terça-feira, 26 de julho de 2011

A CRIMINALIDADE NO CAMPO E O ÊXODO RURAL


image

Cruz – O Êxodo Rural sempre teve como causas fenômenos naturais ou sociais, principalmente, para os residentes no interior do Sertão Nordestino. A seca sempre foi o principal fator que fez com que milhares de nordestinos se dirigissem para São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília ou Amazonas na época do Ciclo da Borracha. Hoje, a realidade vivida pelos nordestinos é bem diferente. A eletrificação rural, o desenvolvimento das pequenas cidades do interior, construção de estradas, educação e saúde, comunicação e instalação de indústrias na zona rural, a tecnologia chegando ao campo e os programas sociais dos governos estaduais e federais contribuíram para a fixação do homem no campo e diminuiu os movimentos migratórios do Sertão para o Norte e Sul do País. O medo das cidades grandes e a tranquilidade, o sossego e a paz que reinavam no campo sempre motivaram a permanência do homem na zona rural. Agora, a realidade é outra bem diferente. Estupro, latrocínio, assaltos, sequestros, roubo de veículos e animais e arrastões acontecem diariamente na região. A partir da década de oitenta começaram a surgir quadrilhas que se tornaram conhecidas nacionalmente, pela ousada e forma de agir, desafiando a polícia, que já não mais consegue conter a ousadia dos criminosos durante suas ações.

Para se ter uma ideia, basta acompanhar as notícias no rádio e televisão, fazer uma leitura nos jornais, nas páginas policiais, que diariamente são publicadas notícias ligadas aos crimes praticados na zona rural. São assaltos a estabelecimentos comerciais, bancos, correios, carros e motos tomados de assaltos e arrastões nas estradas.

O agricultor Honório Dantas, proprietário de uma pequena fazenda entre os municípios de Caraúbas, Olho D'água do Borges e Umarizal, no Rio Grande do Norte, conta que já teve a sua casa invadida duas vezes por bandidos que levaram dinheiro e eletrodomésticos. Agora pretende ir morar na cidade, pois a família não consegue mais ter paz. Quer vender a propriedade que há muitos anos vem passando de pais para filhos. A mesma situação viveu um agricultor residente no sítio Boa Água, em Caraúbas/RN, quando durante a madrugada bandidos invadiram sua casa e levaram móveis e dinheiro. Os bandidos entram nas casas, humilham as famílias e ameaçam a todos, As constantes invasões a domicílios, na zona rural, tem levado a população a migrar para as cidades onde a sensação de segurança ainda dá mais tranquilidade as famílias.

As Agências dos Correios tem sido alvo preferido dos bandidos devido ao número reduzido de funcionários e a falta de vigilantes.

Em pouco menos de um mês, sete agências dos Correios, na Zona Oeste do Rio Grande do Norte foram assaltadas. Almino Afonso, Rafael Goleiro, Lucrécia, Tabuleiro Grande, Encanto, Itaú e Caraúbas já tiveram suas agências postais assaltadas pelo menos uma vez. Geralmente são dois elementos, de motocicleta, usando roupas escuras, capacetes, armados de revólveres ou pistola.

Nas comunidades localizadas entre os municípios de Caraúbas e Janduís, muitas residências estão fechadas e seus moradores foram embora por causa da violência. Em Caraúbas, na comunidade de Santo Antônio, o êxodo rural é bem marcante.

Fazendas abandonadas, casas deterioradas e taperas na beira da estrada refletem um cenário triste e melancólico, principalmente para os ex-moradores, que foram obrigados a saírem por causa da violência.

No Ceará, município de Reriutaba, a comunidade de Vitória, das 21 casas existentes na comunidade apenas três tem moradores que já pensam em ir embora por causa da violência. Nas comunidades de Malhada Grande, Jatobá e Picos de Baixo, mais de dez casas já estão fechadas. Em Varjota, a comunidade de Cajazeiras já está ficando deserta. Em Cruz e Jijoca de Jericoacoara são constantes os assaltos às residências, o comércio e aos carros que fazem entrega de mercadorias. Os postos de abastecimento que ficam situados na zona rural são os preferidos pelos bandidos. Os fazendeiros reclamam do roubo de gado em vários estados do Nordeste e muito deles estão sendo obrigados a abandonarem suas atividades por total falta de segurança nas fazendas. Andar à noite é algo muito perigoso para quem mora na zona rural. Os aposentados são assaltados com frequências. Parece até que tem alguém informando quando eles recebem seus aposentos ou vendem algum animal, pois logo os bandidos chegam e levam tudo, sem contar com vários casos de morte, caso, a vítima tente reagir ao assalto ou se negue a entregar o dinheiro.

Dr. Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário