sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Demolição de igreja é motivo de polêmica

A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, centenária e que conta a história do povo deste pequeno município, na região norte, será demolida e já tem data para o feito, terça-feira, 3. "Nós já estamos retirando as imagens, os bancos, os ventiladores e outros materiais. Boa parte será levada para a Igreja de São Vicente Ferrer", disse Antônio Freire, sacristão da paróquia. No lugar, a Diocese de Sobral promete construir um novo templo.

A decisão divide opiniões e virou alvo de uma polêmica. A justificativa da Diocese é o tempo e os tremores de terra que deixaram rachaduras no prédio da Igreja Matriz. Também aponta necessidade de mais espaços para os fieis católicos participarem das celebrações.

O aposentado Vicente Sales Filho, 63 anos, é um dos moradores que não está satisfeito. Ele diz que foi feita uma pesquisa onde as pessoas foram chamadas para participar de um plebiscito mas que poucas participaram da votação. "Quem se mostrava contra a demolição não compareceu para votar porque acreditava que de nada adiantava. O dinheiro da demolição poderia ser aproveitado para reformar o prédio. E o novo templo ser construído em outro terreno", disse.

"Sou a favor da demolição pelo fato da Igreja ser muito pequena, sem sacristia, e com o inconveniente de apresentar largas colunas no centro, o que dificulta a comunicação do padre com o público, e também de já ter perdido a originalidade nas sucessivas reformas", disse Manoel Noceiro, 42 anos, comerciante.

Em carta aberta, o pároco padre Edmilson Eugênio do Nascimento informa que no dia 19 de outubro de 2007, a antiga Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro foi elevada a Paróquia. "O acontecimento trouxe muita alegria para o povo católico deste município, que há muito sonhava e lutava para ver acontecer aquele dia. Desde então muita coisa mudou, para melhor, na rotina religiosa da comunidade".

Por Wilson Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário