terça-feira, 17 de novembro de 2009

Disputa interna - Ausência de discussão desagrada aos petistas

O Processo de Eleição Direta (PED) é citado pela maioria dos militantes do Partido dos Trabalhadores (PT) como diferencial de democracia interna da sigla com relação à outras legendas constituídas no País. O interesse em garantir a ocupação de espaços de poder nas eleições 2010, no entanto, acaba por desvirtuar o processo de eleição dos novos dirigentes e põe em contradição o discurso de alguns líderes da agremiação.

Sempre que o PED se aproxima, vão surgindo as divergências entre as candidaturas das diversas correntes internas, é comum o argumento de que a disputa não afeta a imagem da sigla, pois é uma demonstração de democracia partidária, como destacam corriqueiramente, alguns dirigentes. Agora, entretanto, na iminência de ter afetada a imagem da legenda que se prepara para uma campanha à Presidência da República com a possível candidatura da ministra Dilma Rousseff, os argumentos mudaram.

Há dois anos, quando a disputa pelo comando estadual da legenda foi entre Joaquim Cartaxo e Ilário Marques, muitas divergências de posição até mesmo com relação ao Governo do Estado foram externadas o que obrigou os líderes terem, posteriomente, que reparar algumas declarações dadas no momento do embate político. (DN).

Por Wilson Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário