quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Datafolha antecipa pesquisa para medir efeito da morte de Campos

Anderson Pires
jornalismo@cearanews7.com.br

O instituto Datafolha vai a campo nesta quinta-feira, sexta e sábado para medir os efeitos da morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) sobre a disputa presidencial. O resultado da pesquisa sairá na edição de segunda-feira do jornal “Folha de S. Paulo”, de acordo com o diretor do instituto, Mauro Paulino.
O levantamento estava previsto para ocorrer na segunda e terça-feira, para medir o impacto das entrevistas dos presidenciáveis no “Jornal Nacional”, da TV Globo, e imediatamente antes de se sentirem os efeitos do horário eleitoral gratuito em rádio e TV, que começa na terça. A morte de Campos, pela reviravolta que causa na corrida presidencial, antecipou a realização da pesquisa, registrada nesta quarta, no Tribunal Superior Eleitoral.
A divulgação dos levantamentos sobre as eleições a governador está mantida, porém sem os percentuais que os candidatos à Presidência obtêm em cada Estado. Nesta quinta, sairá o resultado do Ceará. Na sexta, os de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Pernambuco e Distrito Federal.
Para o diretor do Datafolha, a entrada de Marina Silva como sucessora de Eduardo Campos “certamente” impactará a corrida presidencial já nas próximas pesquisas.
Ele avalia que o perfil dos eleitores de Marina é mais parecido com os de Aécio Neves (PSDB) do que com os de Dilma Rousseff (PT): concentrados nos grandes centros urbanos, em cidades com mais de 200 mil habitantes, mais escolarizados e com renda mais alta.
Na eleição presidencial de 2010, quando concorreu pelo Partido Verde, Marina Silva teve 17,7% dos votos, contra 29,8% do então candidato tucano, José Serra, e 42,9% de Dilma Rousseff.
Ibope
Não é possível fazer qualquer projeção sobre como ficará a corrida presidencial a partir de agora, afirma nota do Ibope. Segundo o instituto de pesquisas, será necessário aguardar, nos próximos dias, a definição do PSB. Até lá, o instituto não realizará novos levantamentos sobre a corrida presidencial e não havia nenhuma pesquisa em andamento.
A coligação liderada pelo PSB tem até dez dias para indicar quem encabeçará a chapa, e no caso de Marina Silva ser escolhida, o novo candidato a vice.
“Eduardo Campos vinha surgindo como uma das novas lideranças do cenário político nacional e sua morte prematura é uma grande perda para o país. As pesquisas estaduais já realizadas até esta data serão divulgadas. Somente realizaremos novas pesquisas para divulgação após a definição do partido”, informou nota do instituto.
* Com informações do jornal Valor Econômico

http://www.cearanews7.com.br/ver-noticia.asp?cod=19314

Nenhum comentário:

Postar um comentário