quarta-feira, 10 de julho de 2013

José Airton participa de Cerimônia de Lançamento do Pacto Nacional pela Saúde

 

8 de julho de 2013

20130708_152022

O deputado José Airton participou nesta segunda-feira (8), da Cerimônia de Lançamento do Pacto Nacional pela Saúde – Mais Hospitais e Unidades de Saúde, mais Médicos e mais Formação no Palácio do Planalto, em Brasília. Em discurso, José Airton parabenizou a Presidenta Dilma Rousseff pela iniciativa.

“Venho aqui parabenizar nossa Presidente Dilma pela iniciativa de lançamento de mais um programa, o Programa Nacional pela Saúde, que trará mais hospitais, mais unidades de saúde, mais médicos, mais formação e, sobretudo, mais condições de trabalho para os profissionais dessa área. Eu sou um dos defensores intransigentes de que nós precisamos, primeiro, ampliar a capacidade e, segundo, conseguir novos profissionais, com novos cursos de medicina, dando mais condições para que nós possamos ter médicos em todas as regiões e rincões deste País — pagando, evidentemente, com um salário digno, como qualquer profissional qualificado”, falou.

O deputado também falou da dificuldade que sofreu, quando Prefeito, para ter um profissional da saúde em sua cidade.  “Nós sabemos que o Brasil é um País continental e eu, pessoalmente, já sofri, quando Prefeito, a dificuldade que era ter um profissional na nossa cidade. Foi, inclusive, graças a um médico formado em Cuba que nós iniciamos no Brasil o Programa Saúde da Família e, por isso, eu defendo que nós tenhamos o direito de contratá-los. E o povo tem a oportunidade de ter profissionais que possam atender com condições de trabalho, porque também não basta ter profissionais, é preciso ter as condições de trabalho. Por isso, eu também sou defensor da vinda de novos profissionais para o Brasil, como também de regularizar os tipos de formação, inclusive de outros centros, porque nós somos um país que tem esse perfil e nós precisamos fazer parcerias com outros países para esses profissionais serem valorizados”, disse o parlamentar.

Como parte do Pacto Nacional pela Saúde, o governo federal encaminhará ao Congresso uma medida provisória que institui o programa Mais Médicos e cria nos cursos de medicina um ciclo de dois anos para atuação na atenção básica e nos serviços de urgência e emergência. O Conselho Nacional de Educação (CNE) deverá definir as diretrizes desse novo período.

Com a alteração curricular, é esperada a entrada de 18 mil médicos na atenção básica em 2021 e de 36 mil por ano a partir de 2022, dos quais metade já estarão nos pronto-socorros. O programa ainda terá a criação de 11.447 novas vagas de graduação em Medicina até 2017, distribuídas em 117 municípios. Dilma também ressaltou que para contribuir com a formação de novos médicos serão construídos 14 hospitais, com um investimento de R$ 2 bilhões até 2017, fora unidades de saúde particulares que venham a ser construídas.

Segundo a presidenta Dilma, o pacto pela saúde contempla a aceleração dos investimentos já contratados para melhorar a estrutura da rede pública do Brasil. “Estamos investindo R$ 7,4 bilhões na construção, reforma e compra de equipamentos para postos de saúde, unidades de pronto atendimento, as UPAs, e hospitais”, disse a presidenta.

Dilma ainda ressaltou que para oferecer um tratamento digno e eficiente à população o país precisa de mais médicos. “Para trabalhar, principalmente, nas periferias das grandes cidades, no interior do país e nas regiões Norte e Nordeste, onde mais faltam”, disse.

Durante a cerimônia, o Ministro da Educação, Aloízio Mercadante informou que durante o período adicional de experiência no Sistema Único de Saúde (SUS), os alunos, que permanecerão vinculados à faculdade e receberão bolsa custeada pelo Governo federal, terão uma autorização provisória para exercício da Medicina. Ao longo dos dois anos, o profissional terá de atuar em um serviço de atenção básica, que é capaz de resolver 80% dos problemas de saúde, e em um serviço de urgência e emergência. Além disso, com a alteração curricular, é esperada a entrada de 20,5 mil médicos na atenção básica em 2021.

“Parabéns à Presidenta Dilma por essa iniciativa, mostrando o compromisso com o povo brasileiro, com a saúde, que é um dos problemas mais graves, mais gritantes, que o povo enfrenta na realidade atual e que, só para complementar, é responsabilidade de todos os Governos: Governo Federal, Governos Estaduais e Governos Municipais, finalizou José Airton.

--

Claudia Emília Andrade Vidal - Jornalista: DRT 6203/PR

Assessoria de Imprensa

Deputado federal José Airton Cirilo (PT/CE).

Nenhum comentário:

Postar um comentário