sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Alerta para cuidados na hora de escolher transporte terrestre

Neste período de festas de fim de ano e férias, a demanda pelos transportes terrestres aumenta e com isso, muitas vezes o usuário não tem a cautela de verificar se realmente o veículo está devidamente autorizado para fazer esse tipo de transporte.

A observação é do superintendente de Serviços de Transportes de Passagens da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), José Antônio Schimidt, ao comentar o hábito de muitos usuários de viajar no chamado transporte clandestino, que geralmente não se submete à fiscalização e nem sempre transita dentro das normas de segurança.

“A Agência sempre faz um apelo para o usuário certificar-se de que o transporte no qual ele pretende viajar está devidamente cadastrado. O grau de segurança de um ônibus que faz um transporte regular é infinitamente maior do que o clandestino”, disse o superintendente, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Radio Nacional.

Segundo Schimidt, antes dos ônibus saírem do terminal, uma equipe de fiscalização da ANTT faz uma vistoria de tudo que é obrigatório em termos de segurança, como pneus e extintor de incêndio. Nos transportes clandestinos não existe a mesma preocupação, o que não garante a segurança aos passageiros.

A agência tem um corpo de fiscais, com 250 profissionais espalhados pelo Brasil. Scimidt reconheceu que o número é insuficiente para cobrir toda a malha rodoviária, mas ele informou que a ANTT tem convênios para auxiliar na fiscalização, verificando os transportes regulares e combatendo a clandestinidade. O convênio principal é com o Departamento de Polícia Rodoviária Federal.

“Ocorre que a fiscalização tem seus determinados pontos e os transportes clandestinos mudam a rota para fugir da fiscalização.”

Para o superintendente, o que leva os passageiro a escolherem os trasportes irregulares é a questão do valor cobrado, que é inferior. “Se nós fizermos uma comparação entre um transporte regular, que está sujeito a uma série de exigências legais, as vezes a tarifa cobrada é superior a um pacote feito por um veículo em que não tem esses compromissos e muitas vezes existe até sonegação.”

Os usuários de trasportes terrestres podem verificar se o veículos que vai contratar está devidamente cadastrado na ANTT, na página da Internet, www.antt.gov.br.

Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário