domingo, 13 de janeiro de 2013

Petistas criticam boatos sobre racionamento de energia e elogiam governo por garantir desconto

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vários deputados petistas condenaram ontem a onda de boatos disseminados por parte da imprensa e estimulada por partidos de oposição sobre a possibilidade de racionamento de energia por conta da falta de chuva em algumas regiões do Brasil. Os parlamentares também elogiaram a reafirmação do compromisso do governo de garantir a redução média de 20% nas contas de luz.

Em entrevista coletiva na tarde de ontem (9), o ministro de Minas e Energia Edson Lobão, garantiu que o desconto começa a ser aplicado em fevereiro e afastou a hipótese de racionamento. “Não há, não houve, e espero que não haja, no futuro, o desabastecimento”, afirmou Lobão. O ministro disse ainda que espera que os níveis de água dos reservatórios das hidrelétricas voltem ao normal em curto prazo, porque “voltou a chover em várias partes do País”.

O líder do PT na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), avaliou que as críticas à condução do setor elétrico brasileiro são uma tentativa de antecipar a disputa eleitoral de 2014. Segundo Guimarães, a oposição deu “um tiro no pé” quando se colocou contra a redução da tarifa de energia elétrica para os consumidores residenciais e industriais.

“Agora, para tentar recuperar o prejuízo, espalha boatos sobre um possível racionamento para criar um clima desfavorável ao governo em um ano pré-eleitoral”, destacou. Ainda de acordo com o líder petista, o governo e os partidos da base aliada devem estar preparados porque “neste ano ainda vão ser criados muitos outros factoides”.

Apesar de reconhecer que o Brasil passa por uma das piores estiagens dos últimos 50 anos, o deputado Fernando Ferro (PT-PE), integrante da Comissão de Minas e Energia da Câmara, também não vê risco de racionamento. Ele ressalta as verdadeiras razões para a boataria: “Há uma motivação política de querer criar um clima de que nós estaríamos à beira de um colapso energético”. O parlamentar disse ainda que o País possui alternativas para o abastecimento de energia, como as termoelétricas, o que afasta a possibilidade de falta de energia.

Sabotagem – Já o deputado Carlos Zarattini (PT-SP) enxerga má-fé na “onda” de boatos que tomou conta da mídia nos últimos dias. “Vejo nesses jornalões uma campanha de estupidez sobre o assunto. Falam em apagão (há quem já faça as contas sobre o impacto do apagão no PIB, em puro clima de torcida), em racionamento, em aumento na conta de luz, em riscos de inadimplência... Não faz sentido”, explicou.

De acordo com o deputado, “nessa campanha de alarde há um desejo de sabotar o País”. “São oportunistas e especuladores ganhando na Bolsa. São os eternos pescadores em águas turvas, sempre esperando o pior para se beneficiar na política e nos negócios”, acusou.

Desconto – A reafirmação do compromisso do governo em reduzir a tarifa de energia também mereceu elogios de integrantes da bancada petista. Segundo o deputado Claudio Puty (PT-PA), o desconto é parte da política de redução da carga fiscal e da melhoria dos serviços públicos no País. “O governo está empregando muitos esforços para reduzir taxas em vários setores e estabelecer com o setor privado o mínimo de diálogo, para desenvolver serviços públicos, sem negligenciar suas responsabilidades na gestão do setor”, ressaltou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário