quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Polícia portuguesa recupera armas de Dom Pedro 1º

Pistolas haviam sido roubadas em 1973 do Museu Militar de Lisboa e seriam leiloadas no dia 8 de outubro

Do R7


A Polícia Judiciária de Portugal recuperou no início deste mês um par de pistolas que pertenceram ao imperador do Brasil Dom Pedro 1º. As armas haviam sido furtadas em 1973 do Museu Militar de Lisboa em 1973 e estavam expostas para venda em um leilão.
Segundo a polícia, as armas estão avaliadas em 100 mil euros (cerca de R$ 255 mil) e tinham detalhes em ouro e prata. As pistolas foram fabricadas em 1817 pelo famoso mestre armeiro Thomás Jozé de Freitas, do Arsenal Real de Lisboa, e eram de uso pessoal do primeiro imperador brasileiro.
A polícia portuguesa afirmou também que o autor do furto já havia sido julgado e condenado. O jornal português Público informou que na época o ladrão, que era um amador, se escondeu atrás de um relógio e, quando o museu fechou, saiu pegando o que estava à mão. O ladrão foi condenado a 5 anos de prisão em 1977, mas não foi possível recuperar as armas porque elas já estavam fora do país: haviam sido compradas por um colecionador alemão.
A partir daí, as autoridades portuguesas passaram por uma verdadeira saga para recuperar as relíquias. O alemão que comprou as armas morreu, e a Justiça daquele país negou os pedidos de devolução feitos por Portugal.
Anos depois, as armas voltaram a ser leiloadas, mas na famosa casa londrina de leilões Christie's, em uma data que a polícia não soube precisar. Um comprador português deu o lance mais alto e levou as pistolas para casa.
As armas seriam leiloadas novamente no último dia 8 de outubro em uma das maiores casas de leilão de Portugal, o Palácio do Correio Velho. Mas a Polícia Judiciária, que mantém uma relação estreita com antiquários e leiloeiras, descobriu as armas, fez uma blitz e apreendeu as pistolas.



Postado por Arteiro Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário