segunda-feira, 17 de setembro de 2012

A mágoa

Acredito já ter escrito algo sobre a mágoa. Algumas situações, no entanto,
motivaram-me a abordar esse assunto novamente. É muito triste perceber
como as pessoas perdem seu precioso tempo remoendo episódios passados
desagradáveis. Provavelmente expliquei que a mágoa é produto da raiva
contida. Assim, só experimenta mágoa aquele que passou pela raiva sem lhe
dar vazão, ou seja, guardou a raiva em seu coração. Nem sempre é fácil
colocar a raiva pra fora, sabemos disso. Em alguns casos, a prudência
recomenda que contemos até dez antes de falar ou fazer alguma coisa que
poderia ser desastrosa. Entretanto, ficar guardando a raiva
indefinidamente também não é uma boa opção, pois com o tempo ela se
transforma em mágoa, e pode ser responsável por inúmeras doenças físicas,
além das emocionais. Como fazer então?
Em primeiro lugar, avalie se você sente mágoa de alguém. Aquela tristeza
profunda oriunda do fato de ter sido desprezado, desconsiderado, traído,
enganado, humilhado, entre outros, por alguma pessoa de seu
relacionamento. Identificada à situação e a pessoa ou pessoas que deram
causa à mágoa, procure perceber como por trás dessa tristeza ainda existe
muita raiva de tudo isso. Talvez, você ainda não tivesse se dado conta de
quanta raiva estava guardada dentro de seu coração. Pois bem; identificada
a raiva, é preciso que faça a escolha de colocá-la para fora de você.
Como? Procurando canalizá-la através de condutas mais apropriadas, como a
prática de um esporte ou arte; ou ainda, por meio de uma conversa franca
com quem o magoou.
Buscar resolver uma situação de conflito interno em nada diminui você,
portanto, não permita que seu orgulho interfira, privando-o desse momento
de autenticidade com o outro. É necessário que tudo fique claro. É preciso
que você tenha certeza acerca daquilo que deseja esclarecer para que possa
ter paz em seu coração. Ainda que o outro seja desonesto e use mentiras, o
fato de você ser sincero irá lhe trazer maior tranquilidade. Expresse seu
ponto de vista procurando manter a calma. Concentre-se naquilo que deseja
falar e fale com educação, de forma equilibrada. Favoreça um clima
amistoso, para que o outro possa também expressar sua opinião acerca dos
fatos passados, evitando criar uma situação que possa gerar mais mágoas.
Seja sincero, verdadeiro. Olhe nos olhos da pessoa. Mostre sua dor. Chore
se sentir vontade. Abra seu coração. Deixe toda mágoa sair. Decida não
guardar mais qualquer rancor. Perdoe e conceda o perdão a si mesmo,
libertando-se das amarras do passado. Permita-se vivenciar um novo
momento, livrando-se desse peso terrível que a raiva traz. Encare a pessoa
com olhos diferentes, mais amorosos. Todos nós erramos e, em algum
momento, vamos precisar ser perdoados. Liberte-se primeiro: perdoe! Você
verá como sua vida vai ficar bem melhor de se viver. Somente tolos
cultivam veneno dentro de si mesmos. Pessoas inteligentes se cercam do
cuidado amoroso, que compreende a aceitação e o perdão. Vamos refletir
sobre isso, e purificar nosso coração da mágoa para o bem de todos!
Maria Regina Canhos Vicentin (e.mail: contato@mariaregina.com.br) é
escritora.
Acesse e divulgue o site da autora: www.mariaregina.com.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário