quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Na guerra do Senado a maior probabilidade é a de que daí saia um só perdedor – a ética


1 – SARNEY E A ÉTICA -

Não se impressione o leitor. Não obstante a aparência de guerra encarniçada ensejando conseqüências imprevisíveis, a crise do Senado de que tanto se ouve falar não passa de briga de galinhas, assim mesmo cuidadosamente encenada de modo a não quebrar os ovos. Modo de falar, claro. Mas o propósito é indicar que ali o que está em jogo não é a preocupação com a moral da instituição e os bons costumes dos senadores, mas o processo político eleitoral que culminará ou com a substituição do atual grupo no comando da administração do país ou na manutenção do poder pelos que hoje o detém.

Política em Três Tempos - Por Paulo Queiroz



Postado por Jacinto Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário