sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Operação liberta 20 trabalhadores em condições degradantes em São Gonçalo do Amarante

Trabalhadores alojados em um estábulo, sem banheiro, sem água potável, sem equipamentos de proteção individual e sem carteira assinada. Foi o que a operação desenvolvida conjuntamente pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) e Polícia Rodoviária Federal (PRF) encontrou na última terça-feira (27) na Fazenda Lagoa do Canto, zona rural de São Gonçalo do Amarante, Região Metropolitana de Fortaleza.

Segundo o auditor fiscal do Trabalho, Sérgio Santana, que coordenou a operação, foram resgatados 19 homens e uma mulher em condições degradantes de trabalho. Ele explicou que estes trabalhadores, advindos dos municípios cearenses de Pacajus e Croatá, haviam sido aliciados para atuar no local.

Multa

A direção da Fazenda foi obrigada a realizar, perante a coordenação da operação, que se estendeu até esta quinta-feira (29), exames médicos e a assinatura das carteiras de trabalho, para efeito de regularização. A Fazenda deve ainda pagar uma multa de R$ 25 mil, conforme o auditor. (Jangadeiro).

Por Wilson Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário