quinta-feira, 30 de abril de 2009

Ceará quer interligar rodovias e ferrovia.

Para otimizar a logística de cargas pesadas que deverão escoar pelo Ceará com a finalização da Ferrovia Transnordestina, o Governo do Ceará estuda implementar o arco rodo-ferroviário, projeto orçado em R$ 220 milhões. A ideia é criar uma rodovia de 90 km, que parte da BR-116, corta as CEs 065, 060 e 020, até chegar à BR-222, próximo à entrada do Porto do Pecém, informou ontem Eduardo Diogo, diretor de Desenvolvimento Setorial da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece). “Esse projeto já existia e o Estado está adaptando para fazer do arco rodoviário um arco rodo-ferroviário, ou seja, a partir do traçado da Transnordestina, nós vamos adaptar essa rodovia para que ela siga o mais próximo possível do traçado da ferrovia”, disse. Este e outro projetos foram apresentados ontem em uma reunião fechada entre o Governo do Estado e técnicos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), na Secretaria do Planejamento e Gestão.
Na prática, o arco vai melhorar o fluxo de transporte na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O diretor da Adece avalia que o anel viário está “estrangulado” para cargas pesadas e, mesmo com a duplicação das vias, continua muito metropolitano.
“Como o novo arco, a carga não precisa se aproximar tanto da RMF. Se a ela (a carga) vier da BR-116, por exemplo, já vai direto para o Porto do Pecém. Então, tanto vai encurtar a distância como dar mais fluidez de carga pesada - a que se destina o arco rodo-ferroviário -, como ao trânsito da região metropolitana, porque vai desafogar o anel rodoviário”, explica.
O encontro com o BNDES foi o primeiro passo para desenvolver os projetos de aproveitamento logístico e estrutural da Transnordestina. O governo deve enviar em três semanas os projetos apresentados ao banco para que sejam avaliados os aportes financeiros solicitados, disse o chefe da representação Regional Nordeste do BNDES, Paulo Ferraz Guimarães. “Imagino que ainda esse semestre a gente já esteja fechando um conjunto de iniciativas que vão desde a melhoria de infraestrutura do Porto do Pecém até o andamento desse plano de desenvolvimento e a viabilidade desse plano de desenvolvimento”, complementou.

Fonte: O Povo online.

Nenhum comentário:

Postar um comentário