sexta-feira, 19 de junho de 2009

Lagoa da fazenda precisa de atenção

O Parque Ecológico Lagoa da Fazenda, que antes era considerado um ponto de lazer para os habitantes de Sobral, se encontra hoje em total abandono. A situação da área de quase 20 hectares é de causar indignação. Além da falta da cerca de proteção no entorno da lagoa, as pessoas que utilizam aquela área para o cooper estão vulneráveis aos assaltos. “Vi uma senhora que caminhava na minha frente ser assaltada, pensei em ajudá-la mas tive medo porque o outro bandido me observava”, disse o chaveiro Carlos Alberto, que freqüentemente passa pela lagoa.Há cerca de dez anos, o local era um dos mais badalados da cidade, o chamado “point”, onde os jovens buscavam os quiosques instalados ali para beber, conversar, paquerar e manter encontro com os amigos. Passados os anos, o poder público abandonou a Lagoa da Fazenda, e as indústrias, para completar o quadro de descaso, continuam contaminando as suas águas com produtos químicos. “Quase que diariamente a gente se depara com funcionários de fábricas instaladas aqui próximo despejando dejetos dentro da lagoa”, denuncia a moradora Dória Alves.
quadro de abandono é também formado pelo matagal na área. Aumenta a quantidade de plantas aquáticas que cobrem o espelho d’água, formando o fenômeno da eutrofização (em decorrência da grande quantidade de matéria orgânica na água, provavelmente originária de esgotos, o ambiente favorece a proliferação dessas plantas).Até o prédio do antigo restaurante Brisa da Lagoa, onde foi implantado um dos play-grounds, foi coberto pelo mato. Hoje o local é ocupado por delinqüentes que atuam na área. “Tenho enfrentado problemas, não só com a poluição da lagoa, mas com o quadro de abandono. Os clientes que vêm aqui demoram pouco por causa das muriçocas. Afora os delitos que acontecem nesta região”, reclamava Jânio Martins Vasconcelos, proprietário do Restaurante Lagos, o único que resistiu ao tempo.
Por Wilson Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário