terça-feira, 11 de setembro de 2012

Governo vai cobrar garantia de acesso rápido à Internet, diz presidente Dilma

A presidenta Dilma Rousseff afirmou ontem, no programa de rádio Café com a Presidenta, que o governo vai cobrar das empresas que fornecem internet de banda larga garantia de acesso rápido e com conexão estável aos consumidores. Segundo ela, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vai avaliar e monitorar os serviços de internet prestados no País.

“Muitos consumidores estavam reclamando da velocidade e da estabilidade das conexões. Em muitos casos, os consumidores recebiam apenas 10% da velocidade da internet que eles tinham contratado com as empresas prestadoras desse serviço. Foi para mudar essa situação que a Anatel estabeleceu metas de qualidade. A partir de agora, estamos cobrando qualidade das empresas que prestam o serviço de banda larga”.

Dilma explicou que, em outubro, as empresas vão ser obrigadas a entregar, em média, 60% da velocidade contratada e essa exigência de qualidade vai aumentar até outubro de 2014, quando as empresas terão que fornecer uma média diária de 80% da velocidade contratada pelos clientes.

“Para fazer as empresas cumprirem essas metas é que a Anatel vai começar, agora, a medir a qualidade da banda larga nas casas, nas empresas, nas escolas”, explicou a presidenta.

A Anatel está cadastrando voluntários de todo o País para receberem pequenos aparelhos medidores da velocidade e da estabilidade da internet durante o dia, destacou a presidenta. Os que desejarem participar do programa devem se inscrever no site www.brasilbandalarga.com.br. A partir deste cadastro, vai ser feito um sorteio para escolher 12 mil pessoas em todo o país para ajudar a Anatel a fazer um mapa sobre como está funcionando a internet no Brasil.

A presidenta afirmou ainda que a fiscalização é mais uma medida do governo para ampliar o acesso das famílias a uma boa conexão de internet. “Fiscalizar significa garantir ao consumidor a necessária proteção contra serviços de má qualidade, garantir o rigoroso cumprimento do que foi por ele contratado e pago. Só assim o consumidor terá os seus direitos respeitados”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário