quarta-feira, 11 de maio de 2011

O Globo

O intelectual americano Noam Chomsky publicou um artigo esta semana, na revista online "Guernica", com duras críticas à decisão do governo Barack Obama e uma condenação firme à operação que resultou na morte de Osama bin Laden.

Ele chama a ação de "assassinato planejado" e levanta o questionamento: "E se um comando iraquiano invadisse de surpresa a mansão de George W. Bush, o assassinasse e atirasse seu corpo no Atlântico?".

- "Em sociedades que professam um certo respeito à lei, os suspeitos são detidos e passam por um processo justo. (...) Nada sério foi provado (contra Bin Laden). Falaram muito da 'confissão' de Bin Laden, mas isso soa mais como se eu confessasse que venci a Maratona de Boston. Bin Laden alardeou um feito que considerava uma grande vitória".

- "Como reagiríamos se um comando iraquiano invadisse de surpresa a mansão de George W. Bush, o assassinasse e atirasse seu corpo no Atlântico? Sem dúvidas, seus crimes excederam em muito os que Bin Laden cometeu, e ele não é um suspeito, mas sim, indiscutivelmente, o sujeito que tomou as decisões".

- Sobre o nome da operação, Gerônimo. "A mentalidade imperial está tão arraigada, em toda a sociedade ocidental, que parece que ninguém percebe que estão glorificando Bin Laden, ao identificá-lo com a valorosa resistência frente aos invasores genocidas. É como batizar nossas armas assassinas com os nomes das vítimas de nossos crimes: Apache, Tomahawk".

Encaminhada por: Martonio Viana martonioviana@oi.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário