sábado, 26 de janeiro de 2013

Nova previsão climática aponta chuvas na média e abaixo da média

 

image

 

Segundo meteorologistas, ano não deve ser tão seco quanto 2012, mas não deve ter chuvas acima da média.

Os meteorologistas dos estados do norte da região Nordeste estiveram reunidos, durante esta semana, na Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), em Fortaleza (CE), para elaborar a previsão climática do semiárido nordestino para os próximos três meses. Segundo o meteorologista José Espínola, professor da Universidade Federal Rural do Semi- Árido (Ufersa), a previsão não difere muito da última elaborada pelos pesquisadores.

"A previsão é parecida com a elaborada no mês passado, de chuvas dentro da média a abaixo da média”. Ou seja, o período chuvoso deve ficar de normal a abaixo do normal. Nenhum modelo de previsão apontou para chuvas acima da média. Como a média para a região fica entre 600 e 800 mm no ano, isso quer dizer que em algumas localidades irá chover em torno desses valores. Por outro lado, uma boa parte deve registrar chuvas abaixo dessa média, destaca o meteorologista.

Com a nova previsão, o professor José Espínola explica que o ano não deve ser tão seco quanto 2012. "A expectativa é de que a seca do ano passado não se repita neste ano. No entanto, também não será tão chuvoso como os anos de 2010 e 2011. Com isso, os açudes que estão muito secos não devem sangrar este ano", esclarece o docente.

No entanto, o meteorologista explica que a previsão elaborada não tem um alto índice de confiabilidade. O Oceano Pacífico está neutro. Isso significa que não tem El Niño ou La Niña. Isso gera uma grande dificuldade nas previsões. Da mesma forma, o Oceano Atlântico Equatorial também está neutro. Então isso diminui a confiabilidade da previsão. “No próximo mês, os meteorologistas voltam a se reunir para adaptar a previsão para os novos dados que surgirem", afirma José Espínola.

A próxima reunião dos meteorologistas do norte da região Nordeste está marcada para os dias 19 e 20 de fevereiro e será promovida pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn). A reunião acontecerá na Secretaria de Estado da Agricultura.

Meteorologistas esperam mudanças

A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) é responsável pela maioria das chuvas na região.

O meteorologista José Espínola explica que as nuvens ficam direcionadas para a região Amazônica. Quando a temperatura do Oceano Atlântico esfria acima da Linha do Equador e esquenta abaixo da Linha, as nuvens são direcionadas para a região Nordeste, causando um bom período chuvoso.

"Ainda estamos esperando que a temperatura do Oceano Atlântico Equatorial aumente, para que as nuvens desçam e provoquem as chuvas”. De dezembro para cá, a situação já melhorou e continuamos esperando que melhore ainda mais. Isso pode acontecer de um mês para o outro. “A Próxima previsão terá mais confiabilidade porque vai se aproximando do período chuvoso", esclarece o professor da Ufersa.

Em Mossoró, durante todo o ano de 2012, choveu somente 198,9 milímetros. Já a média de chuvas dos últimos cem anos é de 687,8 milímetros. A quantidade de chuvas do ano passado caracteriza o ano como extremamente seco. Além da reunião em Natal, os meteorologistas ainda devem se reunir no mês de março, quando sairá a última previsão para o período chuvoso da região.

Fonte: O Mossorense

Dr. Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário