segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Profissão: psicólogo


Em 27 de agosto comemoramos o dia do psicólogo. Profissional dotado de uma
sensibilidade ímpar, o psicólogo é chamado a atuar em diversos segmentos.
Onde existem pessoas, naturalmente deve haver o trabalho psicológico, pois
a psicologia está relacionada ao ser humano e seu sofrimento psíquico.
Inúmeros são os que ainda temem a intervenção terapêutica julgando
tratar-se de um procedimento utilizado somente para os insanos.
Desconhecem que a psicologia ampara a pessoa em todos os seus momentos,
auxiliando-a no âmbito emocional, profissional e familiar. Psicólogo não é
quem cuida de louco e sim quem auxilia pessoas em sofrimento psíquico e
emocional. Também é quem ajuda na escolha profissional. Quem avalia a
prontidão escolar, o nível de inteligência, os desvios de caráter, os
problemas de comportamento e aprendizagem, os desajustamentos conjugais e
sexuais, as neuroses e psicopatias. Enfim, o psicólogo é uma pessoa
instrumentalizada para auxiliar o ser humano em suas dificuldades.
Exatamente por isso, precisa ser dotado de profundo amor pela humanidade.
Precisa acreditar na capacidade de superação que as pessoas possuem, e
colocar-se à disposição para funcionar como instrumento de ajuda. Não é o
psicólogo quem resolve nossos problemas. Ele apenas favorece o nosso
amadurecimento, e em algumas situações pode propor alternativas e
sugestões, mas é a própria pessoa quem deve decidir o que lhe é melhor. O
bom psicólogo não impõe; sugere. Não arrasta; indica o caminho. Não dá o
peixe; ensina a pescar. É a próprio indivíduo que deve buscar seu
crescimento pessoal, na companhia de alguém mais preparado para entender
as nuances do comportamento humano. O bom psicólogo favorece um clima de
confiança e trabalha com ética, assegurando o necessário sigilo das
informações que surgem na constância do processo terapêutico. Tem amor e
respeito pela pessoa que está partilhando sua vida, seus temores e
inquietações... e, por que não dizer, suas alegrias, êxitos e vitórias.
O psicólogo não fica analisando a tudo e a todos diuturnamente. É uma
pessoa como outra qualquer, sujeita aos mesmos dramas e problemas ou
satisfações e conquistas. Não possui a fórmula mágica da felicidade nem
está isento de questionamentos e contrariedades, mas estudou para
compreender o funcionamento da mente humana, seus principais anseios e
motivações. Sem dúvida alguma consegue ver o que muitos não veem, e
compreender o que muitos não compreendem. É uma profissão fascinante;
diria mesmo, maravilhosa, por tudo o que pode fazer de bom pelo ser
humano. Além disso, é fonte de gratificação para quem a abraça com amor.
Não confere ganhos expressivos do ponto de vista financeiro, mas
certamente os assegura do ponto de vista da realização pessoal. Ajudar
alguém a reconquistar seu sorriso, sinceramente, não tem preço.
Que as pessoas possam aprender a valorizar, respeitar e amar o
profissional da área psicológica, cientes de que têm nele um aliado no
enfrentamento de suas dificuldades. Como em qualquer profissão, devemos
procurar nos informar acerca do trabalho realizado para não correr o risco
de cair nas mãos de alguém despreparado ou antiético. Como já salientado
anteriormente, o psicólogo é uma pessoa como qualquer outra, sujeita aos
mesmos deslizes e falhas. O cuidado na escolha do profissional é de suma
importância para aquilatar os benefícios da psicoterapia em sua vida.
Maria Regina Canhos Vicentin (e.mail: contato@mariaregina.com.br) é
escritora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário