segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

IBGE: empregos formais crescem 65,7% em dez anos

 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, na última sexta-feira (29), a Síntese de Indicadores Sociais (SIS) 2013. Entre os melhores dados está o crescimento de empregos formais: 65,7% no período 2002-2012. O total de empregados passou de 28,6 milhões para 47,4 milhões no período.
Em termos absolutos, o setor de serviços continua a ser o que mais reúne empregos formais, com 16,1 milhões, alta de 78% frente a 2002. Já a construção civil foi o segmento que mais gerou postos formais de trabalho, demonstrando o crescimento vertiginoso do setor. Em 2012, a construção civil tinha 2,8 milhões de trabalhadores com carteira assinada, o que representou avanço de 155% frente a 2002.
No período 2002-2012, o IBGE observou aumento significativo da proporção de trabalhadores em empregos formais, que passou de 45% para 57%. De acordo com o estudo, em 2002 havia maior concentração em posições mais precárias, como empregados sem carteira, trabalhadores domésticos, por conta própria, na construção e na produção para o próprio uso e não remunerados, que totalizavam 59% da população ocupada. Em 2012 esse percentual caiu para 49%.
“Dentre os fatores que contribuíram para esse resultado, pode-se citar a retomada do crescimento econômico, o aumento da renda real, a redução do desemprego, a política da valorização do salário mínimo e a política de incentivo à formalização, como, por exemplo, a criação do Simples Nacional”, afirma a equipe técnica do IBGE no estudo.

www.ptnacamara.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário