quarta-feira, 20 de agosto de 2014

CORTES DE ANTENAS, SEM RECORTES

Quando eu iniciei no Radioamadorismo foi sempre ensinado, para mim, que uma antena monobanda , dipolo ou direcional, com uma estacionária 1:1, ou 1:1,5 seria uma antena ideal! Falavam também de “ estacionária zero”, o que eu descobrí depois que é impossível uma antena com “estacionária zero”, pois tôda antena, por mais bem construída que seja, sempre terá, inevitavelmente, um pouco de estacionária.

Com o passar dos tempos fui aprendendo, também, que é muito importante termos o máximo de cuidado com as medidas das nossas antenas. E como explicar melhor isso? Ora, Senhores, muito fácil, desde que comecemos do início.

Como todos sabem, a fórmula para se obter a dimensão correta de uma antena que Você vai construir, uma dipolo ou uma V invertido, por exemplo, é muito fácil: basta dividir 142.500 pela frequencia que Você quer, e dividindo-se esse resultado por DOIS, aí encontra-se a medida de cada lado da antena.

Mas agora é que vem o “Q” da questão ou seja: tenha muito cuidado, quando Você for medir os fíos! Se Você “bobear” e der, por exemplo, diferenças de CINCO CENTÍMETROS apenas, Você já se “FERROU”! Você sabe quando é que essa antena vai sintonizar naquela frequencia que Você calculou? NUNCA, meu amigo.

Está no Radioamateur Handbook de 1947, quando eu estava nascendo e nas afirmações de PY1 CC, o Carneiro, que apenas CINCO CENTÍMETROS de diferença, numa medida mal feita vai dar diferenças apreciáveis, por exemplo: nos 80 metros representam variação de 8 kHz, nos 40 metros já são 35kHz, nos 20 metros tudo “pula” para 63kHz, nos 15 metros, ah! Meu amigo, tudo vai para 300kHz de disparidade e, nos 10 metros, então são... “apenasmente”... 540 kHz. BARBARIDADE, isso não se aprende na ESCOLA, mas no dia –a- dia da prática do radioamadorismo e com o amadurecimento da idade!

Esse é o motivo porquê deve haver um extremo rigor na realização daqueleas medidas finais.

Mais um cuidado a ser considerado é com aquela “voltinha que Você dá com o fio de cobre em torno da “castanha” ou isolador de vidro. Alí o fio coaxial é soldado para descer em qualquer lado, mas lembre-se que a contagem da medida de cada lado de sua antena começa do ponto de solda que Você faz, unindo a perna do fio que sai imediatamente após a “castanha”.

Outro cuidado que devemos ter é o de estender bem o fío, puxando-o bem e cotejando sempre as medidas que Você calculou, de preferencia com os fíos extendidos sobre um chão plano, deixando as extremidades presas , para um acerto efetivo das marcações. Um dos lados já é para estar preso no isolador central ou no isolador da extremidade, para que todas as medidas sejam bem consideradas.

Um outro cuidado que não devo esquecer e deixar passar em branco, diz respeito aos estais dos canos(mastros) que Você vai usar PARA SUSTENTAR A SUA ANTENA! Nunca use só os arames, mas os mesmos combinados com isoladores de louça a cada 1 metro de comprimento desse arame, pois se Você não colocar esses isoladores de louça a cada 1 metro, muita radiofrequencia que sai do seu transmissor vai ser engulida por eles e causar também uma estacionária alta.

DÊ MANUTENÇÃO À SUA ANTENA

Isso significa, que, de tempos em tempos, haverá necessidade de uma calibração da antena, pois o sol quente do Nordeste brasileiro, os ventos fortes, chuvas as maresias, etc., vão dilatar os fíos e com isso, alterar as medidas corretas iniciais que Você calculou para construir a sua antena bem certinha!

E muito cuidado, prezado colega com o alicate de corte que Você tem na mão, porque, depois de cortados os fios, adeus, como é que vai agora, solucionar o problema?

Finalmente, prezado colega, as alterações tanto para mais, como para menos são aquelas dadas no início desta crônica. Lembre-se também, que os tamanhos dos fios para as frequencias que Você quer, são inversamente proporcionais entre sí, ou explicando melhor, cortando o fio, diminuindo o comprimento, a frequencia sobe, e aumentando-se o comprimento , a frequencia baixa... mas faz isso cá embaixo pois dá menos trabalho e diminui o risco de quedas de cima do telhado!

Enfim, se Você não obedecer a tudo isso que foi dito acima, é melhor ficar caladinho, e aceitar as péssimas “reportagens” que os colegas vão lhe dar!

P T 7 V O I S I D N E I

Nenhum comentário:

Postar um comentário