quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Anatel define preços mínimos das licenças de celular 3G

A licença mais cara para a operação da terceira geração (3G) da telefonia celular é a da área atendida hoje pela Brasil Telecom - nas regiões Sul e Centro-Oeste e nos Estados de Tocantins, Rondônia e Acre. A maior freqüência nesta área, de 30 MHz, custará no mínimo R$ 341,2 milhões, e as outras três faixas, de 20 MHz, custarão cada uma R$ 227,4 milhões. Os preços mínimos das licenças constam do edital de licitação da 3G, divulgado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). No leilão marcado para o dia 18 de dezembro, serão postas à venda 44 licenças, sendo quatro delas em cada uma das 11 áreas de atuação em todo o Brasil. A 3G é uma tecnologia mais moderna, que permite acesso à internet em banda larga. Com o celular de terceira geração, os clientes poderão baixar e enviar arquivos em alta velocidade, como fotos e vídeos. Na região metropolitana de São Paulo, o preço mínimo será de R$ 167,7 milhões para a maior faixa e de R$ 111,8 milhões para as três faixas menores. As empresas que levarem essas licenças terão a obrigação de oferecer o serviço também na área que abrange os Estados do Amazonas, Amapá, Pará, Maranhão e Roraima. No interior de São Paulo, o valor varia de R$ 85,9 milhões a R$ 128,9 milhões. Também para as vencedoras desta área haverá a obrigação de atender outra região, que engloba os Estados do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas. A segunda área mais cara - com preços entre R$ 163,6 milhões e R$ 245,5 milhões - corresponde aos Estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia e Sergipe. Em Minas Gerais, o preço mínimo das licenças vai de R$ 28 milhões a R$ 42 milhões. Serão vendidas ainda licenças em outras quatro áreas menores, que correspondem às regiões da Sercomtel, em Londrina (PR), e da CTBC, no Triângulo Mineiro, em Ribeirão Preto e Franca (SP) e alguns municípios de Mato Grosso do Sul e Goiás. Para participar do leilão, as empresas têm que depositar garantias no valor de 10% do preço mínimo da licença que pretendem disputar. Também serão cobradas garantias correspondentes às metas de cobertura, mas os valores dependem dos planos de implantação de cada empresa.
Agência Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário