quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Fidel reconhece que seu estado de saúde só lhe permite escrever

Fidel Castro, candidato à própria sucessão no parlamento cubano, reconheceu que sua saúde só lhe permite escrever e não se expressar em público, em artigo publicado, nesta quarta-feira (16), pela imprensa local.

"Não gozo de uma capacidade física suficiente para falar diretamente em público na localidade em que me inscreveram como candidato às eleições do próximo domingo. Faço o que posso: escrevo", declarou o líder de 81 anos, afastado do poder há 17 meses por doença.

A candidatura à Assembléia Nacional cubana é indispensável para uma eventual renovação de seu mandato na chefia do Estado, que aconteceria no mais tardar 45 dias após as eleições de domingo. Desde julho de 2006, os poderes são, provisoriamente, confiados à seu irmão Raul.

"Agora que eu tenho mais tempo para me informar e meditar sobre o que vejo, posso somente escrever", proseguiu Fidel Castro no artigo, publicado no dia seguinte da visita do presidente brasileiro Luiz Inacio Lula da Silva a Havana.

As declarações de Lula relançaram especulações em torno do eventual retorno do cubano ao poder, ao declarar que a saúde do líder estaria "impecável" e que ele estaria "pronto para assumir um papel político".

Os dois dirigentes tiveram, na terça-feira, um encontro de duas horas e meia, tendo sido tiradas as primeiras fotos do líder cubano desde a visita do venezuelano Hugo Chávez, há três meses.

Brasil e Cuba assinaram igualmente uma dezena de acordos econômicos, notadamente sobre petróleo e minérios.

Em seu artigo, Fidel Castro relembra também a visita de George W. Bush ao Oriente, ironizando o "presente do rei" mago levado pelo presidente americano à região.

"Todos sabem que ele quis a guerra contra o Irã", disse, acrescentando que Bush está prestes a fazer pesar a ameaça "de uma guerra nuclear no mundo.

AFP

Nenhum comentário:

Postar um comentário