terça-feira, 25 de outubro de 2011

Reeleição de Cristina Kirchner atesta rejeição às políticas neoliberais, avaliam petistas

 

Na opinião de parlamentares petistas, a reeleição de Cristina Fernandez Kirchner para o cargo de presidenta da Argentina, neste domingo (23), consolida a democracia do país vizinho e atesta a rejeição, por parte da população, das políticas neoliberais que levaram inúmeros países latinoamericanos a graves crises políticas e econômicas nas duas últimas décadas.

A candidata recebeu cerca de 53% dos votos, ficando quase 40 pontos percentuais à frente do segundo colocado, o candidato Hermes Binner, que obteve aproximadamente 16% dos votos válidos do eleitorado argentino. A votação de domingo é a maior obtida por um candidato presidencial desde a redemocratização da Argentina, iniciada em 1983.

Em nome da bancada petista, o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Teixeira (PT-SP), saudou a vitória da presidenta em nota oficial (leia a íntegra abaixo). “Essa vitória consagradora significa que o povo argentino continua rejeitando o modelo neoliberal que conduziu, em 2001, a economia do país vizinho a um colapso”, diz o texto. Na nota, o líder petista também reafirma o compromisso da bancada “com o fortalecimento do Mercosul e com os projetos de integração econômica, política e cultural do continente”.

Para o deputado Dr. Rosinha (PT-PR), a reeleição de Cristina Kirchner possui um duplo significado. “Por um lado, é a consolidação da democracia interna da Argentina, após o último ciclo ditatorial [1976-1983] e as crises políticas e econômicas recentes. Por outro, é a demonstração do acerto das políticas sociais, amplamente aprovadas pelo conjunto da população, que apontam, a exemplo do Brasil, para a integração e para a união dos países da América do Sul”, avalia o petista, que é um dos vice-presidentes do Parlamento do Mercosul (Parlasul).

Na opinião da deputada Erika Kokay (PT-DF), a reeleição da presidenta argentina está inserida num contexto em que vários países latinoamericanos estão passando por processos semelhantes. “É a primeira vez que uma mulher é reeleita nas Américas – a segunda vez será no Brasil – e isso indica que a presidenta Cristina tem acertado na condução das políticas econômicas e sociais, inclusive em aliança com o Brasil e com outros países da América do Sul. Nenhum país caminha sozinho nos rumos da democracia e Brasil e Argentina, assim como Uruguai, Paraguai, Venezuela, Bolívia e outros estão muito certos em apostar na cooperação sul-sul”, afirmou Erika.

Outro que saudou a vitória de Cristina Kirchner foi o deputado Jilmar Tatto (PT-SP), integrante da Comissão de Relações Exteriores da Câmara. “Essa vitória histórica mostra que a Argentina está encontrando seu rumo, com investimentos na infraestrutura e na área social, no combate à inflação, no fortalecimento do mercado interno e no fortalecimento do Estado como agente indutor da economia. Além disso, o resultado demonstra a maturidade do povo argentino e representa um avanço na democracia. A saída deve ser sempre pelo voto popular”, enfatizou Tatto.

A vitória de Cristina Kirchner

A bancada do PT na Câmara dos Deputados recebe com alegria a vitória da presidenta Cristina Kirchner nas eleições gerais realizadas ontem, domingo, 23 de outubro, na Argentina. Essa vitória consagradora significa que o povo argentino continua rejeitando o modelo neoliberal que conduziu, em 2001, a economia do país vizinho a um colapso mais pronunciado que o do Brasil sob FHC, já que aqui a força da oposição popular impediu que ele conduzisse seu projeto neoliberal às suas últimas e desastrosas consequências, como Carlos Menem fez na Argentina.

Nossa satisfação é ainda maior quando podemos perceber que as forças da direita, do conservadorismo e do neoliberalismo saíram isoladas e debilitadas desta eleição e que as perspectivas de cooperação política e econômica entre Brasil e Argentina ficam assim fortalecidas, o que certamente resultará num maior grau de unidade de ação de toda a América Latina diante de um mundo perturbado pela crise econômica.

A bancada expressa seus votos de sucesso à presidenta Cristina Kirchner e ao povo argentino e reafirma seu compromisso com o fortalecimento do Mercosul e com o projeto de integração econômica, política e cultural do continente, condição indispensável para que alcancemos uma sociedade cada vez mais democrática, justa e feliz.

Brasília, 24 de outubro de 2011
Deputado Paulo Teixeira
Líder do PT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário