terça-feira, 31 de maio de 2011

Ciro: O erro de Lula, o trambolho do Serra e a bancada agarrada nos privilégios do poder

 

Por Kezya Diniz

Ciro Gomes proferiu palestra sobre desenvolvimento na Assembléia Legislativa. Foto: Kézya Diniz

Conforme já mencionei aqui, o ex-deputado federal Ciro Gomes (PSB) esteve na Assembléia Legislativa, nesta segunda-feira (30), onde proferiu palestra sobre o Desenvolvimento Sustentável, com o tema “Desenvolvimento Verde”.

Já na entrevista à imprensa, o socialista falou que a bancada federal cearense está “excessivamente agarrada nos privilégios da sombra do poder“.

O ex-deputado ainda comentou diferentes temas, entre os quais, a disputa eleitoral para a sucessão na prefeitura de Fortaleza em 2012.

“Eu gostaria de ser o próximo prefeito, só não posso”, disse.

Leia Mais:
Ciro critica PDT e diz que Fortaleza não aceita mais tanto descalabro

Selecionei temas tratados durante entrevista e destaco, abaixo, trechos da fala de Ciro Gomes. As declarações também podem ser vistas em vídeo.

Candidatura do PSB
Questionado se o caminho do PSB, para a sucessão municipal em Fortaleza, seria em direção a aliança com o PT ou a candidatura própria, Ciro ampliou o tema.

“Eu acho que time que não joga, não faz torcida. E o processo político brasileiro, confinado a dicotomia PT, PSDB e hegemonizado pelo processo de São Paulo, tem feito imenso mal ao Brasil. Nós estamos enfraquecidos politicamente, perdemos a energia transformadora, reformadora do país e o país tem praticamente todas a suas instituições sob xeque”, disse.

Palocci
O ex-ministro também falou sobre a polêmica envolvendo o atual chefe da Casa Civil do governo Dilma Rousseff, Antônio Palocci.

“Eu vejo com muita tristeza porque eu gosto muito do Palocci, acho que ele tem uma massa de serviços prestados ao Brasil que fazem com que eu reforce muito aquilo que deve tá a disposição de todos os cidadãos: a presunção da inocência. Toda pessoa acusada tem direito a ser presumida inocente até que se prove a culpa em contrário. Dito isso, eu estou como todos os brasileiros, aguardando explicações porque não é razoável que não haja explicações, não é razoável”, justificou.

Interferência de Lula
Questionado sobre uma suposta crise em decorrência da possível demissão do ministro Antônio Palocci, Ciro disse que a situação do país não depende de um único gestor.

O Lula tem esse equivoco. Eu acho que ele, inclusive, cometeu na minha opinião, um erro. Se ele quer ajudar, ele faça isso pelo telefone, discretamente, mas essa ida à Brasília e tal, liquida com qualquer capital político que a Dilma possa e deva acumular porque é inerente a liderança que ele tem como presidente da República”, disse para depois completar afirmando que “Agora ‘depende só do Lula, o Brasil?’ Eu sou contra isso. ‘Depende só da Dilma, depende só do Ciro, depende só do Palocci’ que conversa é essa?!”, disparou.

Buracos e educação
Ciro também reafirmou as críticas à gestão de Luzianne Lins citando a problemática dos buracos e a qualidade da educação.

“Passou o inverso, já começou, aí tem a operação ‘ilude o eleitor’. Isso é assim há an0s. Não se faz saneamento básico desde que eu larguei o governo”, disse ao comentar o período em que esteve a frente do governo do Ceará, entre 1991 e 1994.

O socialista reforçou que mais grave do que os buracos pelas ruas da capital, é o baixo nível da qualidade da educação.

“Você não tem nada, planejamento estratégico de nada. Agora buraco é completamente secundário. Você passa um asfaltinho, agora sem chuva, fica todo mundo achando, especialmente na Aldeota, classe média e tal, que tá tudo bem. Não tá tudo bem não.”

Nós estamos com a quarta pior educação em os 184 municípios do Ceará, que é uma das piores educações do país e assim, a gente ficar falando em buraco parece um escárnio com o povo, enfatizou.

Ciro Prefeito
Questionado se gostaria de “estar na pele” do próximo prefeito de Fortaleza, Ciro foi taxativo.

”Eu gostaria de ser o próximo prefeito, só não posso”, disse.

Ceará
Ciro também falou sobre a falta de apoio do governo federal em questões ligadas ao Ceará e comparou o envio de recursos com o estado de Pernambuco.

“Se nós compararmos o que Pernambuco tem recebido, na prática, e o que o Ceará tem recebido, na prática, o Ceará não tá recebendo o que foi prometido não“. Questionado sobre o que fazer diante dessa realidade, o socialista defendeu: “tem que lutar pesado”.

Bancada
Provocado a falar sobre a falta de empenho da bancada federal para garantir os investimentos para o Ceará, Ciro disparou:

“Empenho eu não diria, mas eu acho que a nossa bancada tá excessivamente agarrada nos privilégios da sombra do poder. Isso é ruim pro Estado”, afirmou.

Serra
Sobre a influência do senador mineiro Aécio Neves na condução do PSDB, Ciro não foi otimista e ainda aproveitou para atacar o desafeto José Serra.

“A questão é atitude. O Serra, como um trambolho, continua aí. E vai sabotar o trabalho do Aécio, vai sabotar o trabalho do Aécio, o que é ruim para o Brasil”, afirmou.

Reforma Política
O ex-deputado ainda falou sobre a disputa sobre PT e PSDB e disse que não acredita na aprovação da Reforma Política em debate no Congresso Nacional.

“Zero, menor chance. O que pode haver é o oportunismo que piore as coisas”, disse sobre a aprovação da Reforma.

Pseudo ambientalista
Voltando à palestra sobre Desenvolvimento Verde. Ao defender o debate de ações ambientalistas, Ciro Gomes citou o candidato a vice-presidente da República pelo Partido Verde, na chapa encabeçada pela ex-senadora Marina Silva.

“O presidente da Natura (Guilherme Lela) faz pose de ambientalista, mas tá lá com muitas multas pendentes no Ibama”, cutucou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário