sexta-feira, 21 de junho de 2013

Mude o Brasil, mas comece por você!


Manifestações pipocam pelo país num misto de revolta, indignação,
desespero e pancadaria. Será que o povo brasileiro acordou ou está sendo
mais uma vez manipulado por pessoas sagazes que sabem se aproveitar das
fragilidades humanas? Coisa pra se pensar, não é mesmo?! Penso que o país
pode mudar, sim; mas creio que a mudança deve começar por cada um, afinal,
o Brasil somos nós! A passividade com a qual aceitamos a corrupção nada
mais é do que a tolerância que exercitamos diante de nossas próprias
mazelas pessoais. Que me desculpem os cidadãos honestos, pois sei que
existem; mas a maioria dos brasileiros traz a corrupção nas entranhas,
resquícios da formação do nosso povo com pessoas da pior linhagem (os
historiadores bem sabem).
Lutar contra a própria natureza é tarefa das mais árduas e, nesse sentido,
parabenizo o povo sofrido por se insurgir contra os desmandos e a
exploração vigentes. No entanto, lamento a forma como alguns protestam,
voltando-se contra outros pares (imersos em igual sofrimento),
projetando-lhes toda a ira que deveriam canalizar de modo construtivo para
despertar a consciência de tantos adormecidos.
Não é depredando lojas nem destruindo o patrimônio público que iremos
alcançar nossos objetivos. Penso que não é justo destruir o que alguém
construiu só para extravasar revolta e dor acumulada por anos de
exploração consentida. É preciso haver uma mudança na mentalidade do povo,
e tomara que isso esteja ocorrendo mesmo; mas temo que seja somente um
espasmo de incômodo que não levará a uma real modificação de hábitos já
arraigados e largamente praticados entre as pessoas do nosso país.
Desde que sou pequena presencio feirantes e pessoas do comércio praticando
pequenos “equívocos” na hora da pesagem, no estabelecimento do preço e do
troco. Também percebo funcionários levando para casa materiais de trabalho
num visível “empréstimo sem devolução” ao patrão; também vendedores e
viajantes fraudando notas de refeições e abastecimento em postos de
combustíveis... É assim ou não é?! Como age o povo brasileiro? Fica fácil
entender porque nossos líderes políticos se comportam de igual forma só
que em maior escala. A procedência é a mesma, o pensamento é o mesmo:
levar vantagem; assegurar o meu a custa da exploração e enganação do
outro. Óbvio, não?
Quer mudar o país? Comece mudando a si mesmo! Seja mais honesto, humano,
solidário. Seja responsável, verdadeiro, íntegro. É difícil? Lógico que é!
Mas, educando seus filhos assim, terá chance de construir um país melhor
para os seus netos e bisnetos. E o que vai nos restar hoje? Isso que
estamos vendo na TV. O resultado da nossa omissão, aquiescência,
conformismo, acomodação e tolerância pessoal ou coletiva. Puxa; não sabia
que ia dar nisso! Que pena, não é mesmo? Às vezes, a gente tem de sentir
na pele o efeito do nosso cruzar de braços quando há tanto a ser feito.
Vamos recolher muitos cacos; mas, quem sabe possamos aprender o valor de
uma boa educação, respeito, honestidade e amor ao próximo. Deixemos de
lado a passividade e a inércia que nos acompanham há anos e anos. Lutemos
por um Brasil melhor, mas tendo consciência que mudar o país implica em
mudar a nós mesmos. E que Deus nos ajude!
Maria Regina Canhos (e.mail: contato@mariaregina.com.br) é escritora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário