quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Bláblá desaba. Datafalha não pôde esconder

Bláblá desaba.
Datafalha não pôde esconder

Outra das “sórdidas” pesquisas da Fel-lha.

Como se sabe, o papel do Datafalha – a Proconsult de 2014 – é rever as pesquisas de tal forma que o jn pudesse, por exemplo, tentar esconder a Vox.
Como disse o Seu João, porteiro noturno lá de casa, debruçado sobre a capa Fel-lha (*): ” todo dia agora tem uma dessas. Só acredito em voto.”
O Fernando Brito tem uma análise interessante sobre a “margem de acerto” do Datafalha:

Datafolha faz o que pode, mas que “foguete” Marina está em queda é evidente
A pesquisa Datafolha fez o que pôde.

Mas não dá para esconder que Marina Silva entrou numa trajetória, ainda que suave, de queda.

34, 34, agora 33 pontos.

Já Dilma: 34, 35, 36%.

No segundo turno, diferença pró-Marina de 10, 7 e agora 4 pontos.

Como Aécio não teria (segundo o Datafolha, claro) perdido votos – 15,14,15% – o que aconteceu?

Óbvio que menos eleitores alegadamente de Aécio no primeiro turno passaram para Marina.

Que tem, no Datafolha, uma taxa de de rejeição (18%) completamente incompatível com o que revelam outras pesquisas.

Aliás, como é possível que uma candidata que teria, segundo o Datafolha, quase o dobro da rejeição, fique num empate técnico no segundo turno?

A crer no Datafolha, os 33% de Marina, somados aos 15% de Aécio, dariam 48%. No segundo turno, Marina teria 47%, apenas um por cento a menos que a soma.

Mas Dilma, de 36%, cresce para 43%.

De onde ela tirou 7% dos votos?

O Datafolha, como aquele famoso Ricardo Sérgio do Governo FHC, foi “ao limite da irresponsabilidade”.

Não vai poder continuar lá.

Sobre outra “sórdida” pesquisa, leia aqui.

http://www.conversaafiada.com.br/pig/2014/09/11/blabla-desaba-datafalha-nao-pode-esconder/

Nenhum comentário:

Postar um comentário