terça-feira, 23 de julho de 2013

Papa e povo têm encontro fraterno no centro do Rio

 

 

Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O primeiro dia do papa Francisco no Brasil foi marcado por sua simpatia, atenção e seu cuidado com os fiéis. Falando em um português claro, ele abençoou a todos e disse que “bota fé nos jovens”, usando uma expressão informal. Antes, o papa fez questão de estar o mais perto o possível das pessoas que se aglomeraram nas ruas do Rio para vê-lo.

A bordo do avião, no caminho para o Brasil, Francisco, que nasceu na Argentina, brincou indiretamente com a disputa que envolve brasileiros e argentinos. Bem-humorado, ele lembrou que no Brasil dizem que Deus é brasileiro, permitindo assim que o papa seja de outra nacionalidade.

Com o vidro do carro aberto, Francisco se deixou ser visto e muitos que conseguiram vencer o bloqueio dos seguranças chegaram  perto dele. Sorridente, o papa acenou, cumprimentou e beijou crianças, inclusive um bebê  de colo. A emoção dos fiéis foi retribuída por ele com sorrisos e respeito.

No papamóvel, Francisco ficou de pé o tempo todo e sorriu quase todo o tempo. Acostumados com o estilo do papa, os seguranças que o acompanham atendiam quando ele queria que o carro reduzisse a  velocidade  para que pudesse chegar mais perto das pessoas.

Um torcedor do Fluminense conseguiu chegar perto do papa e presenteá-lo com uma camisa do time. Apaixonado por futebol, Francisco, que é torcedor do San Lorenzo e disse com orgulho, em várias ocasiões, que guarda uma foto vestido com a camisa do time argentino, agradeceu o presente.

Os protestos em vários locais próximos de onde o papa passou não ofuscaram a primeira visita do pontífice ao exterior. Francisco não demonstrou cansaço nem mesmo com as longas filas de cumprimentos de autoridades. O papa cumprimentou todos e a presidenta Dilma Rousseff ganhou dois beijinhos no rosto.

Antes de seguir para a residência oficial do Sumaré, na zona oeste do Rio, o papa se reuniu reservadamente com Dilma. A conversa durou em torno de 15 minutos. Foi o segundo encontro privado dos dois. O primeiro ocorreu, em março, quando a presidenta compareceu à cerimônia  que oficializou o início do pontificado de Francisco.

Para amanhã (23), a agenda do papa por enquanto é fechada para reuniões internas. Porém, Francisco é pouco afeito a protocolos e gosta de surpreender, portanto, a programação pode ser modificada.

Edição: Juliana Andrade

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil

» Leia também:

Dilma dá boas-vindas ao papa e destaca parceria com Igreja na superação da pobreza

Francisco destaca os grandes desafios para atender às demandas dos jovens

Ateus e agnósticos protestam em São Paulo contra gastos públicos na recepção ao papa

Arquidiocese divulga programação do papa em Aparecida

Com chegada do papa, manifestantes promovem beijaço gay no Rio

Papa Francisco participa de cerimônia de boas-vindas no Palácio Guanabara

Papa Francisco desfila de papamóvel pelas ruas do centro do Rio

Nenhum comentário:

Postar um comentário