quarta-feira, 28 de julho de 2010

Não há sobreviventes no acidente com avião em Islamabad

Qua, 28 Jul, 09h54

NAs 152 pessoas a bordo do avião que caiu esta quarta (28) nas colinas próximas a Islamabad, capital do Paquistão, morreram, confirmaram diferentes fontes oficiais.
ova Délhi, 28 jul (EFE).- As 152 pessoas a bordo do avião que caiu hoje nas colinas próximas a Islamabad morreram, confirmaram hoje à Agência Efe diferentes fontes oficiais.

PUBLICIDADE

"Está confirmado. Não há sobreviventes", assegurou à Efe por telefone o porta-voz da Autoridade Municipal de Islamabad (CDA, na sigla em inglês) da capital paquistanesa, Ramzan Sajid.

O avião, um Airbus A-321 da companhia Airblue, a segunda maior do Paquistão, partiu às 7h50 no horário local (23h50 da terça-feira de Brasília) da cidade de Karachi com destino a Islamabad e caiu nas colinas de Margala, ao norte da capital.

"Ninguém sobreviveu. É tão brutal que se torna difícil imaginar. O avião chocou contra uma colina. Esperamos poder identificar os restos mortais", disse à agência Efe o subinspetor geral de Polícia de Islamabad Bin Yamin.

Em um primeiro momento, diversos órgãos de imprensa tinham dito que os serviços de ajuda haviam resgatado, em estado crítico, cinco ou seis pessoas. Sajid revelou, no entanto, que as primeiras equipes de resgate ouviram pedidos de ajuda, que depois cessaram.

Ainda existe confusão sobre o número definitivo de vítimas, porque ao menos 12 pessoas que compraram bilhetes não pegaram o voo, de acordo com o canal paquistanês "Geo TV".

Segundo a CDA e o próprio ministro do Interior do Paquistão, Rehman Malik, morreram os 152 integrantes do avião - 144 passageiros e oito tripulantes -, embora uma fonte da Polícia tenha dito que possui uma lista de 149 vítimas.

Por enquanto a causa do acidente é desconhecida, mas a companhia aérea, Airblue, emitiu um comunicado dizendo que está investigando "as circunstâncias exatas da tragédia" e prometeu "apresentar" conclusões o mais breve possível.

A companhia afirmou que as condições de voo eram de "denso nevoeiro" e "mau tempo" quando a aeronave caiu, conduzido, segundo Geo, por um piloto de 65 anos que tinha se aposentado tempo antes da companhia aérea estatal.

"A colina era muito alta e o tempo estava ruim. Parece que o avião perdeu contato com a torre de controle e não conseguiu encontrar a pista", opinou Yamin.

Ao menos 25 guardas florestais destinados na zona conseguiram chegar ao local 20 ou 25 minutos após o acidente, iniciando os trabalhos de resgate, afirmou Sajid.

A eles se uniram mais tarde uma equipe de resgate da CDA e da Autoridade de Gestão de Desastres, assim como soldados das forças de segurança e um batalhão do Exército, que também deslocou três helicópteros para transportar às vítimas.

"É difícil o acesso ao local, entre dois e três quilômetros no interior de uma área de floresta", manifestou Sajid, que disse que as tarefas de ajuda continuarão "com helicópteros ou manualmente, enquanto conseguiram".

Em comunicado, o escritório de imprensa do primeiro-ministro, Yousef Raza Guilani, anunciou que ele fará um sobrevoou na área do acidente junto de vários chefes de Governos provinciais para ter uma "visão aérea" do sucedido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário