terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Continua a greve dos professores de Ubajara

Os professores da rede municipal de ensino de Ubajara, na Ibiapaba, decidiram manter a greve até que uma das principais reivindicações, prestação de contas dos recursos do Fundo de Manutenção e Recursos da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), seja feita. Em greve há mais de 15 dias, não houve até agora, segundo o sindicato da categoria, avanço nas negociações.

De acordo com a presidenta do Sindicato dos Servidores Públicos de Ubajara, Nadja Carneiro, no fim do ano passado, o Conselho do Fundeb solicitou uma prestação de contas para a Prefeitura. "Nós fomos informados que havia sobra de recursos do Fundeb e que deveriam ser aplicados no pagamento dos professores. Dias depois, o próprio prefeito, Ari Vasconcelos, informou que havia R$ 624 mil de recursos destinados ao pagamento dos profissionais do magistério em exercício no ensino fundamental público, mas isso não aconteceu, culminando na greve". A servidora admite que apenas 10% da categoria está parada e que estão acontecendo ameaças de demissão.

A secretária de Educação do município, Maria Aldenir Almeida, não vê motivos para a greve continuar acontecendo. "As prestações de contas referentes a recursos do Fundeb acontecem mensalmente. Sobre a sobra de recursos, a informação foi extraoficial e que o dinheiro não se destinaria apenas ao pagamento do Magistério. 40% desse montante é destinado à manutenção e desenvolvimento do ensino", disse. Ela desmentiu a notícia que estaria acontecendo ameaças por parte do município em demitir ou substituir qualquer funcionário. Nadja informou que haverá uma audiência amanhã, em Sobral. Os trabalhadores reivindicam ainda a reformulação do Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCC) do Magistério, pagamento do anuênio, licença prêmio e aumento de 30% aos profissionais da Educação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário