sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Soninha é impugnada pela Lei da Ficha Limpa

 

A candidata a deputada federal Soninha Francine, conhecida por evocar discursos éticos e moralizantes, foi considerada Ficha Suja. Ao todo, 497 candidaturas foram impugnadas com base na Lei da Ficha Limpa

soninha francine ficha limpa

Soninha Francine teve a candidatura impugnada pela Lei da Ficha Limpa (divulgação)

No primeiro dia de campanha eleitoral na TV, o Ministério Público Federal divulgou os dados de candidaturas impugnadas por irregularidades nos pedidos de registro. Em todo Brasil, foram 4.115 candidatos impugnados sendo 497 em ações decorrentes da Lei da Ficha Limpa (135/2010). Entre os estados, São Paulo lidera com 2.058 candidatos barrados, seguido de Minas Gerais, com 1.308.Após os apontamentos de casos possíveis de impugnação, cabe à Justiça Eleitoral analisar os pedidos e decidir se defere ou não os registros das candidaturas.

Os recursos das ações já julgadas pelos Tribunais Regionais Eleitorais serão analisados pelo Tribunal Superior Eleitoral. Entre os candidatos flagrados pelo Ficha Limpa, 254 forma impugnados devido a rejeição de contas em gestões anteriores.

Para fiscalizar de maneira efetiva as candidaturas, o Ministério Público Federal mirou a ausência de quitação eleitoral, a ausência de certidões criminais, a falta de desincompatibilização, dentre outros motivos. “A expectativa é que, nas próximas eleições, partidos e candidatos estejam mais atentos às exigências legais para requerer o registro de candidatura”, afirma o procurador regional eleitoral de São Paulo André de Carvalho Ramos.

Soninha Francine enquadrada

Soninha Francine foi enquadrada como ficha suja pelo MPF por causa de contas da Sutaco (Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades), órgão que administrou durante os anos de 2011 e 2012. A candidata a deputada federal pelo PPS promete, porém, manter a campanha normalmente até a decisão final do TRE-SP.

De acordo com a ex-vereadora, a situação “não se enquadra” na Lei da Ficha Limpa, pois ela não era mais responsável pela pasta na época das contas que foram analisadas. “Estamos recorrendo e aguardando”, disse.

Mesmo afirmando que é “impossível saber” o que será decidido pelo TRE-SP, Soninha diz que as contas estavam “expressamente dentro do que determina a lei” e que está confiante no resultado positivo para ela.

Soninha afirma que, mesmo com seu destino incerto nas eleições deste ano, vai fazer campanha pelas ruas como se estivesse com a situação regular.

com agências Brasil e Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário