quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Internet: ataques de phishing causam roubo de senhas e prejuízos para o consumidor

Fonte: Portal do Consumidor

SÃO PAULO - Perder dinheiro por conta de ataques digitais que roubam números e senhas de contas bancárias e cartões de crédito é preocupação de muitos brasileiros. O principal golpe de roubo na internet é o phishing que, de acordo com pesquisa do Gartner, gerou prejuízo de mais de US$ 3,2 bilhões somente nos Estados Unidos.

A técnica consiste em enviar ao usuário e-mails com mensagens atrativas, como "Tire seu nome do cadastro de inadimplentes" ou "Veja as fotos da festa de sexta-feira" que, ao serem clicadas, realizam o download de um software no computador.

Ocorrência
Em todo o mundo, são enviados diariamente quase 8 milhões de e-mails com a modalidade de fraude. O Brasil e os Estados Unidos estão os países com maior ocorrência desse tipo de ataque.

Um levantamento da empresa de tecnologia Unisys, feito com 1,5 mil brasileiros, comprovou que 94% temem as ameaças virtuais, sendo que 79% afirmaram que se sentem extremamente preocupados com os ataques.

Já a pesquisa do Gartner aponta que, somente nos Estados Unidos, 3,6 bilhões de pessoas sofreram ataques phishing em 2007.

De 4.500 usuários entrevistados, 3,3% afirmaram terem recebido e-mails phishing em 2007. No ano passado, esse índice era de 2,3%. Estima-se que, por golpe, sejam roubados US$ 886.

Segurança
Para o especialista em segurança digital, Sérgio Leandro, o roubo de identidade pela web é uma fraude que tem crescido no Brasil, pois, a cada dia, aumenta o número de pessoas com acesso à internet e, conseqüentemente, o número de transações bancárias on-line e compras virtuais.

Para fugir destes golpes, o especialista dá algumas dicas: Nunca faça downloads de software desconhecido a partir de e-mails que não reconhece;

Procure sempre digitar o endereço URL da página web que pretende acessar. A fraude por phishing utiliza links que, de forma camuflada, encaminham o usuário para falsos sites dos bancos. É sempre mais seguro digitar o endereço do banco diretamente no browser, para garantir que está no site legítimo;

Sempre que receber um e-mail suspeito, não abra arquivos anexos nem clique nos links;

Cheque se o cadeado do site realmente refere-se à identidade apresentada;

Dados bancários ou de cartões de crédito só devem ser enviados se o comprador iniciou uma negociação. Empresas sérias nunca solicitam dados de confirmação e muito menos senhas. Estas são pessoais e intransferíveis;

Ao comprar pela internet, jamais passe dados pessoais ou financeiros por e-mail. De novo, empresas confiáveis solicitam essas informações no próprio site, informando claramente os aspectos de segurança e condições comerciais.

Fonte: Infomoney

Nenhum comentário:

Postar um comentário