sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Estudantes vão para a escola em pau-de-arara

Eles são transportados em paus-de-arara, de lugares distantes, entre passageiros e, algumas vezes, no meio de mercadorias e sem a companhia de um adulto. Essa realidade é vivida pela maioria dos alunos da zona rural do município de Santana do Acaraú. Muitos com idade inferior a 6 anos que, mesmo tendo uma escola perto de casa, não podem estudar no local porque o número não atinge a conta exigida pela Secretaria da Educação Municipal.

A maioria dos pais sabe da responsabilidade de mandar os filhos para escola, mas a preocupação com transporte é grande. Francisco Diogo tem apenas 6 anos e mora na localidade de Equitose, a 12km da sede do município. Anteontem, ele não foi a escola porque o transporte não passou para levá-lo. O tio, Francisco Antônio Farias, diz que se sente preocupado quando vê os sobrinhos (Diogo e mais dois com idade um pouco maior) subirem no pau-de-arara. "É muito apertado. Deveria servir apenas como transporte escolar, mas eles levam de tudo. Antes, todos estudavam aqui pertinho, mas, este ano, revolveram transferi-los para Santana do Acaraú", disse Farias.

A dona-de-casa, Valéria Manuela Almeida, mãe de três filhos, está passando pela mesma situação. Disse que tentou acompanhar os filhos até a escola, mas foi impedida. "Se eu quisesse ir junto teria que pagar R$ 2,00. Não será todo dia que terei o dinheiro da passagem", disse. Ela já esteve na Secretaria da Educação, pedindo providências para a segurança dos filhos.

"O ano letivo começou esta semana e as reclamações servirão de pauta para reunião que iremos fazer com os motoristas que ganharam a licitação para transportar os alunos e eles serão advertidos com relação a algumas exigências que terão que cumprir", disse a secretária Silvana Gomes.

Na escola que funciona na localidade de Pistola, a 25km da sede, há uma escola em pleno funcionamento. No local, de acordo com a coordenadora pedagógica, Sandra Araújo, estudam crianças de várias idades que chegam em paus-de-arara. "Estou há mais de três anos aqui e não desconheço algum acidente com transporte escolar na região", disse Sandra.

Quanto a utilização de paus-de-araras no transporte escolar, Silvana Gomes se justifica dizendo que a maioria das estradas não oferece condições para o tráfego de outros tipos de veículo. Disse que na medida em que as estradas forem recuperadas esses transportes serão substituídos por micro-ônibus ou ônibus. "Estamos solicitando a todos que têm carro agregado à Secretaria que providencie a compra desses tipos de transportes para serem utilizados nas linhas dos escolares".

Nenhum comentário:

Postar um comentário