sábado, 14 de março de 2009

Lula quer aumentar oferta de emprego com criação de três turnos em obras do PAC


Em discurso durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau, em Rondônia, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu na semana passada que os empresários contratem trabalhadores por três turnos como uma medida contra os reflexos da crise econômica internacional no Brasil. "Se a gente fizer as coisas acontecerem, trabalhando em três turnos em todas as obras de rodovias, em todas as hidrelétricas, em todas as ferrovias, em todos os projetos habitacionais, onde for possível, tenho certeza de que essa crise vai voltar rapidinho onde ela nasceu e vai deixar o Brasil em paz", disse.
Segundo o presidente, a contratação de mais trabalhadores "vai gerar mais emprego, o emprego gera salário, o salário gera consumo, e essas três coisas juntas fazem com que a economia brasileira volte a rodar". Lula destacou a necessidade de se fazer investimentos neste momento. "Antigamente, os empresários tinham dificuldade de fazer obras com o governo porque normalmente o governo não tinha dinheiro. Então os empresários assinavam contrato e ficavam na expectativa que o governo pagasse em dia. Às vezes, o governo atrasava o pagamento, e os empresários iam diminuindo o potencial de trabalho, diminuindo as máquinas, os trabalhadores. Ou seja, o Brasil ficou campeão de obras não concluídas."
As usinas hidrelétricas de Jirau e de Santo Antônio contarão com investimentos totais de R$ 21,2 bilhões, mais R$ 7,2 bilhões para a implantação de linhas de transmissão de energia. As duas usinas fazem parte do PAC e compõem o Complexo Rio Madeira, que se apresenta como importante alternativa para a expansão do Sistema Interligado Nacional (SIN), com potência final prevista de 6.450 Megawatts (MW). A construção de Jirau vai gerar aproximadamente 12 mil empregos diretos e 30 mil indiretos, sendo que cerca de 70% dos postos de trabalhos deverão ser preenchidos por mão-de-obra regional. Para ampliar a possibilidade de contratação de trabalhadores locais, serão oferecidos cursos de capacitação profissional para a população, por meio de parcerias com órgãos de formação profissional, como Sine, Sebrae e Senai. Já a construção da usina Santo Antonio deverá gerar 30 mil empregos. A previsão é de que as duas entrem em operação em 2012.

Postado por: Jacinto Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário