quarta-feira, 24 de julho de 2013

Ciro chama críticos de "maconheiros" e ataca membros do MPF

 

O ex-ministro atacou os opositores da construção do viaduto, que prevê a derrubada de 94 árvores nas imediações do Parque do Cocó. Ciro Gomes também criticou membros do Ministério Público Federal, que respondeu em nota

FÁBIO LIMA

Trecho do Cocó onde 79 árvores já foram cortadas para as obras

DERRUBADA DE ÁRVORES Já suspensa, obra no Cocó é alvo agora do MPE(0)

Eleições limpas Em Fortaleza, presidente da OAB defende reforma política já para 2014(0) PROS Novo partido busca adesões no Ceará; País pode ter mais 35 siglas(0)

O ex-ministro Ciro Gomes (PSB) partiu para o ataque contra os críticos da construção de dois viadutos nas imediações do Parque do Cocó e comprou briga também com membros do Ministério Público Federal (MPF). Ele disse que a oposição à obra no cruzamento das avenidas Antônio Sales e Engenheiro Santana Júnior parte de “burgueses e alguns maconheiros”. E acrescentou: “Não é todo mundo”, afirmou, em entrevista ontem à rádio Verdes Mares.

Já em entrevista à rádio Tribuna Band News, na manhã de ontem, Ciro fez duras críticas ao procurador da República, Alessander Sales. “Esse outro, Alessander de tal, que é outro exibicionista, devia pendurar uma melancia no pescoço ou então pintar a bunda de branco e ir pra luz branca, para aparecer”. Ciro afirmou que o procurador entrou com 12 ações contra o governador Cid Gomes (PSB), irmão do ex-ministro, e todas foram rejeitadas pela Justiça.

Ao se referir ao também procurador Oscar Costa Filho, Ciro usou os temos “politiqueiro” e “exibicionista”. Na última segunda-feira, 22, o procurador entrou com recomendação para que a Superintendência de Patrimônio da União (SPU) exija que a Prefeitura apresente estudo de impacto ambiental referente à construção de viadutos no Cocó, antes de decidir sobre a liberação ou não da obra, que está suspensa por decisão judicial. Antes mesmo disso, a Prefeitura de Fortaleza já havia decidido suspender os trabalhos, após solicitação da Superintendência do Patrimônio da União (SPU).

Reações

O Ministério Público Federal do Ceará rechaçou as declarações. “Para o procurador Alessander Sales, as ofensas apenas reforçam que as investigações do MPF estão seguindo o rumo correto, podendo, em breve, resultar na demonstração de ilícitos na gestão de recursos públicos do Ceará”, diz a instituição, em nota.

Já o vereador João Alfredo (Psol), um dos opositores à construção nas imediações do Parque do Cocó, preferiu não comentar diretamente as declarações do ex-ministro. “Xingamento não vou responder”, disse. “É triste, porque é um cara inteligente, que já ocupou altos cargos na República e se especializou em fazer ataques. Ele não é um porta-voz e sim um porta-agressão, porta-baixaria”, criticou.

Quem


ENTENDA A NOTÍCIA

Embora tenha recebido convites no âmbito federal e estadual, Ciro Gomes não ocupa cargo público desde 2011. Atua como conselheiro informal, mas extremamente influente, na gestão do irmão Cid Gomes e na Prefeitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário