sábado, 11 de maio de 2013

Mãe

Por esses dias tive a grata satisfação de ouvir a pregação de uma pastora
de Goiânia, de nome Luciene Gonçalves. Ela participou de um evento na
minha cidade natal, Jaú. Um desfile que contou com a participação da Miss
São Paulo, Francine Pantaleão, e ocorreu nas dependências da Igreja
Batista Renascer. Luciene falou sobre a mulher, e como ela pode mudar o
destino de seu filho e até de uma nação. Muito interessante; realmente
comovente; deixou muitas de nós na plateia com lágrimas nos olhos.
Refletir sobre suas palavras me fez avaliar quão grande é a missão da
mulher-mãe.
Sem dúvida a maternidade encerra uma série de transformações na vida da
mulher. Transformações definitivas em seu corpo e também em seu coração.
Acolher no ventre um bebê durante os nove meses de gestação é, sem dúvida,
prova de amor e doação. Sentir dia a dia as dores da dilatação uterina, a
expansão da barriga, o rompimento de estrias e vasinhos pelo corpo, sinais
visíveis de um caminho sem volta. Plásticas podem arrumar o visual, mas o
emocional, jamais. Nunca mais aquela mulher será a mesma. Nunca mais terá
sossego enquanto seu filho for vivo sobre a terra e, mesmo depois de
morto, sua lembrança estará com ela, sepultada em seu coração.
Ser mãe é entregar um pedaço de si a humanidade. É ser cúmplice no projeto
de Deus quando Ele resolve confiar mais uma vez no ser humano, dando-lhe o
sopro vital e a oportunidade de fazer novas todas as coisas. Com o sim da
mulher, o Criador renova a crença no potencial de mudança das pessoas, e o
ventre passa a ser templo sagrado onde a vida se manifesta. Louvado seja
Deus por agraciar a mulher com tão preciosa colaboração em relação à
criação, à vida na Terra. A perfeição da criação se nota a cada dia. A
perfeição do ser humano é inimaginável. Abrigar tudo isso no ventre é
absolutamente maravilhoso!
Ser mãe é ter o maior milagre do Criador dentro de si. É participar do
processo criativo doando a matéria prima com a qual será confeccionado o
próximo rosto do Cristo entre nós. E, não bastasse isso, segue-se ainda a
amamentação, o cuidado com a criança recém-nascida, a disponibilidade
incessante para os momentos febris, de cólicas e enfermidades. Ser mãe é
ter o futuro da humanidade no ventre com a benção do Criador. Se existe
algo mais lindo que isso, Deus certamente guardou para si mesmo!
Maria Regina Canhos (e.mail: contato@mariaregina.com.br) é escritora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário