quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Embaixada da Venezuela contesta Arnaldo Jabor

 

 

Publicado em Terça, 15 Janeiro 2013 18:41
Escrito por Jussara Seixas

     

    Depois de o colunista do Jornal da Globo chamar o presidente Hugo Chávez de "Mussolini tropical" e falar sobre a existência de uma milícia bolivariana de 50 mil homens, a representação venezuelana no Brasil divulgou nota para dizer que o jornalista desrespeitou o povo do país e demonstrou "total desconhecimento sobre a realidade" da Venezuela

    247 - Na última quinta-feira (11), o colunista do Jornal da Globo Arnaldo Jabor fez uma dura crítica ao adiamento da posse do presidente da Venezuela, Hugo Chávez. No comentário, Jabor chama Chávez, que permanece internado há mais de um mês em Havana, de "Mussolini tropical" e diz que, com a sua morte, se instalará de vez uma "ditadura radical" na Venezuela (assista abaixo). A resposta veio no dia seguinte, da Embaixada da Venezuela no Brasil. "Considerando o alto grau de organização e conscientização da população venezuelana, não são nada menos do que absurdas as acusações feitas por Jabor da existência de um aparato repressor contra o livre pensamento", diz a nota. "Na Venezuela, civis e militares caminham juntos no objetivo de garantir a defesa, a segurança e o desenvolvimento da nação, continua. Leia a nota da embaixada venezuelana: Além de desrespeitar os venezuelanos, povo irmão do Brasil, e de proferir acusações sem base nos fatos reais, o comentário de Arnaldo Jabor nesta quinta-feira, 10 de janeiro, no Jornal da Globo, demonstra total desconhecimento sobre a realidade de nosso país. Existe hoje na Venezuela, graças à decisão de um povo que escolheu ser soberano, um sistema político democrático participativo com amplo respaldo popular, comprovado pela alta participação da população toda vez que é convocada a votar em candidatos a governantes ou a decidir sobre temas importantes para o país. Desde que Hugo Chávez chegou ao poder, o governo já se submeteu a 16 processos democráticos de consulta popular – entre referendos, eleições ou plebiscitos. Não nos parece ignorante ou despolitizado um povo que opta por dar continuidade a um projeto político que diminuiu a pobreza extrema pela metade, erradicou o analfabetismo, democratizou o acesso aos meios de comunicação e que combina crescimento econômico com distribuição de renda. Esse povo consciente de seus direitos não se deixa manipular pelas mentiras veiculadas por um setor da mídia corporativa – essa que circula livremente também na Venezuela. Considerando o alto grau de organização e conscientização da população venezuelana, não são nada menos do que absurdas as acusações feitas por Jabor da existência de um aparato repressor contra o livre pensamento. Na Venezuela, civis e militares caminham juntos no objetivo de garantir a defesa, a segurança e o desenvolvimento da nação. É importante lembrar que se trata do mesmo comentarista que em 11 de abril de 2002, quando a Venezuela sofreu um golpe de Estado que sequestrou seu presidente durante 48 horas, saudou e comemorou este ato antidemocrático, durante comentário feito na mesma emissora, a Rede Globo. Embaixada da República Bolivariana da Venezuela

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário