quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Buraqueira causa prejuízos nas rodovias federais

Enquanto o Dnit avalia como ruim o trecho da BR-222 entre Itapajé e Sobral, o motorista Antônio Vagner classifica como péssimas as condições das estradas federais que cortam o Ceará. Ele viajava de Fortaleza a Sobral e teve que parar o veículo para amarrar a placa traseira, que se soltou no meio do caminho. "Estradas péssimas a gente só vê aqui no Ceará. No Piauí e no Rio Grande do Norte, as estradas estão em perfeitas condições de tráfego".

Considerada a principal via de ligação do Ceará com dois Estados do Piauí e Maranhão, bem como com a região Norte do Estado, a situação do trecho entre Itapajé e Sobral, correspondente aos quilômetros 122 a 223, continua em situação crítica mesmo no período de estiagem, época considerada ideal para recuperação de vias. No trecho de 100 quilômetros, não há homens trabalhando na recuperação da malha viária.

Apesar dos inúmeros protestos e promessas, a recuperação desse trecho não avança. A reportagem do Diário do Nordeste percorreu o trecho da rodovia na tarde da última segunda-feira. O que se viu foi apenas dois garotos na altura do Km 188, com uma pá e uma enxada jogando terra para o leito da rodovia. "Faço isso sempre. Venho aqui ganhar alguns trocados", disse um dos garotos. Ao contrário do que se observa no trecho entre Sobral e Tianguá até a divisa com o Piauí, que apesar de considerado bom, está sendo recuperado, e na subida da Serra Grande, uma nova camada asfáltica está sendo colocada em toda extensão da rodovia.

Todos reclamam da situação: motoristas de ônibus, caminhão ou carro de passeio, que muitas vezes são obrigados a trafegar na contramão, a fazer manobras perigosas e acumular prejuízos de tempo e dinheiro. Tudo isso em uma estrada sem acostamento.

Em maio, o Ministério Público Federal no Ceará (MPF/CE) enviou recomendação ao Dnit para que seja reconstruída a malha viária e o acostamento da BR-222 no trecho entre os municípios de Itapajé e Sobral, com a realização prévia de estudo técnico para identificar o tipo de pavimento mais adequado ao solo da rodovia.

Por Wilson Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário