quarta-feira, 2 de outubro de 2013

16 deputados estaduais devem mudar de partido

“De olho em palanques para 2014, pelo menos 16 deputados estaduais cearenses deverão mudar de partido nos próximos dias. Em meio a semana decisiva para o “troca-troca” de legendas visando a próxima eleição, foi intensa ontem a movimentação de parlamentares nos bastidores da Assembleia Legislativa – a maioria em busca de abrigo na base aliada do governador Cid Gomes (sem partido).

Para além da debandada dos oito deputados do grupo político de Cid no PSB – Antônio Granja, Dr. Sarto, José Albuquerque, Mauro Filho, Mirian Sobreira, Sérgio Aguiar, Sineval Roque e Wellington Landim, que saíram do partido -, a legenda mais afetada é o PRB, que perde três parlamentares. A mudança ocorre logo após lideranças do PRB no Ceará entrarem em divergência com Cid Gomes sobre o comando do partido no Estado. Buscando ingressar em alguma legenda da base aliada, deixarão a sigla Ana Paula Cruz, Mailson Cruz e Manoel Duca – com destino mais provável o Solidariedade.

Já Bethrose (PRP) e Mário Hélio (PMN) tentaram, até o momento sem sucesso, trocar suas legendas pelo PPS – presidido no Estado pelo presidente do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico (Cede), Alexandre Pereira. Com o fracasso das negociações, a deputada deve migrar para o Solidariedade, enquanto Mário Hélio cogita permanecer no PMN. “O Alexandre Pereira me deu a palavra dele de que iriamos nos filiar lá, mas ainda estou esperando”, afirma o deputado.

Também confirmou saída do PSDB nessa semana o deputado Fernando Hugo (PSDB), que alega não ter “condições de sobrevivência política” entre os tucanos. O POVO apurou que o deputado Téo Menezes teria tentado trocar o PSDB pelo PSD, Pros ou Solidariedade, não sendo aceito pelos partidos. Agora, o parlamentar estaria se aproximando do DEM. Quando questionado, Téo evita comentar o assunto.

Chama atenção movimentações no PMDB, a maioria resultado da possível candidatura de Eunício Oliveira ao governo. O deputado Neto Nunes afirma que chegou a cogitar sair do partido, mas decidiu permanecer após receber garantias da cúpula peemedebista de que não iria fazer oposição a Cid Gomes. Já Lucilvio Girão alega que “incompatibilidades pessoais” com lideranças o levaram a deixar o PMDB. O deputado afirma que se reuniu com Cid, que o convidou a se filiar ao PP, PSD, PTB, Pros, PHS ou Solidariedade. Também deixam o PMDB para apoiar Cid o deputado federal Genecias Noronha e o suplente Paulo Henrique Lustosa.”

(O POVO)

Nenhum comentário:

Postar um comentário