quarta-feira, 20 de julho de 2011

SEBRAE neutraliza emissões de CO2 da XXV FENAIVA.

clip_image002

A XXV Feira de Negócios do Vale do Acaraú (FENAIVA) que acontece de 21 a 23 de julho, no centro de convenções de Sobral, vai compensar a emissão de gás carbônico (CO2). A ação é pioneira em Sobral, e se concretizou através de parceria firmada entre o SEBRAE e o Instituto de Ecologia Social Carnaúba, sendo o responsável pela mensuração e neutralização das emissões de CO2 geradas nos 3 dias da FENAIVA, com estimativa de participação de 15 mil pessoas. A auditoria das atividades será feita pela Autarquia Municipal do Meio Ambiente de Sobral (AMMA)

O SEBRAE preocupado com a redução dos impactos do aquecimento global, e o Instituto Carnaúba – ONG com mais de 10 anos de experiência em ações voltadas para atividades socioambientais - se uniram para a realização deste projeto inédito em sobral. “Com o programa de neutralização de emissões de gases do efeito estufa, atestamos que o evento está em sintonia com as preocupações da sustentabilidade do planeta e com a melhoria da qualidade de vida das futuras gerações.”, explica Hugo Macário do SEBRAE.

As emissões de CO2 serão compensadas por meio do "programa de neutralização de emissões de gases do efeito estufa da XXV FENAIVA", que prevê o reflorestamento em remanescentes de Mata Atlântica na Serra da Meruoca com o plantio de árvores nativas e o monitoramento por um período de cinco anos. Os cálculos da neutralização e o plantio de mudas serão feitos pela equipe técnica do Instituto Carnaúba.

Segundo Expedito Torres do Instituto Carnaúba, para calcular a emissão de gás carbônico do evento serão levadas em consideração diversas características, tais como o consumo de energia elétrica, combustível para geradores de shows, impressos, deslocamentos dos veículos de expositores, hospedagens, despejo de resíduos, pré-montagem e pós-evento. “A previsão inicial para as emissões de CO2 produzidas pela FENAIVA resultará no plantio de 572 árvores, referentes à emissão de 110 toneladas de CO2.”, prevê Expedito. Ele explica que após o evento, será concluído o cálculo total de emissão de CO2 para o plantio de árvores e neutralizar toda emissão de gás carbônico do evento.

Além de neutralizar a emissão com o plantio de árvores, outra maneira de contribuir com o meio ambiente é a reciclagem do lixo produzido pelo público, que será coletado pela empresa contratada para o evento, e será encaminhado para uma organização de catadores.

De acordo com Expedito, o projeto incentiva ainda as empresas expositoras, a refletirem e assumirem um posicionamento com a preocupação mundial e combate aos danos causados ao meio ambiente. “O nosso objetivo não é só plantar árvores para neutralização, é plantar a idéia da conservação, ou seja, a conscientização da preservação do meio ambiente”, afirma.

Para a FENAIVA foi desenvolvido pela Cia de Criação, empresa do artista gráfico Rosalvo Melo Dias, um selo que será usado pelo Instituto Carnaúba nas ações de neutralização de carbono.

Sobre o Instituto Carnaúba.

O Instituto de Ecologia Social Carnaúba foi fundado em janeiro de 2001 por profissionais liberais, com formação diversa. O Instituto Carnaúba veio para suprir a demanda identificada no estudo de viabilidade, que identificou que uma organização voltada para a preservação do meio ambiente era necessária, principalmente pela carência de uma sociedade civil organizada na região. Tendo como eixo o sócio-ambientalismo, na defesa da Serra da Meruoca (Mata Atlântica), na preservação do rio Acaraú e do Bioma Caatinga buscando a qualidade de vida nas áreas rurais e urbanas das cidades. A missão do Instituto Carnaúba é “Construir uma sociedade sustentável considerando as questões ecológicas, econômicas e sociais. Promover a agricultura orgânica e de desenvolvimento de modelos Agroflorestais e cidadania”. As linhas de ação são: Recuperação e preservação dos remanescentes de mata atlântica no noroeste do Ceará (Serra da Meruoca); Educação ambiental e melhoria do ambiente urbano; Recuperação e preservação da Bacia Hidrográfica do Rio Acaraú; e A convivência do homem e da mulher no Semi-árido;

Nenhum comentário:

Postar um comentário