quarta-feira, 19 de junho de 2013

Brasil acordou mais forte, afirma Dilma sobre manifestações; líder mostra legado positivo

 

dilmamanifesta

A presidenta Dilma Rousseff elogiou, ontem o civismo da população brasileira, que foi às ruas em manifestações nas principais cidades do País. Segundo Dilma, foi bom ver tantos jovens e adultos defendendo um País melhor. “O Brasil hoje acordou mais forte. A grandeza das manifestações de ontem (segunda-feira) comprovam a energia da nossa democracia. A força da voz da rua e o civismo da nossa população. É bom ver tantos jovens e adultos, (…) juntos com a bandeira do Brasil, cantando o hino nacional e dizendo com orgulho sou brasileiro”, disse.

A presidenta afirmou que seu governo está empenhado e comprometido com a transformação social. Ela citou como exemplo a elevação de 40 milhões de pessoas à classe média. Segundo Dilma, as pessoas mudam porque o Brasil mudou, com mais inclusão, elevação de renda, acesso ao emprego e à educação.
“Surgiram cidadãos que querem mais e que tem direito a mais. Sim, todos nós estamos diante de novos desafios. Quem foi ontem às ruas quer mais. As vozes das ruas querem mais cidadania, mais saúde, mais educação, mais transporte, mais oportunidades. Eu quero aqui garantir a vocês que o meu governo também quer mais, e que nós vamos conseguir mais para o nosso país e para o nosso povo”, afirmou.

O líder da Bancada do PT na Câmara, deputado José Guimarães (CE), elogiou o pronunciamento da presidenta Dilma. “Ela defende as manifestações como sendo produto da democracia pela qual tanto lutou, pela qual tanto lutamos. Por outro lado, é importante explicitarmos o legado da Copa. Temos que desmitificar esta ideia de que o governo está investindo muito nos estádios e isso não tem  impacto positivo na economia brasileira. Tem sim. Vamos mostrar os benefícios que a Copa das Confederações e a Copa do Mundo deixarão para o País”.

Segundo o líder do PT, “a Copa do Mundo de 2014 terá um efeito multiplicador, capaz de quintuplicar os investimentos diretos realizados no país para viabilizar o evento, injetando no total de R$ 142,3 bilhões na economia brasileira até 2014”, enfatizou Guimarães.  
O líder defendeu ainda que o Congresso Nacional construa uma agenda, uma pauta da sociedade. “Os temas da educação, da segurança, da saúde precisam entrar na agenda do Congresso, defendeu”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário