estilo de vida de classe média. Hoje, a escada da estrutura socioeconômica notoriamente rígida do Brasil é inacessível para a maioria das pessoas", diz o texto.

Leia aqui em inglês.

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/312933/Bloomberg-v%C3%AA-recess%C3%A3o-%C3%A9pica-no-Brasil-e-d%C3%A9cada-perdida.htm

Associação Brasileira de Ciência Política diz 'não' ao distritão


REUTERS/Ueslei Marcelino

247 - A Associação Brasileira de Ciência Política deve entregar nesta segunda-feira, 21, ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), manifesto em que coloca contrária ao modelo eleitoral que ficou conhecido como "distritão", pelo qual são eleitos os mais votados nas eleições para deputados e vereadores.

O documento tem assinatura de 180 cientistas políticos das principais universidades do País. "Com o fim do voto de legenda e da transferência de votos dentro das agremiações partidárias, os candidatos correrão por conta própria, a título individual, enfraquecendo os partidos políticos e em nada contribuindo para minorar o personalismo na corrida eleitoral. Além disso, diferentemente do atual modelo, milhões de votos serão jogados fora, visto que somente serão válidos os votos dos eleitos", diz o texto.

Leia, abaixo, a íntegra do manifesto.

Ao Excelentíssimo Senhor Rodrigo Maia (DEM-RJ), Presidente da Câmara dos Deputados (Brasília, DF):

Nós, estudiosos da ciência política brasileira, vimos por meio desta manifestar posição contrária à adoção do modelo de sistema eleitoral denominado "distritão", que se encontra mais uma vez em discussão nesta Casa.

A introdução do distritão nas eleições para a Câmara dos Deputados, Assembleias Legislativas e Câmaras de Vereadores representará um verdadeiro retrocesso institucional. Com o fim do voto de legenda e da transferência de votos dentro das agremiações partidárias, os candidatos correrão por conta própria, a título individual, enfraquecendo os partidos políticos e em nada contribuindo para minorar o personalismo na corrida eleitoral. Além disso, diferentemente do atual modelo, milhões de votos serão jogados fora, visto que somente serão válidos os votos dos eleitos.

Mesmo com as novas regras que regulamentam o financiamento de campanhas, há indícios de que o distritão acarretará o aumento dos custos das campanhas eleitorais, pois, sem incentivo algum para a cooperação dentro dos partidos, os candidatos necessitarão de maior exposição individual. Ademais, facilitará o renascimento de oligarquias regionais e contribuirá para a diminuição da qualidade da representação política, ao proporcionar maiores condições de vitória a concorrentes sem experiência parlamentar.

Se a necessidade de uma reforma política surge do diagnóstico de que os partidos são frágeis, a adoção do distritão parece ter como objetivo fragilizá-los ainda mais, interessando a certos segmentos da classe política profissional, em particular àqueles com maior facilidade para dispor de vultosos recursos para suas campanhas. Nesse sentido, observamos com preocupação a possibilidade de sua implantação e reiteramos nossa posição contrária à sua propositura.

Associação Brasileira de Ciência Política

Leia aqui os signatários do documento.

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/312937/Associa%C3%A7%C3%A3o-Brasileira-de-Ci%C3%AAncia-Pol%C3%ADtica-diz-'n%C3%A3o'-ao-distrit%C3%A3o.htm

PIB cai e prova que segue a depressão Temer-Meirelles


Agência Brasil

Agência Brasil - O Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país), recuou 0,24% no segundo trimestre deste ano na comparação com o primeiro trimestre. A informação é do Monitor do PIB, divulgado hoje (21), no Rio de Janeiro, pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Segundo a pesquisa, no primeiro trimestre o PIB tinha registrado alta de 0,99%. Na comparação com o segundo trimestre de 2016, o recuo foi ainda maior: 0,30%. O principal destaque negativo neste tipo de comparação foi a queda de 1,8% da indústria, influenciada pela redução de 7,4% do setor da construção.

Sob a ótica da demanda, os investimentos tiveram um recuo de 5,1%. Por outro lado, o consumo das famílias avançou 0,6%, depois de nove trimestres consecutivos de queda. O resultado positivo foi influenciado pelos consumos de bens duráveis (3,8%), semiduráveis (7,3%) e não duráveis (0,5%).

Analisando-se apenas o mês de junho, o PIB cresceu 2,65% na comparação com maio, depois de uma queda de 5,79% na passagem de abril para maio.

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/economia/312862/PIB-cai-e-prova-que-segue-a-depress%C3%A3o-Temer-Meirelles.htm

Lula: tiraram Dilma para o País melhorar e o Brasil desandou

 

@LulapeloBrasil

Sergipe 247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva questionou, em entrevista à Rádio Fan FM, de Sergipe, a motivação alegada pelos apoiadores do impeachment que resultou no afastamento da presidente eleita Dilma Rousseff da Presidência da República. "Se a Dilma foi tirada para o Brasil melhorar, como explicam o que está acontecendo com o país nas mãos de Temer [Michel Temer]?", perguntou em referência à crise política e econômica pela qual passa o país. "Tiraram a Dilma dizendo que iam melhorar o Brasil e o país desandou", completou.

Lula, que está em Sergipe em uma segunda etapa de seu giro pelo Nordeste, afirmou que "O Brasil viveu o seu melhor momento durante os nossos governos". Durante os governos Lula e Dilma, o Brasil deixou de figurar no mapa mundial da fome, vivem um boom econômico sem precedentes, reduziu as desigualdades sociais e viveu o seu período de maior inserção internacional, conquistas que foram sendo desmontadas ao longo do governo Temer. "Criamos 22 milhões de empregos com carteira assinada. A renda dos 10% mais pobres cresceu mais que a renda dos 10% mais rico", destacou Lula.

Lula também destacou que o PT "governou bem" o Estado de Sergipe e a capital, Aracaju. "É muito importante que o PT construa a próxima vitória da esquerda aqui em Sergipe. O PT tem muita gente boa aqui", afirmou.

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/sergipe247/312883/Lula-tiraram-Dilma-para-o-Pa%C3%ADs-melhorar-e-o-Brasil-desandou.htm

Lula: Quero andar pelo País para mexer com consciência do povo


Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva começou, na quinta-feira (17), na Bahia, a jornada que fará pelo Nordeste do Brasil. Em Salvador, ele deu início ao projeto Lula pelo Brasil, que percorrerá 25 cidades, em 20 dias. Segundo o presidente de honra do PT, a caravana terá como objetivo “mexer com a consciência do povo brasileiro”.

O primeiro ato do ex-presidente foi a inauguração do Memorial da Democracia, na Arena Fonte Nova. “É por isso que eu resolvi andar pelo País. Eu quero andar para aprender com o povo que está acontecendo nesse país que está subordinado a um grupo de pessoas que nunca teve competência para ser presidente e cassaram um mandato”, afirmou Lula, com a plateia pedindo “ Fora Temer, e leve o ACM (prefeito de Salvador).

Ele disse ter muito orgulho de ter indicado duas pessoas para a Petrobras: José Eduardo Dutra e Sérgio Gabrielli. Lula defendeu a importância de reconstituir a história. Isso porque, segundo ele, a história é sempre recontada pelos dominadores, então, ao invés da história verdadeira, é ensinada a história que queriam que o povo aprendesse.

O ex-presidente exaltou a história da Bahia, lembrou da dominação colonial, do martírio dos indígenas e da escravidão. Mas ele também reforçou que, na Bahia, começou a resistência do povo brasileiro, como exemplo a luta contra a escravidão, a luta contra a chibata, a repressão nas ruas, ditaduras, exílio, tortura e morte nos porões, além da fome e da pobreza.

“Entre tantos heróis da liberdade, quero reportar 3 mulheres: Joana Angélica, Maria Quitéria e Maria Teresa. É um privilégio falar de história e de liberdade numa terra que tem tanto a ensinar”.

Reconhecimento – O ex-presidente também criticou a decisão que suspendeu a entrega do título honoris causa, pela Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB). “Esse título foi me dado em 2011. Um vereador do DEM entrou com um processo e o juiz federal resolveu suspender o título. Eu queria falar para esse vereador que ele tem o direito de não gostar de mim porque ele é do DEM. Quem é do DEM não precisa gostar de mim, porque eu não gosto deles”

“O que eles não sabem é que já recebi o título quando fui aprovado na universidade. Então eu era dono disso. Talvez esse vereador ele está com medo que eu receba o título pelo que vamos fazer daqui pra frente”, disse.

No entanto, Lula garantiu que verá de perto o povo de Cruz das Almas nesta sexta-feira (18). “Quero dar um beijo na testa do reitor, dos professores e estudantes. E dizer pra que eles não se preocupem com a formalidade do título. O que interessa é o reconhecimento”.

Lula ainda disse que fica “pessoalmente orgulhoso” quando vê depoimentos de pessoas dos mais distantes lugares do País, com o avanço de vida dessas pessoas. “Tenho orgulho de encontrar quem diz: sou o primeiro médico da minha família! Sou diplomada, sou advogado. Esse é o orgulho que eu vou carregar para o resto da vida”

Outro Brasil – Durante o discurso, o ex-presidente disse ter orgulho de ter vivido o período mais exitoso da política brasileira. “Eles sabem que, quando nós ganhamos a Presidência, a gente tinha disposição de provar que um outro Brasil era possível. E que era possível colocar meninas e meninos negros da periferia em uma universidade. O problema é que eu queria era provar que o único lugar que a gente pode garantir igualdade de condições é colocar os dois (brancos e negros) numa mesma sala de aula”

“Eu tinha certeza que isso ia acontecer. Quando criamos o ProUni, apesar do preconceito, 18 meses depois, os alunos do ProUni eram melhores. Quando aprovaram o Enem, fomos muito criticados por quem era dono da famosa indústria do vestibular”, lembrou.

Lula voltou a criticar a política econômica do golpista Michel Temer e os desmontes promovidos pelo governo usurpador. “O desemprego já chegou 14 milhões de pessoas. O governo Temer vai aumentar o ajuste fiscal, reter mais empregos. Se um governante governa um país e esse país tem uma crise e ele não tem competência para resolver e começa a vender o patrimônio desse país, esse governo deveria pedir desculpas e ir embora”, disse o ex-presidente.

Ao final do discurso, Lula garantiu ter forças para lutar pelo País. “Estou com 71 anos com a vontade de lutar como se tivesse 30. Eu não sou nenhum revolucionário. Sou despertador de consciência”.

Fonte: https://ptnacamara.org.br/portal/2017/08/18/lula-quero-andar-pelo-pais-para-mexer-com-consciencia-do-povo/

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Lula: se não me condenarem em segunda instância, o golpe não fecha

 

Foto Ricardo Stuckert

Bahia 247 - O ex-presidente Luiz Inácio da Silva deu entrevista nesta sexta-feira, 18, ao jornalista Mario Kertész, da rádio Metrópole de Salvador, e voltou a defender sua inocência nas ações penais da Lava Jato. Lula disse que o objetivo de sua eventual condenação em segunda instância é concluir o golpe, iniciado em 2016 com a derrubada da presidente Dilma Rousseff.

"Deram um golpe, colocaram o Temer e o Brasil afundou", disse Lula. "Eles vão ter que se explicar para a sociedade. Eu quero estar vivo para ver qual é a explicação deles. A Lava Jato está virando um partido político e tem espaço garantido na televisão. Se eu voltar em 2018, vou voltar mais forte. Eles sabem que sou capaz de envolver toda a sociedade brasileira e resolver o problema do país", disse o ex-presidente.

Lula prometeu retomar investimentos para a roda econômica voltar a girar; na entrevista, ele também criticou a força-tarefa curitibana e disse que eles se tornaram escravos da Rede Globo.

Lula manda recado a golpistas

Em noite em que reviveu seus melhores discursos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi a estrela do lançamento de nova fase do Memorial da Democracia, lançado no final de 2015. A nova etapa do Memorial – construído em parceria com o Projeto República, da Universidade Federal de Minas Gerais – foi lançada na Arena Fonte Nova, em Salvador, com a participação de todas as mais importantes lideranças do partido e representantes de diversas entidades e legendas, como PCdoB, UNE, MST e CUT.

O ex-presidente chegou a Salvador no início da tarde e participou de uma maratona em que uma multidão o cercou por onde passou, desde sua chegada, passando pelo metrô, até chegar à Fonte Nova. Sobre a caravana por nove estados do Nordeste, que iniciou hoje na capital baiana, no projeto "Lula pelo Brasil", afirmou: "Quero andar pelo país para contar ao povo o que está acontecendo neste país".

No discurso, Lula usou como mote a memória e a história para falar, entre outros temas, do golpe que levou Michel Temer ao poder, de cidadania, liberdade e, sem citar nomes, do juiz que proibiu o ato de entrega do título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) e do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB).

Ele se mostrou consciente de ser a liderança capaz de neutralizar as informações mal-intencionadas da mídia tradicional, capitaneada pela família Marinho desde o início do processo do "mensalão" em 2005. "Não é possível que esse povo se informe pela Rede Globo de Televisão", disse. "Não sou nenhum revolucionário, sou um despertador de consciência."

Mencionou 2018 mas não foi conclusivo sobre sua própria candidatura. "Este país tem que se preparar porque em 2018 tem que colocar uma pessoa democrata para governar, e a gente tem que começar a se organizar já. Vocês sabem que ainda falta muito tempo. Não existe candidato, mas nós saberemos quem é o candidato na hora certa", afirmou. E mostrou disposição incomum para quem é diuturnamente perseguido pelo Judiciário e pela mídia. "Tô com 71 anos, mas com vontade de lutar como se tivesse 30."

Usou de ironia para comentar a suspensão da cerimônia de entrega do título honoris causa, cancelada por pedido do vereador Alexandre Aleluia (DEM). "Queria falar ao vereador que ele tem o direito de não gostar de mim, porque ele é do DEM e não precisa gostar de mim, porque eu também não gosto dele", afirmou, enfatizando não ser por motivos pessoais, mas ideológicos. "Todo mundo sabe o que eu fiz na Bahia. Eles têm medo pelo que nós vamos fazer daqui pra frente."

Segundo Lula, os governos do PT e a democracia têm raízes no país. "A ideia da liberdade, da democracia, da participação social é muito forte. Não adianta achar que acabando com Lula acaba com isso."

Acusou os golpistas de "truncarem a democracia" ao derrubar Dilma e prometeu: "Vocês vão pagar com a mesma moeda o que fizeram com a democracia brasileira. E em 2018 a gente vai eleger uma pessoa democraticamente."

Em noite em que o tema era a memória, assinalou: "É importante reconstituir a história, porque a história é contada pelos dominadores, a gente aprende a história que os dominadores quiseram", disse. "Os que deram o golpe de 64 nunca aceitaram a palavra golpe, diziam que vieram pra consertar o Brasil que estava sendo entregue aos comunistas." Lembrou que a dominação no Brasil começou na Bahia, em cujo litoral, segundo os livros de história, a frota de Pedro Álvares Cabral chegou em 22 de abril de 1500.

Doria e Temer

Lula convidou o presidente Temer a se retirar da presidência da República. "Tem mais gente na rua hoje do que quando eu cheguei na presidência', disse. "Se um governante não tem competência pra resolver a crise e começa a vender o patrimônio deste país, esse governo tem que pedir desculpas e ir embora, porque não serve para governar."

E ironizou o prefeito João Doria: "Se o prefeito de São Paulo já invadiu a Cracolândia, imagina se fizermos um Museu da Democracia na Cracolância". Foi uma referência à interdição, por ação do Ministério Público, que moveu ação contra a cessão de um terreno municipal no centro de São Paulo para a construção de um museu que o MP afirmou que serviria para "divulgação da imagem" de Lula.

As dificuldades práticas para criação de um museu físico, com documentos, imagens e objetos que comporiam um espaço de reflexão sobre a construção do país a partir da República levaram à criação do museu virtual. O Memorial da Democracia, que teve hoje a apresentação de mais um fragmento dessa história. (Da RBA)

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/312437/Lula-se-n%C3%A3o-me-condenarem-em-segunda-inst%C3%A2ncia-o-golpe-n%C3%A3o-fecha.htm