quinta-feira, 29 de junho de 2017

Na depressão de Temer, bancos públicos derrubam o crédito


247 - A depressão de Michel Temer derrubou o crédito, sobretudo nos bancos público.

As informações são do jornalista Vinicius Torres Freire na Folha de S.Paulo.

Em maio, o estoque de crédito, o total de dinheiro emprestado, diminuiu 6,4% em relação a maio de 2016, queda de R$ 211 bilhões.

Cerca de dois terços dessa baixa deveram-se à redução no estoque de crédito dos bancos públicos (45% apenas no BNDES, 23% nos demais estatais).

Os bancos públicos têm 56% no mercado de crédito. Consideradas as proporções, arrocharam mais.

O estoque de crédito nos bancos públicos caiu 7,7% em um ano. Nos bancos privados, 4,8%. Nos privados nacionais, voltou a crescer, alta de 0,4% em maio. No BNDES, a baixa ainda é de 14%.

Essas contas não são, claro, uma explicação do que se passou nesse mercado. Menos ainda implicam recomendação do que fazer. Isto é, não implica dizer que, dado que a economia está congelada também por falta de crédito, seria preciso então abrir as burras dos bancos estatais, necessariamente.

Os números dão o que pensar, no entanto.

(...)

Enfim, a disparidade de ritmos entre públicos e privados depende, sim, de especificidades operacionais desses bancos. Mas está difícil descartar uma política deliberada de enxugamento estatal.

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/economia/303730/Na-depress%C3%A3o-de-Temer-bancos-p%C3%BAblicos-derrubam-o-cr%C3%A9dito.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário