terça-feira, 24 de maio de 2011

Governador está usando a máxima do "viva o luxo, morra o bucho"

Deputado diz que governador usa a máxima do "viva o luxo, morra o bucho"
O deputado Roberto Mesquita (PV) afirmou que o governador Cid Gomes está usando a velha máxima popular do "viva o luxo, morra o bucho" ao pedir autorização para contrair empréstimo de 105 milhões de dólares para a construção do Aquário Ceará. As críticas foram feitas à mensagem de autoria do Executivo lida nesta terça-feira (24) na Assembléia Legislativa tratando da matéria.

O líder do PV justificou a crítica relatando que o Ceará tem um milhão de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza, e com um déficit de quase 50% nas redes de saneamento básico somente na Capital. "Lá no Pan Americano, governador, no Alto do Papoco, as pessoas acordam pisando na lama. Tem gente lá que usa uma lata pra fazer as necessidades porque não tem banheiros".
O deputado criticou ainda a justificativa do projeto onde Cid diz que "o diferencial do Aquário de Fortaleza é que ele será um equipamento científico-educacional de apoio ao meio-ambiente". Mesquita esclareceu que o Labomar já cumpre o papel de um grande equipamento científico e educacional, sendo de mais bom grado investir em projetos já desenvolvidos no órgão. Mereceu crítica também o trecho onde o governador afirma que "a grande maioria dos fornecedores de tecnologia, materiais e equipamentos para este tipo de equipamentos são sediados nos Estados Unidos da América". "O Estado não pode pegar dinheiro emprestado para gerar emprego e renda lá nos Estados Unidos", argumentou.
Roberto reconheceu que Cid Gomes está fazendo grandes mudanças no Ceará e o empreendimento será um marco, no entanto o Estado não está preparado social e economicamente para dispor de recursos para a construção de um equipamento do porte do Acquário Ceará. Antes é preciso resolver os problemas mais urgentes e depois construir "até dez aquários" se o for o desejo do governador.

--
Jorge Macedo
As. de Imprensa
(85)8897.3343

Nenhum comentário:

Postar um comentário