quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

UMA CIDADE QUE NASCEU AO PÉ DA CRUZ

 

clip_image002

Cruz - CE. Município cearense situado no Litoral de Camocim, Distrito de São Francisco da Cruz pertencente ao município de Acaraú, foi emancipado com o nome de Cruz em uma consulta plebiscitária realizada dia 08 de janeiro, com publicação no Diário Oficial sob Lei Nº 11.003 em 14 de janeiro de 1985 e instalado em 1º de janeiro de 1986, sendo seu primeiro mandatário João Muniz Sobrinho para um mandato “tampão” de três anos.

clip_image004

 

Seu nome originou-se de uma cruz de madeira fincada à margem de uma lagoa no local onde morreu um homem que, segundo alguns historiadores, tratava-se de um retirante que morreu de fome na seca de 1825. Para outros, o homem foi assassino por haver tirado a honra de uma donzela no Estado do Maranhão. Os pais da moça passaram a segui-lo e o encontrando à margem da lagoa, fizeram justiça, matando o fugitivo.

O Município de Cruz localiza-se na Microrregião do Litoral de Camocim e Acaraú, Mesorregião do Noroeste Cearense. Tem uma área territorial de 130 Km², população atual de 24.000 habitantes e limita-se ao Norte com o Distrito de Aranaú (Acaraú) e o Oceano Atlântico, onde ficam as praias de Formosa, Preá e Desterro. Ao Sul, limita-se com o Município de Bela Cruz. Ao Leste, limita-se com o Município de Acaraú tendo como linha divisória o Rio Acaraú, antigo Rio das Garças. À Oeste, limita-se com o Município de Jijoca de Jericoacoara tendo como divisor a Lagoa de Jijoca, o maior lago natural do Ceará. A linha de transmissão e rede de distribuição do Distrito de São Francisco da Cruz foi inaugurada em 31 de julho de 1972, quando era prefeito de Acaraú João Jaime Ferreira Gomes e governador clip_image006do Ceará César Cals de Oliveira Filho.

O município de Cruz tem como principais atividades econômicas, a cultura do cajueiro e as plantações de milho, feijão e mandioca. No litoral, destacam-se a pesca artesanal e as plantações de coqueiro. Na várzea do Rio Acaraú, a produção de pó para o fabrico de cera de palha de carnaúba emprega uma grande quantidade de mão de obra masculina. A indústria de cerâmica também faz parte do setor de produção do município. Em Lagoa dos Monteiros, uma indústria de confecção gera emprego e renda para as mulheres da comunidade. O comercio varejista é bastante desenvolvido. O artesanato de linha e a confecção de vestuário feminino infantil é a atividade que mais gera emprego e renda para as mulheres do município. Também, encontra-se na zona rural do município dezenas de casas de farinha artesanal e pequenas indústrias caseiras de fabricação de cajuína, produto derivado do caju. As oficinas de moto estão presentes em todas as comunidades do município. Cinco postos de abastecimento de combustível estão distribuídos pelo município. O município conta com três farmácias na sede e uma na Praia do Preá. Uma agencia do Banco do Brasil e vários bancos populares fazem a movimentação financeira do município realizando saques e depósitos.

No setor de representação de organização social temos os Sindicatos dos Servidores Públicos Municipais, dos trabalhadores rurais e o da agricultura familiar, CMDS, Lions Club, CDL, Federação das Associações Comunitárias do Município de Cruz – CE (FAC) e a Colônia de Pescadores Z - 22.

Na Praia do Preá, dez pousadas de excelente qualidade recebem turistas de todas as partes do mundo que vem conhecer suas belezas naturais.

Diariamente saem carros de horários de todas as comunidades rurais para a sede do município de onde parte ônibus para Fortaleza, várias vezes ao dia.

No setor de saúde, temos o Hospital Municipal Dona Maria Muniz e onze postos – PSF - na zona rural.

Nos seus 27 anos de emancipação politica, Cruz já foi governada por três prefeitos e agora elegeu o seu quarto mandatário José Aldair Mendes (Adauto), sendo o primeiro prefeito eleito pela oposição. João Muniz Sobrinho, com quatro mandatos, Antônio Raimundo de Araújo Neto com um mandato e Manoel Nelson Silveira com dois mandatos.

clip_image008Hoje, 14 de janeiro, o município comemora seus 27 anos de emancipação politica e a população lança todas as esperanças com um novo olhar sobe um município que acredita em mudanças que venham a melhorar a qualidade de vida de seu povo com o jeito petista de governar fazendo a Cruz que queremos.

Mesmo sendo um dia festivo, a população não tem muito que comemorar, pois a falta de emprego e renda, a onda de roubos e assaltos realizados com frequência no município que vem aterrorizando a população, a falta de apoio aos setores de turismo e agropecuária, a saúde e educação precárias contribuem para que a população não se sinta estimulada a fazer desta data um dia de festejos com alegria.

Dr. Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário