quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Petista destaca protagonismo do governo na recuperação da indústria naval

 

O apoio do governo federal, desde o governo Lula em 2003, foi fundamental para recuperar a indústria naval brasileira. A declaração do deputado Luiz Alberto (PT-BA), ex-sindicalista e petroleiro aposentado, reforça a afirmação da presidenta Dilma Rousseff, na coluna semanal “Conversa com a Presidenta”. Segundo a presidenta, a decisão de construir plataformas petrolíferas no Brasil recuperou a indústria naval e gerou emprego e renda.

“Como resultado dessa política, a primeira plataforma integralmente construída no Brasil, a P-51, com mais de 75% de conteúdo local, saiu do estaleiro BrasFels, em Angra dos Reis (RJ). Destinada a águas profundas, desde janeiro de 2009 ela produz petróleo e gás no campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos (RJ). Os estaleiros brasileiros estão com encomendas de 21 plataformas de produção e 30 sondas de perfuração.

Tudo isso representa geração de emprego e renda no Brasil e mais impulso à nossa indústria naval”, destacou a presidenta.

Por causa desses investimentos, Luiz Alberto considerou que hoje a realidade da indústria naval é bem distinta daquela deixada pelo governo do PSDB. “Quando o presidente Lula assumiu a presidência, a indústria naval estava totalmente sucateada. Ao contrário da oposição, que dizia que o Brasil não tinha capacidade nem tecnologia para construir plataformas, o governo do PT acreditou, investiu e provou que eles estavam errados”, destacou.

Hoje, segundo o deputado, em estados onde o setor estava estagnado, como Rio de Janeiro, Bahia e Pernambuco, a indústria naval está em “franca expansão”. “Apenas na Bahia foram investidos nos últimos anos mais de R$ 2 bilhões”, ressaltou Luiz Alberto.

Destaque - Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Construção Naval Offshore (Abenav) o Brasil é o mercado que mais tem se desenvolvido nos últimos anos no segmento. A construção de navios e as encomendas de sondas e plataformas de exploração marítima de petróleo, principalmente na camada pré-sal, impulsionam o setor.

Dados da entidade apontam que na década de 1970, auge da indústria naval no País, os estaleiros empregavam 40 mil pessoas. Atualmente, eles geram 60 mil empregos diretos e nos próximos três anos esse número deve ultrapassar os 100 mil.

Investimentos- Especialistas também apontam o Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef), lançado em 2004 pela Transpetro (subsidiária da Petrobras), como responsável pela revitalização da indústria naval brasileira. A empresa já encomendou 49 embarcações a estaleiros nacionais. Em maio, a Petrobras anunciou investimentos de 180 biliões de dólares, até 2020, para construção de 105 plataformas de produção e sondas de perfuração, 542 barcos de apoio e 139 petroleiros.

Informes da Liderança do PT

Nenhum comentário:

Postar um comentário