terça-feira, 20 de maio de 2014

Pros do Ceará acredita ter superado “crise” com cúpula nacional

 

O Pros do Ceará julga que o imbróglio envolvendo as lideranças locais e a Executiva nacional está quase superado. Assim, a seção da legenda no Estado pode caminhar com alguma tranquilidade para as articulações visando às eleições deste ano. O deputado federal Antônio Balhmann (Pros) tentou afastar qualquer desconforto remanescente da polêmica entre o governador Cid Gomes e o presidente nacional da legenda, Eurípedes Junior. “Está tudo superado”, minimizou, acrescentando que, agora, a legenda deve reunir a bancada federal com maior frequência.
Segundo o parlamentar, o encontro ocorrido na semana passada serviu para superar alguns questionamentos, como o apoio do partido à reeleição da presidente Dilma Rousseff e a devolução das senhas aos diretórios estaduais em todo o país, além da manutenção do ministro Francisco Teixeira, da Integração Nacional. E, portanto, o deputado considera que, daqui em diante, haverá reuniões permanentes entre os membros da sigla para evitar novos questionamentos, inclusive com Cid e Ciro Gomes. Ele, porém, não soube informar se o governador ainda se reunirá com Eurípedes para tratar destes assuntos especificamente, como estava previsto acontecer na semana passada.
“Na reunião, ficou decidido que os diretórios terão a liberdade de articular suas coligações, depois foi tratada a questão do apoio à reeleição de Dilma. Esse dois temas foram superados. Agora, precisamos formalizar tudo isso”, disse Balhmann, acrescentando que parlamentares de todo o país questionaram a decisão unilateral tomada pelo direção nacional, que, segundo ele, se comprometeu a consultar os demais diretórios das questões internas.
Quanto à permanência de Teixeira no Ministério da Integração Nacional, Balhmann considera que o assunto também foi superado e disse que, inclusive, o próprio presidente nacional do Pros, Eurípedes Junior, manifestou-se no sentido de afirmar que este tema não se trata de algo essencial para a legenda. Como lembrou: “não é razoável trocar o ministro neste momento. Isso poderá prejudicar o andamento dos trabalhos desenvolvidos pelo governo”.
ENTENDA O CASO
Nos últimos dias, Cid e o irmão Ciro Gomes, secretário estadual de Saúde, enfrentaram uma guerra com a direção nacional do partido, para onde migraram em outubro passado, após deixarem o PSB por discordarem da candidatura de Eduardo Campos à Presidência da República. Os irmãos, inclusive, acusaram parte da bancada de deputados do Pros de “chantagem”, por ter exigido a saída do ministro Francisco Teixeira, ligado a Cid. O líder do partido na Câmara, Givaldo Carimbão (AL), e outros membros do Pros ameaçaram abandonar a reeleição da presidente Dilma Rousseff e embarcar na campanha de Eduardo Campos.
SEM NOVA DATA
Diante do impasse, os irmãos Ferreira Gomes marcaram um encontro com a direção da legenda, que acabou sendo desmarcada em virtude de um problema de saúde do presidente nacional do partido. A equipe do jornal O Estado tentou contato com Eurípedes Junior, mas sua assessoria de imprensa informou que, até agora, não tem nenhuma confirmação de nova reunião. O líder do partido na Câmara dos Deputados, Givaldo Carimbão, também foi procurado, mas as ligações não foram atendidas. A assessoria do Pros no Ceará também não se pronunciou sobre o assunto.

Fonte: http://macariobatista.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário