segunda-feira, 19 de julho de 2010

Em Sobral moradores denunciam depredação de casas

Casas que deveriam estar beneficiando moradores carentes do Bairro Novo Recanto, neste Município, na Zona Norte do Estado, estão sendo alvo de depredação. Pelo menos é o que denuncia a moradora Rosa Maria de Sousa Vasconcelos. Ela disse que levou o caso ao conhecimento da Polícia que faz ronda pelo bairro, mas que ignorou a reclamação. "No dia que o morador estava levando a caixa d´água eu chamei a Polícia, mas eles me falaram que isso era um problema para a Prefeitura resolver", disse ela.

A casa a qual ela se refere está situada na Quadra 3, n.º 01, que antes era ocupada por uma família que aguardava ser beneficiada com o Programa de Urbanização, Regularização e Integração de Assentamentos Precários do Governo Federal, teve as portas, janelas, torneiras e caixa d´água levadas. "Situação igual a essa são muitas, enquanto tem gente precisando dessas moradias, a gente vê elas sendo destruídas", reforça Rosa Maria.

Maria Angélica Rodrigues, 22 anos, moradora do conjunto, afirma que aguarda há mais de sete anos ser beneficiada pelo programa de moradia. Mãe de dois filhos, fez o cadastro para ser incluída no projeto em 2005. Hoje divide o espaço da casa que a sogra ganhou. "Acho que deveria entregar primeiramente essas casas que estão prontas, para a gente não ter que esperar tanto", disse.

A dona de casa Joyce Sales de Araújo foi quem orientou a irmã, Ana Cléia, que se encontra desempregada, a ocupar a morada que foi depredada, sem esperar pela autorização da Prefeitura, ou da secretaria competente. "Acho que se tiver alguém dentro deste imóvel vai protegê-lo", disse Joyce Sales. O imóvel em questão, além de faltar portas e janelas, está com a água e energia cortadas.

O secretário da Habitação e Saneamento Ambiental do Município (Sehabs), Osmany Parente, diz conhecer todos os problemas da Vila Recanto, e que a Prefeitura tem procurado recuperar os imóveis que foram danificados antes de repassar para o verdadeiro dono. "Esses imóveis que são entregues para alguma família morar, por um determinado período, são imóveis que não estão completamente prontos, sempre falta alguma coisa para terminar. Se a pessoa que estava morando causou algum dano, fica na obrigação de recuperar", assegura o secretário Osmany Parente.

Ele admite que, pelo menos, 100 casas tiveram que passar por esse processo de recuperação. "Atualmente, só existem problemas em umas seis casas, que deverão passar pelo mesmo processo das demais".

Outro ponto reclamado pelos moradores é com relação ao critério adotado para doação das moradias. "Tem gente que nunca morou aqui e acabou ganhando uma casa", disse Rosa Maria, que luta para conseguir uma dessas casas para sua irmã. Critério que, de acordo com o secretário, está dentro da legalidade. "As casas construídas no Novo Recanto são para qualquer pessoa que não tenha a casa própria. Claro que a prioridade é para quem já reside naquele conjunto", diz.

Maria Gorete Gomes Rosa, 43 anos, e que há mais de 11 anos mora na Vila Recanto, já foi beneficiada com uma casa nova. Na manhã de sexta-feira, chegava em casa com saco contendo mercadorias, que vende de porta em porta. A casa que ele mora é pequena, mede 46m², tem sala, cozinha, dois quartos e banheiro. Ela disse que antes morava numa casa que não oferecia nenhum tipo de conforto. "Moro numa dessas casas novas há dois anos. Sinto-me bem. Gostaria que todas as minhas vizinhas estivessem na mesma situação que estou hoje", disse Maria Gorete, acrescentando que, na casa antiga, tinha um ponto comercial. Ela espera receber um novo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário