quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Ceará ganha fábrica de guindastes com capital árabe

 

Eliomar de Lima 

foto príncipe árabe

Três municípios cearenses disputam a instalação de uma fábrica de guindastes, que deverá abastecer o mercado brasileiro da construção civil, além de demandas na América Latina, Estados Unidos e Canadá. A multinacional italiana Raimondi Cranes S.p.A, com um século e meio no mercado, anunciou esta semana a expansão de seus investimentos em quatro países: Índia, Arábia Saudita, Turquia e Brasil.

No Brasil, o Ceará foi o Estado escolhido por causa da proximidade com a Europa, além da infraestrutura do Porto do Pecém e do aquecimento da construção civil no Nordeste.

A expansão da empresa ocorre por causa do capital árabe, depois que o príncipe Khaled bin Alwaleed AI Saud se tornou proprietário da Raimondi Cranes S.p.A.

“Muitas obras estão programadas para o Nordeste Brasileiro, e esse é um setor que necessita de maior mecanização para conseguir mais competitividade e redução de custos. Nossos produtos promovem isso, e podem contribuir para satisfazer mais rapidamente a necessidade dos brasileiros, tanto em termos de habitação, quanto em infra estrutura. O Brasil é um país importante, com recursos e muito potencial. Temos o prazer de dar a nossa contribuição”, afirma Ragnar A. Brigg, diretor de marketing do Grupo Raimondi e diretor executivo da empresa no Brasil, em seu escritório em Fortaleza.

A empresa não divulgou os municípios cearenses que disputam a instalação da fábrica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário